Brasil  

Ministros e diretor-geral da ANP devem esclarecer denúncias de corrupção

Os requerimentos, de autoria do deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), eram para convocação das autoridades, mas, por meio de acordo com o governo, foram transformados em convite. A diferença é que, no caso do convite, a presença não é obrigatória.

Brasília – A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara aprovou convites para que ministros e autoridades públicas expliquem as denúncias de irregularidades nos respectivos órgãos.

Os requerimentos, de autoria do deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), eram para convocação das autoridades, mas, por meio de acordo com o governo, foram transformados em convite. A diferença é que, no caso do convite, a presença não é obrigatória.

O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Oliveira Passos, deve prestar esclarecimentos sobre as denúncias de corrupção e superfaturamento e, também, sobre as medidas adotadas para reduzir o custo das obras em rodovias brasileiras.

O ministro das Cidades, Mário Negromonte, deve falar sobre a suspeita de favorecimento de empresas que fizeram doações para campanhas de políticos ligados aos partidos que apoiam a presidenta Dilma Rousseff.

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, deverá dar explicações sobre a denúncia de que ele, quando era ministro do Planejamento, tinha conhecimento das alterações contratuais que elevaram os preços pagos pelo governo por obras rodoviárias e ferroviárias no Paraná.

Já os ministros do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence, e do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, devem falar sobre denúncias de ocupação ilegal de terras em áreas de proteção ambiental e de assentamentos destinados à reforma agrária.

Também foi aprovado o requerimento para que o presidente da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Haroldo Lima, fale sobre as denúncias de irregularidades e de corrupção no órgão regulador do setor de energia fóssil e de biocombustíveis.

Fonte: votebrasil.com

Deixe um comentário