Arquivo de outubro de 2015

Queda do dólar em outubro diminui prejuízo do governo com ações cambiais

sábado, 31 de outubro de 2015

.
Da Agência Brasil
.
dolar_6O recuo de 2,6% do dólar em outubro, a primeira queda depois de três meses seguidos de alta, deu um pequeno alívio às contas públicas. Nas três primeiras semanas deste mês, o Banco Central (BC) registrou ganhos de R$ 11,4 bilhões com as operações de swap cambial, que equivalem à venda de dólares no mercado futuro.

O lucro, no entanto, é pequeno diante do prejuízo que o BC acumula em 2015 para segurar a cotação do dólar. Até setembro, a autoridade monetária tinha perdido R$ 112,9 bilhões com as operações de swap. Com o desempenho até 23 de outubro, segundo os dados mais recentes disponíveis, o prejuízo caiu para R$ 101,5 bilhões no ano.

O valor refere-se aos resultados líquidos das operações de swap do Banco Central e é divulgado semanalmente pela autoridade monetária. O montante foi incorporado aos juros da dívida pública, que até setembro tinham somado R$ 510,6 bilhões no acumulado em 12 meses, equivalente a 8,89% do Produto Interno Bruto (soma das riquezas produzidas no país).

Desde maio de 2013, quando os Estados Unidos começaram a reduzir as injeções de dólares na economia mundial, o BC tem vendido dólares no mercado futuro para segurar a cotação da moeda norte-americana. Em agosto daquele ano, o programa tornou-se permanente, com o BC ofertando diariamente contratos de swap.

A política durou até março deste ano, quando o Banco Central parou de ofertar novos lotes de contratos. Até agosto, a autoridade monetária passou a rolar (renovar) 70% dos papéis em circulação. Em setembro, o BC passou a renovar integralmente os papéis em circulação por causa da disparada do dólar.

O Banco Central mantém um estoque expressivo de operações de swap, saindo de uma posição zerada no início de 2013 para uma exposição líquida em torno de R$ 400 bilhões atualmente. O lucro de R$ 11,4 bilhões nas três primeiras semanas de outubro é resultado da diferença entre a queda média do dólar e a variação dos juros DI, taxas cobradas em transações entre bancos, com valor próximo ao da Selic (juros básicos da economia).

Quando o dólar sobe, o BC tem prejuízo com as operações de swap. Nos dias em que a cotação cai, o órgão tem lucro. Os resultados são transferidos para os juros da dívida pública, aliviando as contas públicas quando os contratos de swap são favoráveis à autoridade monetária e precisando ser cobertos com as emissões de títulos públicos pelo Tesouro Nacional quando acontece o oposto.

Entenda as operações de swap

Criado em 2001, o swap cambial é uma ferramenta que permite ao Banco Central intervir no câmbio sem comprometer as reservas internacionais. O BC vende contratos de troca de rendimento no mercado futuro. Apesar de serem em reais, as operações são atreladas à variação do dólar.

No swap cambial, a autoridade monetária aposta que o dólar subirá mais que a taxa DI. Os investidores apostam o contrário. No fim dos contratos, ocorre uma troca de rendimentos (swap) entre as duas partes. Quando o dólar sobe, o BC tem prejuízo proporcional ao número de contratos em vigor. Quando a cotação cai, os investidores deixam de lucrar.

Edição: Nádia Franco

Datafolha: 45% dos deputados defendem renúncia de Cunha

sábado, 31 de outubro de 2015

eduardo-cunha-abr-830x552Uma pesquisa Datafolha feita com 324 deputados revelou que 45% dos entrevistados defendem a renúncia do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que é investigado na Operação Lava-Jato e acusado de manter contas secretas na Suíça.

Datafolha: 45% dos deputados defendem renúncia de Cunha

sábado, 31 de outubro de 2015

.
eduardo-cunha-abr-830x552Uma pesquisa Datafolha feita com 324 deputados revelou que 45% dos entrevistados defendem a renúncia do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que é investigado na Operação Lava-Jato e acusado de manter contas secretas na Suíça.

Leia também: Eduardo Cunha encarna Nelson Rodrigues: ‘Pior para os fatos’

Ainda de acordo com a pesquisa, 25% dos entrevistados dizem que Cunha deve permanecer no cargo e 30% não se posicionaram.

Além de negar que tenha contas no exterior, o presidente da Câmara já afirmou diversas vezes que não cogita a possibilidade de renúncia.

Em relação à hipótese de terem que votar pela cassação de Cunha, 52% dos deputados entrevistados não se posicionaram, 35% afirmaram que votariam a favor da cassação e outros 13%, contra.

A pesquisa Datafolha contou com a participação de 63% dos deputados. Apesar de todos os congressistas terem sido procurados para participar do levantamento, 37% não aceitaram ou não foram encontrados.

Segundo o diretor-geral do Datafolha, “há um número significativo de parlamentares escondendo o jogo. Os resultados finais indicam tendências gerais, mas não são representativos do total do Congresso”.

A possibilidade de um processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff também foi tema da pesquisa. Neste caso, 39% dos deputados entrevistados afirmaram que votariam a favor da abertura do processo caso a questão fosse levada ao plenário da Câmara. Outros 32% afirmaram que votariam contra e 29% não se posicionaram.

Os resultados indicam, desta forma, que nem a oposição nem o governo teriam os votos necessários para decidir a abertura ou não de um processo de afastamento da presidente Dilma.

A pesquisa também ouviu 51 senadores. Questionados sobre a possibilidade de a Câmara abrir um processo de impeachment contra Dilma, 43% dos entrevistados disseram que votariam contra o afastamento definitivo, 37% afirmaram que votariam a favor e outros 20% não se posicionaram.

 

Fonte: Opinião&Notícia

Consumo de açúcar pode causar doenças metabólicas, diz estudo

sábado, 31 de outubro de 2015

doces-e1445956566469O açúcar é uma ameaça maior para a saúde do que muitos supõem. De acordo com um estudo, ele pode causar doenças metabólicas, como pressão alta e doenças cardíacas, mesmo entre aqueles que não estão acima do peso. O estudo foi desenvolvido pelo endocrinologista e pediatra americano Robert Lustig.

Consumo de açúcar pode causar doenças metabólicas, diz estudo

sábado, 31 de outubro de 2015

.
doces-e1445956566469O açúcar é uma ameaça maior para a saúde do que muitos supõem. De acordo com um estudo, ele pode causar doenças metabólicas, como pressão alta e doenças cardíacas, mesmo entre aqueles que não estão acima do peso.

O estudo foi desenvolvido pelo endocrinologista e pediatra americano Robert Lustig, autor do livro “Fat Chance: the bitter truth about sugar”. Em entrevista ao jornal britânico Guardian, Lustig afirmou que a saúde de 43 crianças e adolescentes, que estiveram aos cuidados de sua clínica, melhorou drasticamente ao substituir o açúcar por alimentos ricos em amido em sua dieta. Lustig afirma que eles consumiram a mesma quantidade de calorias e disse ainda que suas doenças metabólicas, que podem causar diabetes, foram revertidas em dez dias.

No estudo, realizado pelo hospital infantil de São Francisco UCSF Benioff e pela Universidade de Touro, na Califórnia, as 43 crianças e adolescentes, entre nove e 18 anos de idade, tinham problemas de peso e de saúde, como pressão alta. Elas foram alimentadas por nove dias com alimentos preparados pela clínica e se pesavam diariamente. O corte de açúcar reduziu de 28% para 10% o total de calorias e da frutose de 12% para 4%. Os alimentos ricos em açúcar foram substituídos por alimentos ricos em amido como peru, cachorro-quente, batata-frita e pizza.

Após nove dias, os pesquisadores disseram que muitos aspectos da saúde metabólica das crianças melhoraram, como, por exemplo, a pressão sanguínea. Os índices de LDL (“mau colesterol”) e de triglicerídeos caíram, além da queda da glicemia de jejum e a redução dos níveis de insulina em um terço. Os testes de funcionamento do fígado também indicaram melhora.

Apesar das considerações de Lustig, a reação ao estudo foi tão boa. “Os resultados não me convencem. É um estudo muito pequeno, e ele não foi estatisticamente bem controlado”, disse o professor de medicina metabólica da Universidade de Glasglow, Naveed Sattar.

O professor emérito de nutrição do Colégio Real de Londres, Tom Sanders, disse que o estudo precisa ser visto “com certo ceticismo”, porque não foi controlado. O estudo não compara as crianças com um grupo similar que continuou consumindo altos níveis de açúcar. A comparação foi feita com o peso e com a saúde dessas crianças antes de serem submetidas à dieta.

Para Sanders, alimentos ricos em açúcar e em amido contêm a mesma quantidade de calorias por grama. “É simplesmente inconcebível que a substituição isocalórica de açúcar por amido tenham lenham largos efeitos no metabolismo. De fato, vai contra as leis da termodinâmica”, disse o professor.

 

Fonte: Opinião&Notícia

Relatório detalha movimentações financeiras de Lula e ex-ministros, diz revista

sábado, 31 de outubro de 2015

índiceReportagem da revista Época afirma que o órgão de inteligência do Conselho de Controle de Atividades Financeiras identificou movimentações financeiras incompatíveis com os rendimentos do ex-presidente Lula e dos ex-ministros Antonio Palocci e Erenice Guerra após deixarem o governo.

Relatório detalha movimentações financeiras de Lula e ex-ministros, diz revista

sábado, 31 de outubro de 2015

.
índiceReportagem da revista Época deste fim de semana afirma que o órgão de inteligência do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) identificou movimentações financeiras incompatíveis com os rendimentos do ex-presidente Lula e dos ex-ministros Antonio Palocci e Erenice Guerra após deixarem o governo. O órgão também apontou “comportamento atípico” em saque em dinheiro vivo feito pelo atual governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), também ex-ministro. O relatório foi repassado à CPI do BNDES, que investiga contratos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

De acordo com a publicação, o relatório indica que as empresas dos quatro petistas movimentaram quase R$ 300 milhões desde 2008. Segundo a revista, o valor corresponde à soma do que faturaram com seus clientes e os repasses a outras contas para realizar despesas, investimentos e aplicações financeiras.

Conforme a reportagem, a empresa criada por Lula em 2011 para fazer palestras faturou R$ 27 milhões até maio deste ano e transferiu R$ 25,3 milhões para outras contas, somando uma movimentação de R$ 52,3 milhões. O valor movimentado já havia sido revelado pela revista Veja em agosto, que se baseou em outro relatório produzido pelo Coaf. De acordo com Época, Lula repassou dinheiro aos filhos e investiu, no ano passado, R$ 6,2 milhões num plano de previdência privada.

Números bem mais robustos que os de Lula foram apresentados pelo ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci. Segundo Época, o relatório do Coaf aponta que a empresa de consultoria de Palocci, a Projeto, criada em 2006, movimentou R$ 216,2 milhões até abril de 2015. A empresa faturou R$ 52,8 milhões desde que o ex-ministro deixou a Casa Civil, em 2011, conforme o relatório do conselho ligado ao Ministério da Fazenda.

Ainda de acordo com a reportagem, o relatório do Coaf diz que o escritório de advocacia da ex-ministra Erenice Guerra recebeu R$ 12 milhões entre agosto de 2011 e abril deste ano e transferiu R$ 11,3 milhões a outras contas, somando uma movimentação de R$ 23,3 milhões no período.

No caso do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, o órgão de inteligência do Coaf identificou um “comportamento atípico” do petista no saque de R$ 150 mil dois meses após ele ter vencido as eleições. O relatório indica que o governador apresentou informações incorretas sobre a operação.

Com exceção de Erenice, que não foi localizada, os outros três petistas citados negaram qualquer irregularidade nas transações.

Em nota, o Instituto Lula informou que os valores se referem a 70 palestras ministradas pelo ex-presidente contratadas por 41 empresas, “todas realizadas, contabilizadas e com os devidos impostos pagos”. “Não há nada de ilegal na movimentação financeira do ex-presidente” e que “os recursos são oriundos de atividades profissionais, legais e legítimas de quem não ocupa nenhum cargo público”.

A assessoria de Palocci afirmou que seus ganhos “estão clara e transparentemente registrados e sempre informados às autoridades competentes” e chamou de “caluniosas e mentirosas as ilações” que associam os serviços de sua consultoria à aprovação de benefícios para o setor automotivo.

Pimentel também negou qualquer irregularidade ou atipicidade em suas contas. “O governador reafirma jamais ter participado de qualquer ato ilícito, colocando-se, como sempre o fez, à disposição para todo e qualquer esclarecimento, sempre que apresentados os documentos nos quais se fundam as supostas acusações”, declarou por meio de sua assessoria.

 

Fonte: Congresso em Foco

Câmara dá passo inicial para legalizar jogos de azar

sábado, 31 de outubro de 2015

roleta_cassino1A Câmara deu o primeiro passo para legalizar bingos, cassinos e outros jogos de azar com a instalação de uma comissão especial que analisará dez propostas sobre o assunto. O Governo vê na medida a possibilidade de elevar entre R$ 15 bilhões e R$ 20 bilhões a arrecadação por meio de impostos e outros tributos.

Câmara dá passo inicial para legalizar jogos de azar

sábado, 31 de outubro de 2015

.
roleta_cassino1A Câmara deu o primeiro passo, nesta semana, para legalizar bingos, cassinos e outros jogos de azar com a instalação de uma comissão especial que analisará dez propostas sobre o assunto. A ideia de legalizar os jogos é vista com simpatia pelo Palácio do Planalto, que vê na medida a possibilidade de elevar entre R$ 15 bilhões e R$ 20 bilhões a arrecadação por meio de impostos e outros tributos. O assunto, porém, é polêmico e enfrenta resistência no Congresso, sobretudo de parlamentares ligados a igrejas.

A chamada Comissão Especial do Marco Regulatório dos Jogos no Brasil foi criada a pedido do deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP), que defende a regularização como forma de estimular a criação de empregos e o turismo no país. O colegiado vai analisar, entre outras sugestões, a legalização de jogos pela internet, caça-níqueis e até do jogo do bicho – este, objeto de um projeto de lei apresentado há 24 anos, o PL 442/91.

“De 193 países, o jogo é regularizado em 177. Mensalmente, 200 mil brasileiros saem para jogar em outros países, principalmente Uruguai, Argentina, Chile e Paraguai. Nós não precisamos continuar deixando as divisas irem embora daqui. Nós temos 2,5 bilhões de pessoas no planeta que jogam e precisamos fazer com que essas pessoas venham jogar no Brasil”, defende Marquezelli.

Integrantes da comissão estimam que a legalização pode gerar uma arrecadação equivalente a mais da metade dos R$ 32 bilhões que o governo planeja obter com a volta da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). “Nós não podemos ignorar que essa é uma fonte de receita e de turismo dos países mais desenvolvidos”, ressaltou o presidente do colegiado, Elmar Nascimento (DEM-BA). Os projetos serão relatados pelo deputado Guilherme Mussi (PP-SP).

Polêmica anunciada

No início da semana, o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, defendeu a legalização dos jogos de azar no Brasil como forma de atrair estrangeiros e movimentar a economia. Henrique Eduardo entregou ao governo a prévia de uma proposta que fez a partir da legislação de países como Espanha, Inglaterra, Portugal, Argentina e Uruguai. O ministro admite que o assunto é polêmico e ainda é discutido internamente pelo Planalto.

“Dos 194 países que compõem a ONU, 156 têm a legalidade dos jogos de azar. Entre os que não têm, 70% são países islâmicos. Ou seja, está incumbido aí um sentimento muito radicalizado em relação à legalização do jogo”, disse o ministro.

Os opositores da legalização argumentam que os jogos servem para a lavagem de dinheiro, criam dependência e desarranjos familiares em razão do vício e das perdas com as apostas. “É muito fácil pensar nisso de tributar e entrar para os cofres públicos. Estão esquecendo de quantas famílias vão perder, serem destruídas por aqueles que serão fanáticos, incontrolados, que vão pegar tudo o que têm e jogar nos cassinos, nos jóqueis, em todo esse tipo de jogo. Vão perder tudo”, criticou o deputado Pastor Eurico (PSB-PE).

Sondagem de Dilma

Em setembro, durante encontro com  líderes da base aliada, a presidente Dilma sondou os parlamentares sobre a posição de suas bancadas em relação à liberação dos jogos. Na conversa, a presidente admitiu que o governo estudava a medida para melhorar a arrecadação e diminuir o déficit fiscal. Os parlamentares ficaram de consultar suas bases.

Entidades que representam os bingos estimam que mais de 340 mil trabalhadores perderam o emprego desde que os jogos de azar foram proibidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em 2007.

A súmula com efeito vinculante foi editada pelo Supremo para conter a ação de juízes de instâncias inferiores que concediam liminares em favor de casas de jogos. Os ministros entenderam que leis estaduais não podem autorizar o funcionamento de loterias e jogos de azar. O STF interveio após a deflagração da Operação Hurricane, que investigou uma rede de venda de decisões judiciais favoráveis a empresários d ramo de jogos de azar, inclusive com a participação de magistrados.

Em dezembro de 2010, o plenário da Câmara rejeitou uma proposta que legalizava a exploração de bingos em todo o país.

Na ocasião, o governo liberou a bancada aliada para votar como quisesse. Mas os ministérios da Justiça e da Fazenda divulgaram notas, à época, manifestando-se contra a legalização.

Duas CPIs

A exploração de jogos de azar já levou à criação de duas CPIs no Congresso na última década: a CPI dos Bingos e a CPI do Cachoeira. A primeira foi instalada no Senado, em 2005, na esteira do primeiro escândalo político do governo Lula, o caso Waldomiro Diniz, para apurar as relações de Carlos Cachoeira com o então assessor da Casa Civil e a influência dos bicheiros no país.

A segunda comissão, criada em 2012, investigou as ligações de Cachoeira com políticos, na esteira das revelações da Operação Monte Carlo. O caso resultou na cassação do então senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO), acusado de interceder em favor de interesses do bicheiro.

 

Do Congresso em Foco com informações da Agência Câmara

Queda do dólar em outubro diminui prejuízo do governo com ações cambiais

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

dolar_6O recuo de 2,6% do dólar em outubro, a primeira queda depois de três meses seguidos de alta, deu um pequeno alívio às contas públicas. Nas três primeiras semanas deste mês, o Banco Central registrou ganhos de R$ 11,4 bilhões com as operações de swap cambial, que equivalem à venda de dólares no mercado futuro.

Ministro do Supremo aceita novas acusações contra Eduardo Cunha

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

índiceO ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), aceitou pedido do Procuradoria-Geral da República (PGR) para juntar novas acusações contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ao inquérito que o parlamentar responde na Corte.

Ministro do Supremo aceita novas acusações contra Eduardo Cunha

quinta-feira, 29 de outubro de 2015
.
Andre Richter da Agência Brasil
.
índiceO ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), aceitou hoje (29) pedido do Procuradoria-Geral da República (PGR) para juntar novas acusações contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ao inquérito que o parlamentar responde na Corte. Na decisão, o ministro também concedeu prazo de 30 dias para a defesa de Cunha se manifestar.

No dia 15 de outubro, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, encaminhou ao STF os depoimentos de delação premiada do empresário Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, um dos investigados na Operação Lava Jato.  Em um dos depoimentos, Baiano confirmou que Cunha recebeu US$ 5 milhões em um contrato de navios-sonda da Petrobras. As declarações foram anexadas à denúncia apresentada em agosto contra o presidente da Câmara.

Desde o início das investigações, Cunha diz que não recebeu e não tem contas no exterior. Em outro inquérito em tramitação no Supremo, o presidente da Câmara é acusado de ter contas na Suíça que não foram declaradas à Receita Federal.

No país do Vale Tudo!

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

gritanovoApesar de termos uma turma que luta para que o Brasil não seja reconhecido internacionalmente como o país do oba-oba, do balacobaco, do vale tudo, sempre tem que ter alguém com a brilhante ideia de sujar o terreno que tentamos começar a limpar.

No país do Vale Tudo!

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

.
Por Claudia Schamis
.
cofre-300x202Apesar de termos uma turma que luta para que o Brasil não seja reconhecido internacionalmente como o país do oba-oba, do balacobaco, do vale tudo, sempre tem que ter alguém com a brilhante ideia de sujar o terreno que tentamos começar a limpar.

Hoje, quarta-feira (28), enquanto escrevo o texto, poderá ser votado na Câmara dos Deputados um projeto de lei que vai contra todas as definições de crime de qualquer espécie.

Nesse novo projeto de lei – é lei mesmo? – o pecador, o criminoso, sairá isento de qualquer condenação por ter enviado para o exterior uma graninha extra que ele ganhou recebendo propina, pode ter sido grana do seu caixa 2, caixa 3 e quantas caixas a pessoa tiver, pode ser grana da venda de drogas, tráfico humano, tráfico de órgãos (fígado, rim, coração, alcatra, maminha, picanha). Ou seja, o delinquente poderá repatriar o dinheiro sem ter que dá nenhuma satisfação de onde veio o dinheiro. Para ter esse direito o meliante, quero dizer, o sujeito, deverá apenas pagar no total 30% – que não é propriamente uma propina, mas metaforicamente pode até ser considerada – do total que ele quer repatriar, ou em outras palavras, tornar legal.

O ilegal se torna legal e ponto. Todos ficam felizes. O governo que arrecada com o imposto e a multa e o contribuinte que não precisa mais se esquivar e pode dormir mais tranquilo sem ter o medo de que alguma investigação descubra toda a grana escondida.

Se irá passar, só saberemos depois, mas só do projeto de lei estar indo para votação, já mostra que definitivamente não somos um país sério. Podemos até tentar fazer pose de sério, mas não somos, e nunca seremos. Pelo menos não nas próximas quatro gerações.

Na razão de Cunha!

Eduardo-Cunha

Os juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Júnior e Janaína Pachoal enviaram pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff e a área técnica da Mesa Diretora da Câmara está concluindo um parecer que tende a ser favorável.

Fala-se que o pedido é “juridicamente perfeito” e que só dependeria única e exclusivamente de Eduardo Cunha, (ainda) presidente da Câmara acatar e dar prosseguimento ao processo.

Porém, sempre na política existe a presença da conjunção adversativa totalmente explícita, sem a menor desfaçatez, de que uma ação está diretamente ligada a outra ação. E essa outra ação seria o encaminhamento ou não pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, do pedido do afastamento do presidente da Câmara ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Isso acontecendo, ele, Eduardo Cunha, decidirá monocraticamente, como é garantido por lei, pelo encaminhamento favorável à abertura do processo de impeachment de Dilma.

Ou seja, é uma troca de figurinhas. Mas no jogo da política, do terror, da chantagem, Eduardo Cunha disse que não recebeu nenhum parecer da área técnica da Casa sobre os pedidos de impeachment e disse ainda que caberia a ele e só a ele única e exclusivamente a decisão sobre se segue adiante ou deixa tudo como está. O parecer técnico é apenas um “plus” para embasar a decisão. Mas que não é necessário.

O que vemos é o retrato do nosso país. O presidente da Casa só decidirá sobre uma possível mudança nos rumos do nosso país não porque ele enxerga que isso é o correto, que isso é o que é, que os fatos estão aí e não tem como contestar. É preto no branco. Mas infelizmente a sua decisão paira somente em função do que farão com ele. Se garantirem ele como presidente da Câmara ele ajuda a manter a Dilma como presidente do país. Uma presidência por uma presidência. É pegar ou largar.

Desagravando Lula!

Lula1

Não é nada disso que você está pensando. Infelizmente desagravar não é algo ruim, pelo menos para o Lula não é.

O PT comovido com a dor de Lula ao ver a Polícia Federal invadindo a vida de seu filho Luis Claudio Lula da Silva, na Operação Zelotes, e aproveitando o aniversário de Lula que completou 70 anos, fará um ato de desagravo ao ex-presidente Lula. Esse ato será um documento em defesa do ex-presidente Lula e seu governo.

O PT vê a ação da PF como mais uma “tentativa de criminalização” do partido, e porque existem pessoas com medo de que Lula em 2018 volte a ser presidente. O presidente do PT paulistano, Emídio de Souza, disse que as “longas mãos do preconceito e do ódio” alcançam os filhos de Lula. E que essa “caçada” a Lula começou lá atrás, até antes da criação do PT e que voltou com “força descomunal nesse tempo de império do ódio”.

Faz-me rir.

Ou seja, tudo o que se faz ao PT é um ato de alguma coisa contra um partido e seus membros que se consideram vitimizados pela mídia, pela oposição que mantém uma inveja de tudo o que o PT conseguiu fazer para um Brasil melhor. De tudo que o PT fez para o povo. Pelo povo.

Chego a achar comovente essa adoração que se tem pelo Lula. Não importa o que ele faça, ele é e sempre será “o cara”. Ele pode roubar, pode matar, pode cuspir, pode mentir. Ele pode tudo, e para os petistas nada importa. É quase como um Deus. Lula é um vício. E mal sabem eles que certos vícios podem matar. E esse mata.

Salve as baleias. Não jogue lixo no chão. Não fume em ambientes fechados.

Mais de 1 milhão de brasileiros deixaram de ter carteira assinada

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

carteira-trabalho-agencia-brasilO Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, que revelou que a taxa de desemprego no Brasil ficou em 8,7% no trimestre encerrado em agosto de 2015.

Mais de 1 milhão de brasileiros deixaram de ter carteira assinada

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

.
carteira-trabalho-agencia-brasilNesta quinta-feira, 29, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, que revelou que a taxa de desemprego no Brasil ficou em 8,7% no trimestre encerrado em agosto de 2015.

Como a taxa de desemprego, no mesmo trimestre do ano passado (junho a agosto de 2014), ficou em 6,9, a quantidade de empregados com carteira assinada recuou em 1,1 milhão.

“Em geral, todos os grupamentos estão perdendo formalização, principalmente o comércio”, disse o coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, Cimar Azeredo.

Em todo o país, nos meses de junho a agosto, houve um aumento de 29,6% no número de desempregados na comparação com o mesmo período do ano passado. O crescimento da população desocupada também foi recorde, de acordo com a pesquisa, que tem informações desde março de 2013 no confronto anual.

De junho a agosto o Brasil tinha 8,804 milhões de desempregados, o maior nível da série, iniciada em janeiro de 2012.

 

Fonte: Opinião&Notícia

Lula: ajuste fiscal é mais importante que derrubar Cunha

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Lula_valtercampanato_ABrDurante reunião do Diretório Nacional do partido, o ex-presidente Lula poupou a presidente Dilma Rousseff ao dizer que não considera justo que ela esteja “passando pelo que está passando”.  Lula ainda disse que a prioridade do governo deve ser aprovar as medidas do ajuste fiscal, e não derrubar o presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

Lula: ajuste fiscal é mais importante que derrubar Cunha

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

.
Lula_valtercampanato_ABrEm discurso à cúpula do PT, durante reunião do Diretório Nacional do partido, o ex-presidente Lula poupou a presidente Dilma Rousseff ao dizer que não considera justo que ela esteja “passando pelo que está passando”. Segundo ele, não há ninguém mais apropriado para superar a crise econômica do que a petista. O ex-presidente ainda disse que a prioridade do governo deve ser aprovar as medidas do ajuste fiscal, e não derrubar o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

“Não tem nenhum homem ou mulher que vai arrumar economia mais rápido que a Dilma, porque ela necessita, ela sabe que é importante e é o único jeito de recuperar o prestígio que o PT já teve é recuperar a economia”, disse Lula.

“Não é justo que a Dilma esteja passando o que está passando. Não é justo por ela, pela história dela, pelo caráter dela, pelo que representa para a gente. Em vez de ficar vendo defeito, cada um de nós tem que virar uma Dilma, tem que defender”, completou.

Lula disse ainda que os oposicionistas ao governo no Congresso têm se empenhado para evitar que os planos do Planalto para resgatar a política econômica do país vinguem. “O que interessa à oposição é discutir qualquer assunto e não discutir o que interessa, que é aprovar o que a Dilma mandou para o Congresso”, criticou.

E, ao priorizar o ajuste fiscal em relação a todos os outros possíveis interesses do governo, Lula indagou: “Ou alguém acha que outra coisa é importante? Que é derrubar Eduardo Cunha, discutir impeachment e depois votar o que a Dilma mandou para o Congresso?”.

Obstáculos na Câmara

Nos últimos meses, quanto mais a situação de Cunha se complicava com desdobramentos da Operação Lava Jato, menos o Planalto via seus interesses representados no Câmara. Com a descoberta de que o deputado mantinha contas secretas na Suíça, segundo o Ministério público do país europeu, evidenciou-se a divisão de dois grupos: os que querem a saída de Cunha do comando da Câmara e os seus fiéis escudeiros.  Percebendo o movimento, Lula disse que os parlamentares tem agido com “estranheza”.

“Tem um componente novo que é a força do Eduardo Cunha junto a um conjunto grande de deputados. O Eduardo Cunha disse para muita gente que não lidera aquela quantidade de deputados. Que eles estão é insatisfeitos com a gente. Se é verdade ou mentira, não sei. O dado concreto é que estamos vivendo certa estranheza de comportamento no Congresso”, pontuou ele.

A volta de quem não foi

Após uma influência discreta de Lula no início do segundo mandato de Dilma, ele voltou com toda a força no acirramento da crise política, no fim do primeiro semestre legislativo. Com discursos que sinalizam sua vontade de voltar ao poder, o ex-presidente indica, novamente, que estará na disputa presidencial de 2018. Segundo ele, os próximos três anos do governo da petista serão “de muita pancadaria”, mas os desgastes não serão suficientes para afastá-lo da política.

“Ninguém precisa ficar com pena. Aprendi com a vida a enfrentar adversidade. Se o objetivo é truncar qualquer perspectiva de futuro, então vão ser três anos de muita pancadaria. E podem ficar certos, eu vou sobreviver”, disse Lula.

Família investigada

Com suspeições sobre o enriquecimento da família de Lula desde o início do governo petista, a Polícia Federal, de fato, iniciou uma investigação contra um de seus filhos. Em nova fase da Operação Zelotes, que investiga a influência de organizações criminosas no trâmite de processos e na manipulação de julgamentos no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), a PF cumpriu mandado de busca e apreensão na LFT Marketing Esportivo, escritório de Luis Claudio Lula da Silva, um dos filhos do ex-presidente.

“Eu tenho mais três filhos que não foram denunciados, sete netos e uma nora que está grávida. Porra, não vai terminar nunca isso. E me criaram um problema desgraçado. Disseram que uma nora recebeu R$ 2 milhões. Aí vão perguntar quem está rico na família. Daqui a pouco uma nora entra com um processo contra a outra”, ironizou o ex-presidente.

 

Por Gabriele Salcedo  do Congresso em Foco

Aos gritos de ‘safado’ e ‘bandido’, Caiado e ministro se ofendem no Senado – veja o vídeo

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

S1O senador Ronaldo Caiado e o Ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, trocaram ofensas aos gritos durante audiência pública no Senado. Ao dirigir um questionamento sobre a Companhia Energética de Goiás ao ministro, Caiado reclamou que Eduardo Braga não deu a devida atenção à pergunta.

Aos gritos de ‘safado’ e ‘bandido’, Caiado e ministro se ofendem no Senado

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

.
Por Luma Poletti do Congresso em Foco
.

De dedo em riste, Caiado se dirige a ministro em audiência

De dedo em riste, Caiado se dirige a ministro em audiência

O senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) e o Ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, trocaram ofensas aos gritos durante audiência pública da Comissão Mista sobre Mudanças Climáticas, realizada nesta quinta-feira (29) no Senado. Após a apresentação sobre a implantação de novas tecnologias relacionadas à diversificação da matriz energética do país, Braga começou a responder perguntas dos parlamentares. Ao dirigir um questionamento sobre a Companhia Energética de Goiás (Celig) ao ministro, Caiado reclamou que Eduardo Braga não deu a devida atenção à pergunta.

“Eu estou falando com vossa excelência, e vossa excelência está manipulando o telefone, está olhando para baixo, olhando para o lado, como se aqui estivesse falando com qualquer um. Eu sou senador como vossa excelência”, reclamou o senador goiano.

Eduardo Braga explicou que estava atento e iria responder às perguntas. Não adiantou. Caiado retrucou dizendo que o ministro agia com descaso e retirou-se da sessão. Antes de deixar o local, no entanto, o senador se dirigiu à mesa e bateu boca com Braga, chamando-o de “safado” e “bandido”, e em seguida foi contido por membros da comissão. “Olhe o decoro parlamentar! Bandido é vossa excelência! E safado é vossa excelência. Me respeite!”, disse Eduardo Braga. “Você é bandido! Não respeito, não! Você é bandido”, retrucou o senador goiano.

Assista ao vídeo:
.

.
Em seguida, o senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), presidente da Comissão de Serviços de Infraestrutura, classificou a discussão como “deprimente”. “Nunca esperei que um senador como o Ronaldo Caiado pudesse protagonizar um espetáculo tão deprimente como este que nós vimos aqui agora”, lamentou Garibaldi.

Na sequência, o presidente da comissão, senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), afirmou que iria apresentar uma representação contra Caiado. “Nós faremos o encaminhamento para a Mesa Diretora do Senado para tomar providências em relação às agressões de que aqui foram alvo o ministro Eduardo Braga”.

Antes do encerramento da sessão, Caiado retornou à sala de audiência da comissão e Fernando Bezerra Coelho propôs que o senador do DEM retirasse as ofensas ditas ao ministro. No entanto, Caiado afirmou que Braga também o havia insultado, chamando-o de “desequilibrado”, e só iria retirar as ofensas se Braga o fizesse primeiro. A sessão foi encerrada sem acordo.

Bis

O episódio da troca de farpas tem sido recorrente no Senado. Há pouco mais de um mês, durante sessão da Comissão de Relações Exteriores (CRE), os senadores Lindbergh Farias (PT-RJ) e Tasso Jereissati (PSDB-CE) também se exaltaram, embora sem xingamentos, ao discutir a política externa brasileira. Na ocasião, Tasso lembrou que o petista era um dos investigados na Operação Lava Jato , e que recorrentemente demonstra “irritação” em discussões na Casa.

“Vossa excelência está baixando o nível! Eu vou mostrar que não tenho nada a ver com isso, senador Tasso! Vossa excelência está baixando o nível!”, treplicou Lindbergh. “Eu, não! A Polícia Federal”, insistiu Tasso.“Vossa excelência perdeu o senso! Tem que, primeiro, saber o seguinte: eu não sou sequer denunciado, eu só tenho um inquérito. Vossa excelência tem que respeitar! Eu não sou condenado, nem vou ser! Não vai dar em nada porque não há nada errado! Vossa excelência vai ver. E vai pedir desculpas”, vociferou o petista.

Zelotes: MP ‘encomendada’ livrou montadoras de dívida de R$ 3,2 bi com a União

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

moreiramendesInvestigações da Operação Zelotes, que apura esquema de corrupção no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), apontam que a medida provisória que alterou a legislação tributária para a indústria automobilística foi alterada para derrubar uma dívida de R$ 3,2 bilhões das montadoras Ford e MMC Mitsubishi.

Zelotes: MP ‘encomendada’ livrou montadoras de dívida de R$ 3,2 bi com a União

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

.
Do Congresso em Foco
.

Então relator da MP na Câmara, Moreira Mendes afirma que não se lembra se foi procurado pelo consórcio e nega ter recebido qualquer vantagem ilegal

Então relator da MP na Câmara, Moreira Mendes afirma que não se lembra se foi procurado pelo consórcio e nega ter recebido qualquer vantagem ilegal

Investigações da Operação Zelotes, que apura esquema de corrupção no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), apontam que a medida provisória (MP 512/2010) que alterou a legislação tributária para a indústria automobilística foi alterada para derrubar uma dívida de R$ 3,2 bilhões das montadoras Ford e MMC Mitsubishi. Segundo reportagem do Correio Braziliense, as empresas se livraram dos débitos que contestavam no Carf após emendas incluídas pelo relator da MP, o então deputado Moreira Mendes (PSD-RO).

A proposta inicial do Executivo estendia benefícios fiscais à indústria automobilística nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste até 2020. Assim, a estimativa do governo era deixar de arrecadar R$ 4,5 bilhões nos cinco anos seguintes à aprovação da MP, porém, um estudo da Consultoria do Senado apontou perdas fiscais até quatro vezes maiores: R$ 18 bilhões.

O relatório da Polícia Federal revela que graças às modificações no Congresso, a Lei 12.407/2011 (originária da MP) “saiu melhor do que encomenda para as empresas da indústria automotiva”, uma vez que ela alterou a interpretação de regras que permitiam acumular incentivos fiscais, prática que até então vinha gerando multas e cobranças às empresas na Receita e era questionada no Carf.

Vinculado ao Ministério da Fazenda, o conselho é uma espécie de tribunal ao qual as empresas recorrem para contestar dívidas aplicadas pela Receita Federal. Antes da MP, a Ford devia R$ 3 bilhões no Carf. A MMC, R$ 265 milhões.

De acordo com a PF, relata o Correio, em princípio, a Ford não contratou o “consórcio” de escritórios que compunham a operação: Marcondes e Mautoni, de Mauro Marcondes; a SGR Consultoria, de José Ricardo Silva; e o lobista Alexandre Paes Santo. Todos foram presos na mais recente etapa da Operação Zelotes, na última segunda-feira (26). A MMC Mitsubishi confirmou que contratou o escritório de Marcondes para “fazer estudos”. Já o relator da MP na Câmara, o ex-deputado Moreira Mendes, disse não se lembrar se foi procurado pelo consórcio, e que atendeu pedidos de políticos “sem nenhum tipo de compromisso”.

Desemprego chega a 8,7% no trimestre encerrado em agosto, mostra IBGE

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

imagessA taxa de desemprego no país voltou a subir no trimestre encerrado em agosto e chegou a 8,7%. O índice é 0,6 ponto percentual superior ao do trimestre terminado em maio (8,1%). Esta foi a maior taxa de desocupação da série histórica iniciada em 2012.

Desemprego chega a 8,7% no trimestre encerrado em agosto, mostra IBGE

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

.
imagessA taxa de desemprego no país voltou a subir no trimestre encerrado em agosto e chegou a 8,7%. O índice é 0,6 ponto percentual superior ao do trimestre terminado em maio (8,1%). Esta foi a maior taxa de desocupação da série histórica iniciada em 2012.

Comparativamente ao mesmo trimestre do ano anterior (6,9%), a alta chegou a 1,8 ponto percentual. Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (Pnad Contínua) e foram divulgados hoje (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo a pesquisa, a população desocupada cresceu 7,9%, atingindo 8,8 milhões de pessoas, ou mais 647 mil pessoas desocupadas em relação ao trimestre de março a maio, quando a alta chegou a 29,6% (mais 2 milhões de pessoas, na comparação com igual trimestre de 2014).

No trimestre encerrado em agosto, a população ocupada somava 92,1 milhões de pessoas, ficando estável em ambas as comparações. Os dados indicam ainda que o número de empregados com carteira assinada recuou 1,2% (menos 425 mil pessoas), em relação ao trimestre de março a maio, e caiu 3% (menos 1,1 milhão de pessoas) na comparação com igual trimestre de 2014.

Números negativos

A Pnad Contínua mostra números predominante negativo em todas as suas análises. O rendimento médio real recebido pelo trabalhador caiu 1,1% na comparação ao trimestre imediatamente anterior (março a maio), passando de R$ 1.904 para R$ 1.882. Em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, no entanto, o rendimento médio real ficou estável.

Também a massa de rendimento médio real recebida para o trimestre encerrado em agosto (R$ 167,8 bilhões) caiu os mesmos 1,1% do rendimento médio real, na comparação ao trimestre móvel anterior e ficou estável em relação ao mesmo trimestre de 2014. Os indicadores da Pnad Contínua são calculados para trimestres móveis, utilizando-se as informações dos últimos três meses consecutivos da pesquisa. A taxa do trimestre móvel terminado em agosto de 2015 foi calculada a partir das informações coletadas em junho/2015, julho/2015 e agosto/2015.

 

Nielmar de Oliveira – Repórter da Agência Brasil

 

Déficit fiscal do governo atinge R$ 20,9 bilhões de janeiro a setembro

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

notas_real_50_2_de_1O déficit fiscal do Governo Central de janeiro a setembro deste ano atingiu R$ 20,938 bilhões, o pior da série histórica que começou em 1997, informou hoje  a Secretaria do Tesouro Nacional. O déficit é 24,6% superior ao do mesmo período do ano passado já corrigido pela inflação.

Déficit fiscal do governo atinge R$ 20,9 bilhões de janeiro a setembro

quinta-feira, 29 de outubro de 2015
.
Daniel Lima da Agência Brasil
.
notas_real_50_2_de_1O déficit fiscal do Governo Central de janeiro a setembro deste ano atingiu R$ 20,938 bilhões, o pior da série histórica que começou em 1997, informou hoje (29) a Secretaria do Tesouro Nacional. O déficit é 24,6% superior ao do mesmo período do ano passado já corrigido pela inflação. O governo central engloba o Tesouro Nacional, a Previdência Social e o Banco Central. No ano passado, o resultado ficou negativo em R$ 15,716 bilhões.

Em setembro deste ano, o governo registrou déficit primário de R$ 6,932 bilhões, resultado 69% inferior ao do mesmo mês do ano passado, quando registrou R$ 20,409 bilhões. O superávit primário é a economia de recursos para pagar os juros da dívida pública.

A redução, no acumulado do ano, do resultado primário do governo central é explicada pelos técnicos do governo, entre outros fatores, pela redução da receita líquida, de 4,6% em termos reais. A receita líquida corresponde ao total da receita primária após a dedução das transferências aos estados, por exemplo.

De janeiro a setembro, as receitas totais do governo central caíram R$ 47,3 bilhões (-4,7%) em comparação ao mesmo período do ano passado. As despesas porém decresceram R$ 33,7 bilhões (-4%) em relação ao acumulado até setembro de 2014. Esse decréscimo ocorreu principalmente no âmbito das despesas do Tesouro Nacional.

Relatório da PF sugere que Lula é o alvo da Zelotes

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

images_cms-image-000463893Em um dos documentos apreendidos pela Polícia Federal na nova fase da investigação, há uma lista de compromissos do lobista Mauro Marcondes Machado, preso na segunda-feira. A PF destaca um deles: “Colocar Dr. Mauro em contato com o Presidente Lula – Instituto Lula”.

Relatório da PF sugere que Lula é o alvo da Zelotes

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

 

Fonte: Brasil 247

Gilberto: ‘quem vai lavar a honra dos meus filhos?’

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

images_cms-image-000463864O ex-ministro Gilberto Carvalho emitiu uma nota na qual reage ao pedido dos investigadores da Receita Federal que pediram, no âmbito da Operação Zelotes, a quebra dos sigilos fiscal e bancário dele e dos seus filhos Gabriel, Myriam e Samuel Carvalho.

Gilberto: ‘quem vai lavar a honra dos meus filhos?’

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

.
images_cms-image-000463864O ex-ministro Gilberto Carvalho emitiu uma nota nesta quarta-feira (28) na qual reage ao pedido dos investigadores da Receita Federal que pediram, no âmbito da Operação Zelotes, a quebra dos sigilos fiscal e bancário dele e dos seus filhos Gabriel, Myriam e Samuel Carvalho.

“Reajo hoje com a indignação de quem serve ao país há 19 anos com a honestidade que recebi dos meus pais e com o desejo central de mudar a vida dos pobres deste País. Reajo com a dor de um pai que vê seus filhos expostos à execração pública sem que nenhum fato, nenhuma acusação formal tenha sido contra eles apresentada”, afirmou o petista.

Segundo ele, “a quebra dos sigilos fiscal e bancário apenas atestará de maneira definitiva o que afirmo”: “Meu patrimônio pessoal se restringe à posse de uma chácara de 3 hectares na região do Entorno (Goiás), a um apartamento financiado por 19 anos no Banco do Brasil e um veículo que tem o valor de R$45.000,00. Minha filha era proprietária de uma empresa que infelizmente quebrou e tem uma dívida a pagar com bancos de pouco mais de um milhão de reais. Meus dois filhos são funcionários públicos com rendimentos em torno de R$5.000,00. Não tenho nada a esconder. E me orgulho de não ter acumulado bens”.

“Não tenho medo de ser investigado e considero dever da Polícia Federal, da Receita Federal e de qualquer órgão de controle realizar a investigação que julgar necessária. Faz parte do ônus e dos deveres inerentes da vida pública. O que não vale e não pode é de maneira fantasiosa e leviana fazer interpretações ridículas de material apreendido com pessoas suspeitas e transformá-las em acusação, sem prova alguma, contra pessoas honradas e dar publicidade a tais interpretações como se verdades fossem. Quem vai lavar a honra de meus filhos enxovalhada por tal irresponsabilidade? Basta ter acesso ao relatório da Receita Federal e da Polícia Federal colocados ontem a público para constatar o que afirmo”, complementa.

Na nota, ele repete o que afirmou em depoimento à Polícia Federal. “Desafio que provem o contrário: recebi o Sr. Mauro Marcondes, na condição de vice-presidente da Anfavea, que estava em busca de audiência com o Presidente Lula. As mensagens eletrônicas trocadas foram sempre por meio do e-mail oficial. Nunca o encontrei fora do meu gabinete. Nunca tratei com ele do mérito da MP 471, ou da MP 512, aprovadas por unanimidade no congresso com elogios de vários próceres da oposição, porque beneficiavam o desenvolvimento do setor automotivo no País e particularmente no Nordeste e Centro Oeste. Jamais o Gabinete do Presidente Lula teve em qualquer momento participação em negociatas desta natureza. E não há nenhuma acusação sustentável a respeito disso. Estou tomando as providências jurídicas cabíveis para não apenas fazer a defesa de minha família como para responsabilizar a todos que de maneira leviana e irresponsável atacam a honra de quem sempre lutou pela justiça”, diz.

 

Fonte: Brasil 247