Arquivo de Maio de 2015

Por que estamos ficando mais altos?

domingo, 31 de Maio de 2015

.
timthuNos últimos 150 anos, a estatura média humana aumentou até dez centímetros nos países industrializados. John Komlos, professor de história econômica da Universidade de Munique, na Alemanha, estuda como as condições econômicas e sociais influenciam na variação da estatura média de uma população. De acordo com Komlos, dois fatores são importantes: a alimentação e a saúde, principalmente durante a infância.

A Holanda é o país que teve o maior crescimento. Em comparação com os holandeses do século XIX, os jovens do país têm, em média, 19 centímetros a mais. Os homens atingem a média de 1,84 metro e as mulheres 1,70 metro.  William Leonard, professor de antropologia da Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, aponta que “os principais motores do aumento da estatura são a melhoria da nutrição, da saúde e da qualidade de vida”.

Essa relação entre altura e saúde está presente em vários momentos da História. Depois da Peste Negra, que dizimou pelo menos 60% da população, os sobreviventes passaram a ter mais acesso a alimentos e melhores condições de moradia, o que influenciou no crescimento da estatura das gerações seguintes. Mas, no século XVII, a Europa enfrentava rigorosos invernos e várias guerras, o que fez com que a média de estatura da população diminuísse. O francês médio atingia apenas 1,62 metro de altura. “A Europa se rompeu completamente naquela época”, lembra Komlos.

No século XVIII, o processo de diminuição da estatura continuou com a migração de trabalhadores para favelas superlotadas e infestadas de doenças nas grandes cidades durante a Revolução Industrial. Foi apenas na segunda metade do século XIX que os europeus voltaram a disparar nas curvas de crescimento com a melhora da produção agrícola, no saneamento básico e no fornecimento de água.

As Coreias do Sul e do Norte são exemplos atuais dessa relação. Enquanto a primeira ocupa a 15ª posição do Índice de Desenvolvimento Humano da ONU (IDH), a segunda ocupa o 188º lugar. O homem adulto sul-coreano é de três a oito centímetros mais alto do que o norte-coreano. No Brasil, segundo dados de IBGE de 2008 e 2009, o homem adulto tem altura média de 1,72 e a mulher adulta média, 1,60 metro. O país ocupa a 79ª posição do IDH.

Apesar da relação, apresentada por Komlos, entre estatura média e desenvolvimento econômico e social de um país, em alguns países industrializados a média parou de aumentar. Nos Estados Unidos, a média se estabilizou em 1,76 metro para os homens e 1,63 para as mulheres. Para Komlos, essa estagnação se deve ao acesso desigual à boa alimentação e aos serviços de saúde norte-americanos.

O pesquisador acredita que a Humanidade provavelmente já atingiu sua altura média máxima. “Os holandeses são, para mim, o exemplo máximo que a população humana pode chegar”, afirma.

Aceitação da poligamia dobra nos EUA

domingo, 31 de Maio de 2015

timthA aceitação da poligamia dobrou nos EUA nos últimos 15 anos. A prática ainda é defendida por uma minoria, mas o aumento dos que a consideram aceitável nos EUA impressiona. O apoio ao matrimônio plural subiu de 7% em 2001 para 16% atualmente.

Aceitação da poligamia dobra nos EUA

domingo, 31 de Maio de 2015

.
timthA última pesquisa de opinião da empresa Gallup, nos EUA, mostra que o país está se afastando cada vez mais do conservadorismo e abraçando ideias liberais em questões sociais. Não é apenas o apoio ao casamento gay que está subindo rapidamente: a aprovação a pais solteiros subiu de 45% em 2001 para 61% em 2015, o divórcio de 59% para 71% e o sexo antes do casamento de 53% para 68% no mesmo período.

Leia tambem: Poligamia, causas consequências e curiosidades

A aprovação do suicídio assistido por médicos subiu sete pontos, e o apoio a pesquisas que destroem embriões humanos aumentou 12%, dando a ambas as práticas o apoio de uma maioria no país.

Mais surpreendentemente, a aceitação da poligamia dobrou nos EUA nos últimos 15 anos. A prática ainda é defendida por uma minoria, mas o aumento dos que a consideram aceitável nos EUA impressiona. O apoio ao matrimônio plural subiu de 7% em 2001 para 16% atualmente. A poligamia avança na esteira do liberalismo social, mas ainda tem um longo caminho a trilhar para se tornar consenso.

Se a prática será legalizada algum dia, seguindo os passos do casamento gay, é uma pergunta interessante. Muitos conservadores argumentam que ela irá se tornar legal, graças ao modelo agora ascendente do casamento como um contrato romântico de gênero neutro e facilmente dissolvido, de modo que não há nenhum motivo sério para limitar o número de pessoas que queiram se casar. E os conservadores têm um histórico muito bom (o prêmio de consolação da sua derrota cultural), quando se trata de prever como a lógica do individualismo expressivo se desenrola.

PGR tem novo indício da participação de Cunha na Lava Jato

domingo, 31 de Maio de 2015

images_cms-image-000437420Investigadores da Operação Lava Jato vão usar como prova contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, a informação de que a sua senha digital particular e a da ex-deputada Solange Almeida  estavam ativas no momento em que foram criados dois requerimentos  usados para achacar uma fornecedora da Petrobras.

PGR tem novo indício da participação de Cunha na Lava Jato

domingo, 31 de Maio de 2015

.
images_cms-image-000437420Investigadores da Operação Lava Jato vão usar como prova contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a informação de que a sua senha digital particular e a da ex-deputada Solange Almeida (PMDB-RJ) estavam ativas no momento em que foram criados dois requerimentos que pedem informações sobre auditorias em contratos da Petrobras com a Mitsui; investigadores conseguiram um histórico detalhado de todas as vezes que a senha pessoal e intransferível de Cunha apareceu naquele período como “logada” no sistema digital da Câmara; indício reforça suspeita de participação do presidente da Câmara no esquema de corrupção da Petrobras; Eduardo Cunha acusou o procurador geral da República, Rodrigo Janot, de ter uma “querela pessoal” contra ele

Investigadores da Operação Lava Jato vão usar como prova contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a informação de que a sua senha digital particular e a da ex-deputada Solange Almeida (PMDB-RJ) estavam ativas no momento em que foram criados dois requerimentos suspeitos de terem sido usados para achacar uma fornecedora da Petrobras.

 

Fonte: Brasil 247

Planalto tenta conter ataques do PT contra Levy

domingo, 31 de Maio de 2015

images_cms-image-000437409O Palácio do Planalto iniciou uma ofensiva para conter a hostilidade contra o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, no 5º Congresso do PT, que ocorrerá em Salvador (BA). Ministros petistas pediram cautela nas manifestações anti-Levy durante o evento.

Planalto tenta conter ataques do PT contra Levy

domingo, 31 de Maio de 2015

Por que estamos ficando mais altos?

domingo, 31 de Maio de 2015

timthuNos últimos 150 anos, a estatura média humana aumentou até dez centímetros nos países industrializados. John Komlos, professor da Universidade de Munique, na Alemanha, estuda os fatores que influenciam na variação da estatura média de uma população.

Chico Buarque sai em defesa do PT

quinta-feira, 28 de Maio de 2015

timthu“Sempre soube que o problema deste país é a miséria, a desigualdade. O PT não resolveu tudo, mas conseguiu atenuar. Isso é inegável. O PT tem melhorado as condições de vida da população mais pobre”, disse Chico Buarque.

Chico Buarque sai em defesa do PT

quinta-feira, 28 de Maio de 2015

.
timthuAcabei de ler uma matéria do cantor, compositor e escritor Chico Buarque falando que a oposição tem medo da volta do Lula (clique aqui). Segundo Chico Buarque:

“….Mas sempre soube que o problema deste país é a miséria, a desigualdade. O PT não resolveu tudo, mas conseguiu atenuar. Isso é inegável. O PT tem melhorado as condições de vida da população mais pobre”.

Isso é verdade. Mas muito dessas políticas que reduziram desigualdades na era PT puderam ser turbinadas graças ao boom de commodities e reformas anteriores ao PT. O que Chico não fala é que ao mesmo tempo em que adotou políticas para redução de pobreza e desigualdades, o PT, a partir de 2008, começou a adotar um conjunto de políticas que nos levou a um baixo crescimento que continuará ao longo do segundo governo Dilma, com impacto negativo na redução da pobreza e desigualdade.

No mais, as principais políticas sociais antecedem o governo do PT, mas é claro que o PT expandiu o Bolsa Família, mas também o Bolsa Empresário e criou uma desequilíbrio fiscal enorme. O problema das criticas ao PT, pelo menos no meu caso, tem a ver não com a política social, mas sim com a política econômica. E não teremos condições  externas tão favoráveis como aquelas que, no governo Lula,  se traduziram em um crescimento do preço de nossas exportações de mais de 150% em relação a 1999, segundo a FUNCEX.

Ou seja, no período Lula, foi possível mais do que duplicar as exportações do Brasil apenas pelo efeito de aumento expressivo dos preços de nossas exportações. Nenhum governo ganhará novamente esse maná dos Deuses e, sem um conjunto de reformas microeconômicas, teremos mais de uma década de crescimento medíocre. Assim, o único medo do Lula é ele achar que tudo que aconteceu de 2003 a 2010 decorreu da política do seu governo, com muitos gostam, de forma equivocada, repetir.

Leia o trecho da entrevista onde Chico fala de política

P. O senhor sempre teve uma posição política clara e explícita. Se opôs à ditadura e apoiou Lula e Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores.

R. Sempre me perguntam quando há eleições. Eu tomo partido e não tenho qualquer problema em declarar isso. Sempre apoiei o PT, agora a Dilma Rousseff e antes o Lula. Apesar de não ser membro do partido, de ter minhas desavenças e de votar em outros candidatos e outros partidos em eleições locais. Mas sempre soube que o problema deste país é a miséria, a desigualdade. O PT não resolveu tudo, mas conseguiu atenuar. Isso é inegável. O PT tem melhorado as condições de vida da população mais pobre.

*Mansueto Almeida é economista do Ipea e titular do Blog do Mansueto

P. E como o senhor vê a situação atual?

R. Muito confusa, não há nenhuma maneira de saber o que vai acontecer nos próximos anos. A crise econômica é forte. É preciso tomar certas medidas impopulares. Ao mesmo tempo, a oposição é muito dura. E depois há uma onda de manifestações nas ruas que, na minha opinião, não têm um objetivo concreto ou claro. Entre aqueles que saem às ruas há de tudo, incluindo loucos pedindo um golpe militar. Outros querem acabar com o Partido dos Trabalhadores, querem enfraquecer o Governo para que, em 2018, o PT chegue desgastado nas eleições. O alvo não é a Dilma, mas o Lula; têm medo que Lula volte a se candidatar.

P. E, para terminar: como se vive sabendo que é o homem mais desejado do país?

R. Isso já faz muito tempo.

O que vai sobrar? Até tu, FIFA?

quinta-feira, 28 de Maio de 2015

tijjjAbro o site do Globo e vejo: manchete do dia: “Operação prende sete dirigentes da FIFA e indicia mais oito por corrupção.” A vontade que dá é desligar o computador vestir a sunga ir para a praia e se mandar a nado para qualquer outro continente.

O que vai sobrar? Até tu, FIFA?

quinta-feira, 28 de Maio de 2015

.
Por Claudio Schamis
.
Abro o site do Globo e vejo: manchete do dia: “Operação prende sete dirigentes da FIFA e indicia mais oito por corrupção.” A vontade que dá é desligar o computador vestir a sunga ir para a praia e se mandar a nado para qualquer outro continente. Ou fazer da maneira mais fácil, embarcar no primeiro avião para o destino que for desde que seja para bem longe da América Latina.

fifa2-300x216Que eu sabia que a coisa não ia ficar limitada a Petrobras não era nenhuma novidade. Que a hora do Banco do Brasil deve estar chegando, do BNDES também sem nos esquecermos da Caixa Econômica Federal. Ainda mais na área das loterias. Mas a FIFA?

Não que eu morresse de amores pela entidade, mas não sei explicar, era algo que não me fazia parar minhas atividades do dia para ficar elucubrando se ali poderia ter algo de podre. Mas sim, existe. E a coisa vai começar a feder mais ainda quando forem investigar a questão do patrocínio da empresa esportiva que “cuida” da seleção.

Depois disso recorri ao livro “A vida íntima das palavras” de Deonísio da Silva e corri na leta “c” de corrupção; e me deparei com o seguinte: Corrupção: do latim corruptione, apodrecimento, decomposição. Foi incialmente aplicado ao fim que todos teremos após a morte. Etc…etc… e tal. O vocábulo designa também atos ilícitos, praticados sobretudo por políticos, os corrompidos, e empresários, os corruptores. Não satisfeito fui ao Dicionário Houaiss: substantivo feminino; deterioração, decomposição física de algo; putrefação, modificação, adulteração das características originais de algo. Depravação de hábitos, costumes; devassidão. Etc..etc… e tal.

É isso que estamos vivendo. É isso que somos. É isso que viramos. Vivemos num país em putrefação, em decomposição. A nossa crença no amanhã apodrece. Sonhos e expectativas de uma vida melhor, mais regrada, com qualidade de vida de país grande – somos realmente e definitivamente um paisinho de vocês sabem o quê – com Educação, Saúde, Segurança, Transporte e Saneamento funcionando em harmonia e para nós em completo apodrecimento.

Nem na área do esporte podemos mais extravasar todas as nossas frustrações de outras áreas, porque ela virou um campo de lama. E isso porque ainda não vi falarem de verdade das obras feitas para termos recebido a Copa do Mundo 2014.

E não vai ser com Gelol que vai passar.

Enquanto isso no BNDES…

A presidente Dilma vetou o fim do sigilo no BNDES – aí tem coisa – alegando que o banco já divulga em transparência ativa – se for a transparência do PT, lascou-se – diversas informações a respeito de suas operações e que isso prejudicaria competitividade de empresas. E é realmente a mentalidade do seu partido, o PT, quanto menos informações forem dadas, melhor. Para o PT menos é mais.

Só que o STF na figura do relator o ministro Luiz Fux que disse: “Por mais que se diga que o segredo é a alma do negócio, quem contrata com o poder público não pode ter segredos.”, determinou que o BNDES detalhe ao Tribunal de Contas da União (TCU) as operações financeiras – nesse caso – de R$ 7,5 bilhões com o JBS, leia-se Friboi. Agora se isso não é detalhado, imagina todos os outros empréstimos do BNDES que é um banco público onde as empresas têm acesso a condições melhores de financiamento. Até porque quando se fala em muito dinheiro o santo desconfia. E se quando o santo é brasileiro essa desconfiança no mínimo dobra de tamanho.

Até porque acredito que o BNDES não vai assinar um cheque de milhões e, às vezes, bilhões, pelos simples belos olhos verdes de quem bate à sua porta.

E olha que já estava pensando em entrar nessa fila, pois sempre escutei que meus olhos verdes são lindos.

E a conta vai sobrar para quem?

Como parte do aperto fiscal também chegou para as instituições, que terão que pagar uma alíquota maior da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) que antes era de 15% e agora será de 20%, adivinhem quem irá pagar a conta?

Nós, você e eu. Ou vocês acham que os bancos cada vez mais famintos e cada vez mais tendo lucros bilionários como, por exemplo, o Itaú que lucrou R$ 5,7 bilhões no primeiro trimestre de 2015, vão olhar (também) para seus belos olhos verdes e não vão compensar esse aumento que eles tiveram através de aumento de tarifas  e elevação dos juros do cheque especial e de seus empréstimos?

No final das contas todo esse ajuste fiscal vai acabar de alguma forma no seu bolso. Pois todos os que sofrerem aumentos em seus custos vão sem sombra de dúvidas repassar tudo pra você. Tenha você olhos verdes ou não. É a lei da selva. Os mais fracos acabam sempre apanhando.

É isso o governo peca em gerir seu caixa, em controlar suas despesas e nós pagamos também por sua ineficiência.

E nem adianta colocar lentes de contato verdes que vocês já viram que não funciona.

Salve as baleias. Não jogue lixo no chão. Não fume em ambientes fechados.

Câmara aprova o fim da reeleição para cargos executivos

quinta-feira, 28 de Maio de 2015

961340-img20150527182196606942O plenário da Câmara aprovou há pouco  por 452 votos a favor, 19 contra e 1 abstenção, o Artigo 3º do relatório do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) à proposta de emenda à Constituição (PEC) que trata da reforma política

Câmara aprova o fim da reeleição para cargos executivos

quinta-feira, 28 de Maio de 2015
.
Da Agência Brasil
 
.
Saiba Mais

961340-img20150527182196606942O plenário da Câmara aprovou há pouco  por 452 votos a favor, 19 contra e 1 abstenção, o Artigo 3º do relatório do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) à proposta de emenda à Constituição (PEC) que trata da reforma política. O dispositivo aprovado acaba com a releição para os cargos executivos. Todos os partidos orientaram pelo fim da reeleição

Como a reforma política está sendo tratada em PEC, o fim da releição precisa ainda ser aprovado em segundo turno na Câmara para depois ser apreciado, também em duas votações, pelo Senado.

A proposta aprovada não se aplica aos prefeitos eleitos pela primeira vez em 2012 e aos governadores também eleitos pela primeira vez em 2014, nem a quem os suceder nos seis meses anteriores ao pleito. Ela não cabe à presidente Dilma Rousseff,  porque, já reeleita, não poderá se candidatar em 2018.

Após a votação, o presidente da Câmara. Eduardo Cunha (PMDB-RJ) encenrrou a sessão. Nesta quinta-feira, a partir das 12 horas, os deputados continuam a votar a reforma política.

“Lindbergh tenta construir conflito onde não existe”

quarta-feira, 27 de Maio de 2015

images_cms-image-000436843“Acho que o senador está tentando construir conflito onde não existe”, disse Dilma. Ela também minimizou a divergência do petista sobre o ajuste fiscal. “A gente não pode tomar a parte pelo todo. O senador é responsável pela sua compreensão do processo, o PT jamais externou esse tipo de posição”

“Lindbergh tenta construir conflito onde não existe”

quarta-feira, 27 de Maio de 2015

Marta Suplicy festeja decisão do STF de não punir senadores por troca de partido

quarta-feira, 27 de Maio de 2015

marta1O STF decidiu por unanimidade que prefeitos, governadores, senadores e presidente da República não perderão o mandato caso escolham mudar de partido. A senadora Marta Suplicy que saiu do PT, comemorou o parecer da Corte.

Marta Suplicy festeja decisão do STF de não punir senadores por troca de partido

quarta-feira, 27 de Maio de 2015

.
marta1O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu por unanimidade, nesta quarta-feira (27), que prefeitos, governadores, senadores e presidente da República não perderão o mandato caso escolham mudar de partido. A senadora Marta Suplicy (sem partido-SP), que anunciou a saída do PT há um mês, comemorou o parecer da Corte.

O Supremo considerou inconstitucional o modelo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de aplicar as mesmas regras para políticos eleitos pelo sistema majoritário, como a senadora Marta, e candidatos eleitos em pleitos proporcionais (vereadores, deputados federais e estaduais).

A Corte do STF considera uma “violação da soberania popular” punir ocupantes de cargos majoritários com a perda de mandato. Marta elogiou o julgamento e declarou orgulho em ser brasileira. “O Brasil tem sólidas instituições. A histórica decisão do Supremo Tribunal Federal, referendando que na eleição majoritária deve se respeitar a soberania popular e as escolhas dos eleitores, coloca fim a polêmicas, prevalecendo o principal instrumento da democracia: o voto. Emocionada, orgulho de ser brasileira!”, afirma a parlamentar.

O Partido dos Trabalhadores reivindicou no TSE o mandato de Marta por infidelidade partidária, alegando que “as reais razões da saída se devem à ambição política da senadora e a um oportunismo eleitoral”. A paulista rebateu a ação petista e acusou o PT de ter traído seus princípios éticos e programáticos.

“Se alguém traiu alguém, eu pergunto a vocês: quem traiu quem? Eu saí do Partido dos Trabalhadores por alguns motivos: pela traição do partido aos princípios pelos quais eu ingressei nesse partido”, disse a parlamentar.

 

Fonte: Congresso em Foco

EUA afirmam haver indícios de suborno em contratos da CBF

quarta-feira, 27 de Maio de 2015

fifa_0Segundo as autoridades norte-americanas, durante as investigações foram encontrados indícios de práticas ilícitas em outros países. No Brasil, as suspeitas recaem sobre contratos de patrocínio e de transmissão da Copa do Brasil assinados pela CBF.

EUA afirmam haver indícios de suborno em contratos da CBF

quarta-feira, 27 de Maio de 2015
.
Da Agência Brasil
.
fifa_0A investigação da Justiça dos Estados Unidos vai além da suposta participação de dirigentes da Federação Internacional de Futebol (Fifa) e empresários em uma possível fraude na escolha dos países-sede das duas próximas Copas do Mundo (Rússia, 2018, e Catar, 2022).

Segundo as autoridades norte-americanas, durante as investigações foram encontrados indícios de práticas ilícitas em outros países. No Brasil, as suspeitas recaem sobre contratos de patrocínio e de transmissão da Copa do Brasil assinados pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Conforme um comunicado divulgado hoje (27), pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, “o outro esquema investigado” – além do que apura suspeita de irregularidades na escolha de Rússia e Catar para sediar a Copa do Mundo em 2018 e 2022, respectivamente – está relacionado ao pedido e recebimento de subornos e propinas por autoridades do futebol e executivos de marketing esportivo durante as negociações sobre o direito de transmissão de campeonatos. Entre os eventos citados nominalmente está a Copa do Brasil, campeonato organizado pela CBF e disputado entre clubes de todo o país em sistema eliminatório. A nota também menciona o “pagamento e recebimento de subornos e propinas em conexão com o patrocínio da CBF por uma grande empresa de sportswear dos EUA”. Atualmente, a patrocinadora oficial da CBF é a Nike.

>> Acompanhe aqui a cobertura da Agência Brasil sobre a investigação na Fifa

Os nomes de três brasileiros constam da relação de investigados divulgada pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos. Além do ex-presidente da CBF, José Maria Marin, detido esta manhã, em Zurique, Suíça, são citados o empresário José Hawilla, dono da Traffic Group, e José Margulies, dono de empresas de transmissão de eventos esportivos.

A reportagem não conseguiu conversar com nenhum dos representantes da CBF sobre as suspeitas de irregularidades nos contratos de patrocínio e de transmissão da Copa do Brasil. Em nota divulgada no final da manhã de hoje, a CBF informou que apoia “integralmente” as investigações das autoridades policiais dos Estados Unidos e da Suíça.

Durante entrevista coletiva em Nova York, esta manhã, as autoridades norte-americanas revelaram que o esquema pode ter movimentado mais de US$ 150 milhões em subornos e propinas. Mais seis dirigentes da Fifa, além de José Maria Marin, foram detidos hoje, em Zurique. São eles: o caimanês Jeffrey Webb, o costarriquenho Eduardo Li, o nicaraguense Julio Rocha, o inglês Costas Takkas, o uruguaio Eugenio Figueredo e o venezuelano Rafael Esquivel.

A detenções ocorreram em um hotel onde os dirigentes da Fifa estão reunidos para participar de um congresso da entidade, durante o qual será escolhido, nesta sexta-feira (29), o próximo presidente. Atual mandatário, Joseph Blatter busca seu quinto mandato e é apontado como favorito para vencer a eleição.

Mais cedo, o diretor de comunicação da Fifa, Walter de Gregório, garantiu que a eleição e as escolhas da Rússia e do Catar para sediar as duas próximas Copas do Mundo estão mantidas. Gregório acrescentou que Blatter não é alvo da investigação norte-americana.

Senado aprova MP que muda regras do cálculo do fator previdenciário

quarta-feira, 27 de Maio de 2015

961352-18175112971_05c660bffa_oO plenário do Senado aprovou a Medida Provisória 664, que estabelece mudanças nas regras para acesso à pensão por morte e auxílio-doença. A MP recebeu emenda que também modifica as regras do fator previdenciário.

Senado aprova MP que muda regras do cálculo do fator previdenciário

quarta-feira, 27 de Maio de 2015

.
961352-18175112971_05c660bffa_oO plenário do Senado aprovou a Medida Provisória (MP) 664, que estabelece mudanças nas regras para acesso de cônjuges de trabalhadores à pensão por morte e auxílio-doença. Na Câmara, a MP recebeu emenda que também modifica as regras do fator previdenciário, estabelecendo o cálculo chamado de 85/95.

Por essa nova fórmula, que tem o apoio da maioria dos senadores, as mulheres poderão se aposentar recebendo o valor integral de seus salários – obedecido o teto de R$ 4.663,75 da Previdência Social – quando a idade e o tempo de contribuição somarem 85 anos. Os homens terão o mesmo direito quando a soma for equivalente a 95 anos. Assim, uma mulher com 55 anos, que tenha alcançado os 30 anos de contribuição, poderá requerer a aposentadoria integral. Atualmente, ela precisa ter pelo menos 60 anos de idade e o homem 65 anos e trabalhar 35 anos.

Pelo texto aprovado na Câmara e que foi mantido no Senado, no caso da pensão por morte, a MP exige o tempo mínimo de dois anos de casamento ou união estável e pelo menos 18 meses de contribuição para que o cônjuge ou companheiro tenha direito ao benefício. O relatório do deputado Carlos Zarattini (PT-SP) também alterou a proposta original que estabelecia uma cota familiar e dava direito a 50% da pensão para o cônjuge e mais 10% para cada dependente, até no máximo de cinco. No texto do relator, o pagamento da pensão voltou a ser integral.

Em relação ao auxílio-doença, o texto mantém a obrigação de a empresa pagar ao seu empregado o salário durante os primeiros 30 dias de afastamento, o dobro do que prevê a atual legislação.

A votação no Senado levou cerca de cinco horas e passou pela apresentação de diversos requerimentos que propunham modificações no texto. Todos eles foram rejeitados por orientação do governo à base, porque a MP corria o risco de perder a validade por decurso de prazo se fosse alterada e precisasse retornar à Câmara dos Deputados.

Ao longo de toda a tarde, os deputados da oposição pressionaram o líder do governo, senador Delcídio do Amaral (PT-MS) para que a presidenta Dilma Rousseff assumisse o compromisso público de não vetar o trecho que trata das mudanças no fator previdenciário. Delcídio, no entanto, não fechou questão sobre o assunto.

“Durante esta sessão, já perguntei duas ou três vezes aos líderes do governo – não obtive resposta até este instante – se há um compromisso da presidente Dilma Rousseff de não vetar aquilo que for aprovado pelo Senado”, disse o líder do PSDB, Cássio Cunha Lima (PB), que orientou a bancada a votar contra a MP.

O líder do governo no Senado, entretanto, pediu que os senadores votassem o texto sem fazer conjecturas sobre a possibilidade de veto. Ele se comprometeu a negociar a sanção integral da matéria com a presidenta Dilma, mas não garantiu que isso acontecerá.

“O entendimento nosso é de encaminhar à presidenta a pertinência dessa proposta relativa ao fator previdenciário, que não acabou. É uma outra formatação que foi apresentada e, inclusive, motivo de um destaque na Câmara dos Deputados. Agora, se a gente começar a fazer conjecturas, se veta, se não veta, qual vai ser o procedimento… Isto aqui é o Senado da República; nós vamos votar em cima do mérito do texto”.

No fim, o texto foi aprovado sem alterações por 50 votos a favor, 18 contra e 3 abstenções. Votaram não os oposicionistas do PSDB e DEM, além dos senadores da base Cristovam Buarque (PDT-DF), Reguffe (PDT-DF) e Sérgio Petecão (PSD-AC). As abstenções foram do senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), Eduardo Amorim (PSC-SE) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP).

 

Da Agência Brasil

 

Juros chegam ao recorde de 56,1% ao ano em abril, informa o BC

quarta-feira, 27 de Maio de 2015

ÍndiceA taxa média de juros do crédito para as famílias subiu em abril, de acordo com dados do Banco Central (BC). De março para o mês passado, a alta chegou a 1,7 ponto percentual, com a taxa de 56,1% ao ano, a mais alta da série histórica do BC, iniciada em março de 2011.

Juros chegam ao recorde de 56,1% ao ano em abril, informa o BC

quarta-feira, 27 de Maio de 2015

.
ÍndiceA taxa média de juros do crédito para as famílias subiu em abril, de acordo com dados do Banco Central (BC), divulgados hoje (27). De março para o mês passado, a alta chegou a 1,7 ponto percentual, com a taxa de 56,1% ao ano, a mais alta da série histórica do BC, iniciada em março de 2011.

A inadimplência, considerados atrasos superiores a 90 dias, teve leve alta de 0,1% e ficou em 5,3% para as pessoas físicas.

A taxa de juros mais alta na pesquisa do BC é a do rotativo do cartão de crédito, que subiu 1,7 ponto percentual para 347,5% ao ano. A taxa média das compras parceladas com juros, do parcelamento da fatura do cartão de crédito e dos saques parcelados subiu 3,1 pontos percentuais para 114,6% ao ano.

A taxa do cheque especial chegou a 226% ao ano, em abril, com alta de 5,6 pontos percentuais. Já a taxa do crédito consignado (com desconto em folha de pagamento) chegou a 26,9% ao ano.

A taxa média do crédito para as empresas subiu 0,1 ponto percentual, para 26,6% ao ano. A inadimplência das empresas subiu 0,2 ponto percentual, para 3,9%.

Esses dados são do crédito livre, em que os bancos têm autonomia para aplicar o dinheiro captado no mercado e definir as taxas de juros.

No caso do direcionado (empréstimos com regras definidas pelo governo, destinados, basicamente, aos setores habitacional, rural e de infraestrutura), a taxa de juros do crédito para as empresas subiu 0,6 ponto percentual para 9% ao ano. No caso das famílias, houve redução de 0,1 ponto percentual, com taxa em 8,4% ao ano.

A inadimplência do crédito direcionado subiu 0,1% tanto para empresas (0,7%) quanto para pessoas físicas (1,9%).

O saldo das operações de crédito no país chegou a R$ 3,061 trilhões, em abril, com crescimento de 0,1% no mês e 10,5% em 12 meses. No ano, a expansão ficou em 1,4%.

 

Da Agência Brasil

FBI investigará as copas do Mundo realizadas na África do Sul e no Brasil

quarta-feira, 27 de Maio de 2015

04770592“Em 2004, começou a campanha para a escolha da sede do Mundial de 2010, que acabou por ser atribuído à África do Sul, a primeira vez que o continente africano acolhia o torneio. Até para este evento histórico, dirigentes da Fifa e outros corromperam todo o processo recorrendo a subornos para influenciar a escolha do anfitrião”, denunciou Loretta Lynch.

FBI investigará as copas do Mundo realizadas na África do Sul e no Brasil

quarta-feira, 27 de Maio de 2015

.
Da Agência Brasil
.
04770592O FBI – a Polícia Federal dos Estados Unidos – investiga um esquema de suborno sobre as escolhas das Copas do Mundo realizadas na África do Sul, em 2010, e a do Brasil, em 2014. A procuradora-geral dos Estados Unidos, Loretta Lynch, não deu detalhes sobre a escolha do Brasil como sede, mas disse que as investigações apontam o pagamento de suborno e de propina em negociações de grandes campeonatos nos últimos 24 anos. Os valores ultrapassam US$ 150 milhões.

“Em 2004, começou a campanha para a escolha da sede do Mundial de 2010, que acabou por ser atribuído à África do Sul, a primeira vez que o continente africano acolhia o torneio. Até para este evento histórico, dirigentes da Fifa e outros corromperam todo o processo recorrendo a subornos para influenciar a escolha do anfitrião”, denunciou Loretta Lynch.

Sobre a Copa de 2010, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos afirmou que investiga 25 oficiais da Fifa e um funcionário do comitê da Copa do Mundo da África do Sul. Também estão sendo investigadas pessoas e entidades de outros países que participaram nas negociações deste Mundial e de outros.

Em tom mais agressivo, Richard Weber, diretor do Internal Revenue Service (IRS), equivalente à Receita Federal dos Estados Unidos, definiu o torneio da Copa do Mundo como “fraude” e disse que a Fifa “levou cartão vermelho”.

Nove dirigentes ou ex-dirigentes e cinco parceiros da Fifa foram indiciados pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, acusados de conspiração e corrupção desde 1991.

O brasileiro José Maria Marin está entre os detidos na Suíça por corrupção na Fifa

O brasileiro José Maria Marin está entre os detidos na Suíça por corrupção na Fifa

Entre os acusados estão Jack Warner, antigo presidente da Confederação Norte-Americana de Futebol (Concacaf); dois vice-presidentes da Fifa; o uruguaio Eugenio Figueredo e Jeffrey Webb, das Ilhas Cayman, assim como o paraguaio Nicolás Leoz, ex-presidente da Confederação da América do Sul (Conmebol).

Os outros dirigentes indiciados são o brasileiro José Maria Marín, o costa-riquenho Eduardo Li, o nicaraguense Júlio Rocha, o venezuelano Rafael Esquivel e Costas Takkas, das Ilhas Cayman.

>> Acompanhe aqui a cobertura da Agência Brasil sobre a investigação na Fifa

Dilma defende Levy e diz que Lindbergh “equivoca-se bastante” ao criticar equipe

quarta-feira, 27 de Maio de 2015

imagesA presidenta Dilma Rousseff rebateu  as críticas do senador Lindbergh Farias (PT-RJ) ao ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e disse que o parlamentar “equivoca-se bastante” ao questionar a composição da equipe econômica do governo.

Dilma defende Levy e diz que Lindbergh “equivoca-se bastante” ao criticar equipe

quarta-feira, 27 de Maio de 2015

.
Da Agência Brasil
.
imagesA presidenta Dilma Rousseff rebateu hoje (27) as críticas do senador Lindbergh Farias (PT-RJ) ao ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e disse que o parlamentar “equivoca-se bastante” ao questionar a composição da equipe econômica do governo.

Lindbergh defendeu maior protagonismo do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, nas decisões econômicas, com o fortalecimento da ala desenvolvimentista do governo. Na semana passada, o senador chegou a pedir a demissão do ministro Levy.

“Acho que o senador Lindbergh Farias equivoca-se bastante quando faz essa diferenciação entre o ministro Joaquim Levy e o ministro Nelson Barbosa. Eles têm uma posição de unidade em torno do ajuste fiscal. Acho que o senador está tentando construir conflito onde não existe. As posições do Joaquim Levy e do Nelson Barbosa no governo são extramente estáveis. Nunca houve, desde o momento que eles assumiram as suas funções, nenhum problema com eles”, disse a presidenta, em entrevista na Cidade do México, antes de participar de uma cerimônia no Congresso do país.

Segundo Dilma, Levy é um ministro “dedicado, batalhador e trabalhador”.

A presidenta minimizou a divergência com o senador e disse que a posição de Lindbergh não é unânime no PT. “A gente não pode tomar a parte pelo todo. O senador é responsável pela sua compreensão do processo, o PT jamais externou esse tipo de posição”.

Ontem (26), durante a votação da Medida Provisória 665, que endureceu as regras para acesso ao seguro-desemprego, seguro-defeso e abono social, três senadores petistas votaram contra o governo: Lindbergh Farias, Walter Pinheiro (PT-BA) e Paulo Paim (PT-RS).

STF exige que BNDES detalhe empréstimos feitos ao Grupo JBS/Friboi

quarta-feira, 27 de Maio de 2015

timthumbAs operações financeiras entre o BNDES e o grupo JBS/Friboi, no valor de R$ 7,5 bilhões, estão sendo analisadas pelo Supremo Tribunal Federal. O tribunal requisitou informações ao banco, que devem ser repassadas ao Tribunal de Contas da União para a realização de uma auditoria.

STF exige que BNDES detalhe empréstimos feitos ao Grupo JBS/Friboi

quarta-feira, 27 de Maio de 2015

.
timthumbAs operações financeiras entre o BNDES e o grupo JBS/Friboi, no valor de R$ 7,5 bilhões, estão sendo analisadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O tribunal requisitou informações ao banco, que devem ser repassadas ao Tribunal de Contas da União (TCU) para a realização de uma auditoria. O banco federal sempre se recusou a repassar dados, alegando que isso violaria o sigilo bancário do grupo.

Leia também: ‘BNDES é o maior credor dos magnatas brasileiros’, diz ‘FT’

Os ministros do STF pediram as informações sob alegação de que o BNDES faz uso de dinheiro público e por isso precisa ser fiscalizado. A decisão abre precedente para que outros processos tenham o mesmo resultado.

Derrota para Dilma

Na última sexta-feira, 22, a presidente Dilma Rousseff vetou um projeto de lei que proibia o sigilo para empréstimos e operações financeiras realizadas pelo BNDES. O julgamento da ação foi feito na primeira turma do tribunal e três dos quatro ministros votaram a favor da requisição. O relator, Luiz Fux, defendeu que as operações feitas com dinheiro público não sejam sigilosas.

“Por mais que se diga que o segredo é a alma do negócio, quem contrata com o poder público não pode ter segredos, especialmente se a divulgação for necessária para o controle dos gastos dos recursos públicos”, disse Fux.

O BNDES acredita que o TCU não tem autoridade para pedir a quebra do sigilo bancário da empresa. O banco alega que o envio poderia prejudicar o desempenho da JBS/Friboi no mercado financeiro e por isso não enviou o saldo das operações de crédito e outros dados ao TCU. A defesa do banco afirma que é preciso “que seja estabelecida uma relação de mútua confiança entre o cliente e a instituição financeira”, logo não teria o dever de divulgar os dados sigilosos.