Arquivo de Abril de 2015

O pronunciamento que não aconteceu!

quinta-feira, 30 de Abril de 2015

tijjjNão sou vidente. Foi a própria presidente que mandou avisar: “Podem viajar que eu não falarei no dia 1º de Maio.” Mas como assim? Não vou poder ouvir sua voz antes da novela e em plena sexta-feira? Caramba, não me lembro de um presidente que não tenha feito suas firulas em seu discurso no Dia do Trabalho.

O pronunciamento que não aconteceu!

quinta-feira, 30 de Abril de 2015

.
Por Claudio Schamis
.
pronunciamento-300x195Não sou vidente. Foi a própria presidente que mandou avisar: “Podem viajar que eu não falarei no dia 1º de Maio.” Mas como assim? Não vou poder ouvir sua voz antes da novela e em plena sexta-feira? Caramba, não me lembro de um presidente que não tenha feito suas firulas em seu discurso no Dia do Trabalho. Como vou passar bem o meu fim de semana? Juro que não ia bater panela. Por incrível que pareça, a minha está com feijão, que consegui comprar parcelado. Estava contando com suas palavras amigas e reconfortantes que iriam fazer com que nosso fim de semana fosse mais feliz, e acredito que o seu também. A não ser que você, leitor, faça parte dos mais de 200 mil novos desempregados. Ohhh! É isso mesmo. Segundo a PNAD, a taxa de desemprego em março foi de (apenas) 7,4% . Vale dizer que a PNAD é mais precisa porque engloba em sua pesquisa mais de 3.500 municípios.

Mas não fiquem tristes. Se a Dilma não tem coragem de olhar para você, trabalhador, e falar, eu tenho. Poderia até me indignar de escrevê-lo, mas, como jornalista, tenho que ir atrás da notícia, da verdadeira, então aproveitei que minha diarista tem uma amiga que conhece um cara que é primo de outro cara que tem uma tia que conhece o “cara” do cafezinho que trabalha, vejam vocês, no Planalto. Prometi que daria um agrado e ele me conseguiu o que parece ser o esboço da íntegra do pronunciamento que a Dilma não tem coragem de fazer amanhã, 1º de maio.

Então coragem, meu povo, minha pova! São palavras fortes. Vale acrescentar que as partes riscadas foram preenchidas por mim mesmo. E posso garantir que devo ter acertado em cheio.

[voz em off] – Abre-se nesse momento a rede nacional de rádio e televisão para o pronunciamento oficial da Presidente Dilma Rousseff e dentro de 171 segundos assista capítulo inédito da série: “A culpa é das estrelas”.

Meus queridos brasileiros, minhas queridas brasileiras, ou seria, meus amigos, minhas amigas!

Hoje (dever-se-ia) comemorasse o dia do trabalhador. Você, trabalhador que está desempregado, não se sinta excluído dessa linda mensagem que tenho para falar.

Apesar de os números divulgados pelo IBGE, nós do governo e principalmente eu, quero dizer para você que estamos lutando a cada dia para domar esse leão. A culpa não é nossa. (A culpa é das estrelas). Como você deve ler e ouvir nos noticiários, o mundo está em crise. O planeta está em crise. A China está em crise. O Uzebequistão está em crise. Gabão está em crise. Até Togo está em crise. E não importa aqui se você nunca ouviu falar em alguns desses países, nem eu ouvi. Mas isso é para ilustrar – sabe o que é ilustrar, né? – para que você meu amigo, minha amiga, que a hora é de termos paciência. Sim, vamos esperar essa marolinha passar. Prometo que não será um tsunami. Se você faz parte desses que estão desempregados, acredite que tem uma luz no final do túnel, e posso garantir que não é um trem vindo na contramão. Se a renda real de você, trabalhador, caiu 2,8%, tenha paciência também. Você pode fazer várias substituições na sua alimentação. Eu até estou fazendo dieta. Não repararam que eu emagreci? Então, substitua a carne por frango, o caviar por ovo de codorna, o queijo suíço por mortadela. Comece a usar velas para iluminar sua casa. Você vai ficar até mais calmo com a luz bruxuleante que emana da chama que queima. Só cuidado com a vela, pois ainda estamos com uma pequena crise de água. Que vai passar. É também uma marola. Eu rezava que pudesse ser uma tsunami. – Aqui notei que há um certo trocadilho – Eu já até mandei um grupo de técnicos especializados em chuva para avaliar o sistema Cantareira. Eles ficarão o tempo que for necessário olhando para o céu para ver onde está o problema. Mas independentemente de qualquer coisa, me comprometo desde já a importar água de Israel e começar um Programa Minha Água Minha Sede. Além disso, vamos dar início ao PAC 5 que levará água encanada para quem ainda nem casa tem. Isso é um compromisso. E parafraseando Ruy Barbosa – falei bonito agora, quem escreveu esse discurso? Quero essa pessoa já na Secretaria de Educação – que disse aquela célebre frase: “Na vida tudo passa, até a uva passa”. Então, acredite.

Com relação ao seu emprego, tenha paciência, estamos vendo a questão da desoneração da folha de pagamento. Pode levar certo tempo, mas logo o Natal chega e você se der sorte pode conseguir um emprego extra natal. Não é legal isso?

Com relação à corrupção, estamos dispostos a ir até o fundo do poço, custe o que custar. E não vamos passar a mão na cabeça de ninguém. Quem fez será punido. Só não posso interferir na decisão do STF, que liberou empreiteiros para a prisão domiciliar. Não ficará pedra sobre pedra. Mas vamos pedir que a Polícia Federal que investigue uma coisa de cada vez. Vamos nos ater à Petrobras. Vamos deixar o BNDES, a Caixa Econômica Federal, O Banco do Brasil para depois, nem que seja no novo governo do PT, em 2018. Vou também investigar a fundo o pagamento de R$ 22,9 milhões feito por um comitê de minha campanha para uma gráfica que fica num endereço desativado. Se isso for culpa do estagiário, ele será demitido.

Com relação a mais um aperto dado pela Caixa Econômica Federal dificultando mais ainda o sonho da casa própria para o trabalhador comum, vou pedir paciência. E deixo aqui minha solidariedade. Estamos juntos, meu povo, minha pova.

Só que hoje, não é dia de falar de coisas ruins, é o seu dia, trabalhador, saia às ruas, vista vermelho que a cor do sangue que representa a vida. Sorria. Saia com sua família para passear pelos nossos parques, pelas praias. Esqueça um pouco o consumismo. Nada de shoppings, olhe para a natureza. Se encha de ar puro. Respire. Se abasteça de energia positiva, e vislumbre no horizonte uma nova era. O Brasil vai crescer. E com ele você vai crescer. Nós somos um país bom. Vejo potencial em cada um de vocês. Se eu pudesse contrataria cada um de vocês. Com ótimos salários. Prometo que ainda em meu governo teremos um salário mínimo no mínimo mais decente. É um compromisso que faço agora. E não é promessa de campanha. É promessa de quem recebeu o seu voto de confiança. Só peço um pouco de paciência.

Muito obrigada.

[voz em off] Desfaz-se nesse momento a rede nacional de rádio e televisão. E fique agora com as opções de filmes inéditos “A culpa é das estrelas”, “Antes só do que mal acompanhado”, ou “O piloto sumiu”.

Salve as baleias. Não jogue lixo no chão. Não fume em ambientes fechados.

“PT só ganha (votação) quando temos pena”, diz Cunha em jantar do PMDB

quinta-feira, 30 de Abril de 2015

Ed-CunhaNão ter dependido do PT e da oposição para ganhar a eleição de presidente da Casa, permitiu ao PMDB esse protagonismo político. É só olhar. É impressionante. Onde o PT vai, está todo mundo contra. No plenário… Impressionante. O PT não ganha uma votação.

“PT só ganha (votação) quando temos pena”, diz Cunha em jantar do PMDB

quinta-feira, 30 de Abril de 2015

.
Do Congresso em Foco
.
Ed-CunhaEm jantar que reuniu quase 50 deputados da bancada do PMDB, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), destacou o protagonismo de seu partido no Congresso e ironizou o PT. Segundo o jornal O Globo, Cunha disse aos colegas que “todo mundo” está contra a legenda da presidenta Dilma e que os petistas só vencem as votações na Câmara quando eles, os peemedebistas, têm pena.

“Muito bom ver essa bancada unida. É um bom momento para todos nós. Não ter dependido do PT e da oposição (para ganhar a eleição de presidente da Casa) permitiu ao PMDB esse protagonismo político. E nos deu a liberdade para fazer o que estamos fazendo. É só olhar. É impressionante. Onde o PT vai, está todo mundo contra. No plenário… Impressionante. O PT não ganha uma votação. Só quando a gente fica com pena na última hora”, afirmou o deputado, de acordo com relato do repórter Evandro Éboli.

Do jantar, realizado no apartamento do deputado Newton Cardoso Júnior (PMDB-MG), filho do ex-governador mineiro Newton Cardoso, participaram dois ministros de Dilma: o ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves, do Turismo, e o deputado licenciado Eliseu Padilha, titular da Secretaria de Aviação Civil.

Desde sua eleição para o comando da Câmara, em fevereiro, Eduardo Cunha impôs uma série de derrotas ao Planalto, a mais recente delas foi no projeto de regulamentação da terceirização. Toda a bancada petista votou contra a proposta, que passou pela Câmara e agora está em discussão no Senado.

Renan ao 247: é hora de um pacto urgente por emprego

quinta-feira, 30 de Abril de 2015

images_cms-image-000431774O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros, explicou a lógica de seus movimentos numa semana tensa, em que se reuniu com o ministro Joaquim Levy, para depois criticar o ajuste fiscal, e com sindicalistas, a quem prometeu combater a terceirização.

Renan ao 247: é hora de um pacto urgente por emprego

quinta-feira, 30 de Abril de 2015

FMI: Brasil deve ter em 2015 a pior desaceleração em mais de duas décadas

quarta-feira, 29 de Abril de 2015

esporte-futebol-estadio-arena-copa-natal-amazonia-20131212-50-originalO Brasil pode ter em 2015 a pior desaceleração da economia em mais de duas décadas, afirma o Fundo Monetário Internacional, que volta a recomendar que, mesmo com a atividade enfraquecida, a presidente Dilma Rousseff siga em frente com o ajuste fiscal e monetário.

FMI: Brasil deve ter em 2015 a pior desaceleração em mais de duas décadas

quarta-feira, 29 de Abril de 2015

.
Do Contas Abertas
.
esporte-futebol-estadio-arena-copa-natal-amazonia-20131212-50-originalO Brasil pode ter em 2015 a pior desaceleração da economia em mais de duas décadas, afirma o Fundo Monetário Internacional (FMI), que volta a recomendar que, mesmo com a atividade enfraquecida, a presidente Dilma Rousseff siga em frente com o ajuste fiscal e monetário, de acordo com um relatório divulgado nesta quarta-feira, chamado Perspectiva Econômica Regional: Hemisfério Ocidental.

A previsão dos economistas do FMI é de que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil vai encolher 1% em 2015, um dos piores desempenhos entre as principais economias mundiais. Para 2016, a expectativa é de uma recuperação moderada, com o PIB crescendo 1%. “O Brasil está passando por sua desaceleração mais grave em mais de duas décadas, mas terá de perseverar com os recentes esforços para conter o aumento da dívida pública e repor a confiança no quadro da política macroeconômica”, afirma o FMI no documento. Na reunião de primavera do Fundo, que terminou no último dia 19 em Washington, a diretora-gerente da instituição, Christine Lagarde, elogiou o ajuste na economia e ainda recomendou reformas estruturais no Brasil.

LEIA TAMBÉM:

Contas do governo têm o pior resultado no 1º trimestre em 17 anos

Brasil derruba resultado de montadoras

Economia dos EUA desacelera e cresce apenas 0,2% no 1º tri

O aperto na política fiscal que vem sendo conduzido pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, ajuda a enfraquecer a atividade no curto prazo, mas é “criticamente necessário” para conter a piora da dívida pública e restaurar a confiança dos agentes. “As autoridades agora têm pouca escolha a não ser apertar a política fiscal em meio a uma recessão”, afirma o documento. “O ajuste em curso no Brasil é fundamental para evitar a piora da dívida e restaurar a confiança na economia brasileira”, disse nesta quarta-feira, 29, o diretor do departamento para o Hemisfério Ocidental do FMI, Alejandro Werner, ao comentar o relatório.

A mesma análise vale para a alta de juros que vem sendo promovida pelo Banco Central para conter a inflação. O aperto na política monetária desde 2014 é adequado, afirma o documento do FMI. Mesmo com a elevação das taxas, o BC continua enfrentando a tarefa de reforçar a credibilidade do arcabouço de política monetária, já que a inflação persiste em patamar alto, ressalta o texto. A previsão do FMI é que o IPCA suba 8% este ano, acima dos 7,8% em um relatório divulgado pelo FMI durante a reunião de primavera. Para 2016, a previsão é de alta de 5,4%, abaixo dos 5,9% do documento anterior.

O FMI volta a afirmar que vários fatores estão contribuindo para o fraco desempenho da economia brasileira. Entre eles, a baixa confiança dos empresários, que por isso não investem. Além disso, o escândalo de corrupção na Petrobras é outro fator, que levou a petroleira e empresas do setor a cortarem investimentos e ainda contribui para aumentar a incerteza na economia. Pelo lado dos consumidores, o estudo do FMI ressalta que os brasileiros têm segurado os gastos, em meio à inflação alta, expectativa de piora do mercado de trabalho e com os bancos segurando o crédito.

Pelo lado externo, o FMI ressalta que o fim do boom das commodities no mercado internacional, com a desaceleração da economia da China, também contribui para esfriar a atividade no Brasil e em outros países da América Latina.

O FMI avalia que a desaceleração do Brasil e em outros países da América Latina, como o Chile, tem sido pior que o antecipado. As projeções de expansão do PIB brasileiro vêm sendo rebaixadas a cada novo documento divulgado pela instituição desde 2012.

(Com Estadão Conteúdo)

Economia reagirá se Congresso tiver mais clareza sobre ajuste fiscal, diz Levy

quarta-feira, 29 de Abril de 2015

958032-29042015-dsc_1058A economia voltará a crescer mais rapidamente se o Congresso Nacional tiver uma postura definida em relação ao ajuste fiscal, disse  o ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Em audiência pública na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados.

Economia reagirá se Congresso tiver mais clareza sobre ajuste fiscal, diz Levy

quarta-feira, 29 de Abril de 2015

.
Da Agência Brasil
.
958032-29042015-dsc_1058A economia voltará a crescer mais rapidamente se o Congresso Nacional tiver uma postura definida em relação ao ajuste fiscal, disse hoje (29) o ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Em audiência pública na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, ele cobrou mais clareza dos parlamentares em relação às propostas enviadas pelo governo.

“A vantagem de termos uma democracia é que ela tem mecanismos de autocorreção. A capacidade de resposta [da economia] vai acontecer à medida que as ações do Congresso forem claras”, destacou o ministro.

Levy ressaltou que o ajuste fiscal – com aumento de tributos e restrição a benefícios trabalhistas e a pensões – trará efeitos para a economia apenas no médio prazo. Ele cobrou também que os parlamentares discutam projetos importantes, como a simplificação do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e a reforma do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que poria fim à guerra fiscal.

“Esse é um jogo de médio prazo. Além de votar o ajuste fiscal, o Congresso tem de dar indicações como a reforma do PIS/Cofins e a unificação do ICMS. Essas são as ações que trarão segurança aos investimentos e permitirão criar empregos lá na frente”, disse.

De acordo com o ministro, o ajuste fiscal tem de ser permanente e tanto o governo quanto os parlamentares precisam estar vigilantes em relação à responsabilidade com os gastos públicos. “Não adianta fazer ajuste hoje e depois criar brechas e incertezas na capacidade fiscal do Estado. Uma lição do Brasil nos últimos anos é que a gente constrói em cima do que foi feito antes. A gente não desmantela, porque os riscos são altos e trazem intranquilidade.”

Em relação ao Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país), Levy disse que a economia se recuperará antes do fim do ano e ressaltou que alguns indicadores apontam para o fim da contração econômica nos próximos meses. “Acredito que devemos ver o PIB reagindo positivamente no fim do ano. Os indicadores de confiança se estabilizaram e, em alguns casos, subiram ligeiramente nas últimas semanas”, destacou.

Sobre a inflação para 2015, Levy disse que os preços subirão apenas no curto prazo por causa do ajuste em preços administrados, como combustíveis e energia. Segundo ele, a situação será diferente no próximo ano. “Quando se faz um ajuste de curto prazo, os preços sobem. Temos possibilidade de superar o ajuste com inflação mais baixa em 2016, quando os efeitos do realinhamento de preços estiverem presentes.”

De acordo com a última versão do Relatório de Inflação, divulgada em março, o Banco Central (BC) estima que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) encerre 2015 em 7,9%. No projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2016, o Ministério do Planejamento apresentou uma estimativa maior: 8,2%. No entanto, a equipe econômica esclareceu que a previsão ocorre com base na média das estimativas de mercado, não do BC.

STF arquiva recurso por impeachment de Dilma

quarta-feira, 29 de Abril de 2015

celsodemello_nelsonjr_STFMais antigo integrante da atual composição do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Celso de Mello arquivou um recurso apresentado por um cidadão contra o arquivamento do pedido de impeachment da presidenta Dilma pela Câmara.

STF arquiva recurso por impeachment de Dilma

quarta-feira, 29 de Abril de 2015

.
celsodemello_nelsonjr_STFMais antigo integrante da atual composição do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Celso de Mello arquivou, nesta quarta-feira (29), um recurso apresentado por um cidadão contra o arquivamento do pedido de impeachment da presidenta Dilma pela Câmara. Luís Carlos Crema entrou com mandado de segurança no STF depois que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), rejeitou a abertura de processo por crime de responsabilidade contra a petista.

Segundo o ministro, esse tipo de decisão compete exclusivamente à Câmara e não cabe ao Judiciário interferir. Celso de Mello citou precedentes do Supremo em mandados de segurança (MS 20941, 21754, 30672 e 32930) ao negar seguimento ao pedido de Crema.  O decano explicou que há entendimento firmado de que esse tipo de assunto não é passível de discussão pelo Supremo.

Em seu recurso, Luís Carlos Crema queria que o Supremo garantisse a ele o direito de recorrer ao plenário da Câmara contra a decisão de Cunha de arquivar dois pedidos de impeachment assinados por ele na condição de cidadão. O peemedebista argumentou que “somente deputados no exercício do mandato têm legitimidade para interpor recurso no âmbito desta Casa, a teor dos artigos 100, parágrafo 1º, e 226, inciso I, do Regimento Interno da Câmara dos Deputados”.

Leia a íntegra da decisão do ministro Celso de Mello

Celso de Mello ressaltou que compete à Presidência da Câmara aferir a “justa causa para a instauração de processo de ‘impeachment’”. O ministro argumentou, ainda, que a eventual interferência do Judiciário nesse caso seria uma “inaceitável nulificação” do próprio Legislativo.

Advogado, Luís Carlos Crema entrou, no dia 25 de fevereiro, com dois pedidos de impeachment contra Dilma por crime de responsabilidade e improbidade administrativa. No primeiro caso, ele usa como argumento a suspeita de que parte do dinheiro desviado da Petrobras foi utilizada pela campanha da presidenta em 2010. Na segunda ação, ele acusa a petista de “negligência” diante do esquema de corrupção na Petrobras.

 

Fonte: Congresso em Foco

Copom eleva taxa básica de juros para o maior nível em seis anos

quarta-feira, 29 de Abril de 2015

bcentral1Pela quinta vez seguida, o Banco Central reajustou os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) aumentou  a taxa Selic em 0,5 ponto percentual, para 13,25% ao ano.

Copom eleva taxa básica de juros para o maior nível em seis anos

quarta-feira, 29 de Abril de 2015

.
Da Agência Brasil
.
bcentral1Pela quinta vez seguida, o Banco Central (BC) reajustou os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) aumentou hoje (29) a taxa Selic em 0,5 ponto percentual, para 13,25% ao ano. O órgão manteve o ritmo do aperto monetário. Na reunião anterior, no início de março, a taxa também tinha sido reajustada em 0,5 ponto.

Em comunicado, o Banco Central informou que o aumento levou em conta as condições atuais da economia e dos preços. “Avaliando o cenário macroeconômico e as perspectivas para a inflação, o Copom decidiu, por unanimidade, elevar a taxa Selic em 0,5 ponto percentual, para 13,25% ao ano, sem viés”, destacou o texto.

Com o reajuste, a Selic chega ao maior percentual desde janeiro de 2009, quando estava em 13,75% ao ano. A taxa é o principal instrumento do BC para manter a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), sob controle. Oficialmente, o Conselho Monetário Nacional estabelece meta de 4,5%, com margem de tolerância de 2 pontos, podendo chegar a 6,5%. No entanto, o próprio BC admitiu no último Relatório de Inflação que o índice deverá encerrar 2015 em 7,9%.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA acumula 8,13% nos 12 meses terminados em março. De acordo com o boletim Focus, pesquisa semanal com instituições financeiras divulgada pelo BC, o IPCA encerrará 2015 em 8,25%. Este ano, a inflação está sendo pressionada pelos aumentos de preços administrados como energia e combustíveis.

Embora ajude no controle dos preços, o aumento da taxa Selic prejudica a economia, que atravessa um ano de recessão, com queda na produção e no consumo. De acordo com o boletim Focus, analistas econômicos projetam contração de 1,1% do Produto Interno Bruto (PIB, a soma dos bens e serviços produzidos pelo país) em 2015.

A taxa é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve como referência para as demais taxas de juros da economia. Ao reajustá-la para cima, o BC contém o excesso de demanda que pressiona os preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Quando reduz os juros básicos, o Copom barateia o crédito e incentiva a produção e o consumo, mas alivia o controle sobre a inflação.

Renan cobra posição de Dilma sobre terceirização

quarta-feira, 29 de Abril de 2015

images_cms-image-000431774O presidente do Senado cobrou que a presidente Dilma Rousseff expresse publicamente sua opinião sobre a proposta; “O que se quer nesse momento é que a presidente diga claramente o que ela pensa do projeto, da precarização, do direito do trabalhador.

Renan cobra posição de Dilma sobre terceirização

quarta-feira, 29 de Abril de 2015

Taxa de desemprego chega a 6,2% em março, a maior desde 2011

terça-feira, 28 de Abril de 2015

timthA taxa do desemprego no Brasil registrou sua terceira alta consecutiva, chegando a 6,2% no último mês de março. É a maior taxa para o mês desde março de 2011, quando ficou em 6,5%. Os dados foram revelados nesta terça-feira, 28, pela Pesquisa Mensal de Emprego, do IBGE.

Taxa de desemprego chega a 6,2% em março, a maior desde 2011

terça-feira, 28 de Abril de 2015

.
timthA taxa do desemprego no Brasil registrou sua terceira alta consecutiva, chegando a 6,2% no último mês de março. É a maior taxa para o mês desde março de 2011, quando ficou em 6,5%.

Os dados foram revelados nesta terça-feira, 28, pela Pesquisa Mensal de Emprego (PME), do IBGE. O comércio foi o setor que registrou o maior corte de postos de trabalho. Foram 83 mil postos a menos em comparação a fevereiro.

Para Maria Lucia Vieira, gerente do IBGE que coordenou a pesquisa, o aumento reflete uma tendência típica dos primeiros meses do ano, mas também sinaliza a crise econômica que afeta o país. “Nem todos que estão perdendo o emprego estão conseguindo se recolocar. Existe um efeito de dispensa de temporários e da conjuntura econômica”.

A pesquisa também aponta outro fator preocupante: a queda na renda média do trabalho. Em março deste ano, a renda média ficou em R$ 2.134,60, uma queda de 2,8% em relação a fevereiro, e de 3% em relação a março de 2014. A maior queda foi registrada em Salvador, – 6,8%. O Rio de Janeiro registrou queda de -2,8%.

“São pessoas recebendo salários ou remunerações menores. Pode ser que a pessoa que perdeu emprego agora receba menos em outra ocupação. Não temos como afirmar que é menor poder de barganha das pessoas, tanto o empregado com carteira quanto o sem carteira quanto o conta própria estão recebendo menos”, explica Maria Lucia.

Fontes: O Globo-Desemprego sobe para 6,2% em março, a maior taxa em 4 anos, e renda cai
Opinião&Notícia-Taxa de desemprego chega a 6,2% em março, a maior desde 2011

STF concede prisão domiciliar para executivos de empreiteiras da Lava Jato

terça-feira, 28 de Abril de 2015
.
Da Agência Brasil
.
alx_economia-sede-petrobras-rio-de-janeiro-20141212-005_originalA Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu hoje (28) liberdade a todos os executivos de empreiteiras presos  na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, em decorrência das investigações da Operação Lava Jato. Os ministros decidiram estender aos acusados os argumentos apresentados para liberar o presidente da UTC, Ricardo Pessoa.

Com a decisão, também serão soltos os executivos da OAS José Ricardo Nogueira Breghirolli, Agenor Franklin, Mateus Coutinho e José Aldemário Filho, além de Sérgio Mendes (Mendes Júnior), Gerson Almada (Engevix), Erton Medeiros (Galvão Engenharia) e João Ricardo Auler (Camargo Corrêa).

Em troca da concessão da liberdade, os investigados deverão cumprir medidas cautelares estabelecidas pelo Supremo. Eles serão monitorados por tornozeleira eletrônica, não poderão ter contato com outros investigados e deverão comparecer à Justiça a cada 15 dias. Todos estão proibidos de deixar o país e deverão entregar o passaporte.

Entre as obrigações do acusados, eles deverão ficar recolhidos em casa em período integral e deverão comparecer às audiências determinadas pelo juiz Sérgio Moro, marcada para as próximas semanas em Curitiba.

Para conceder o habeas corpus aos executivos, os ministros entenderam que a  prisão preventiva não pode ser aplicada como sentença antecipada, mesmo diante da gravidade dos crimes praticados.

Os executivos foram presos em novembro do ano passado, por determinação do juiz federal Sérgio Moro, com base em acusações colhidas em depoimentos de delação premiada do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa.

Segundo eles, os executivos pagavam propina a ex-diretores da estatal em troca de contratos para construção de obras.

Renan diz que ajuste fiscal prejudica o trabalhador

terça-feira, 28 de Abril de 2015

images_cms-image-000431530O ajuste fiscal tem que cortar no Estado, tem que fazer a reforma do Estado. Esse é um ajuste trabalhista. E como ajuste trabalhista, a presidente está tendo dificuldades de falar no 1º de Maio porque a conta não pode ir para o trabalhador”, disse.

Renan diz que ajuste fiscal prejudica o trabalhador

terça-feira, 28 de Abril de 2015

STF concede prisão domiciliar para executivos de empreiteiras da Lava Jato

terça-feira, 28 de Abril de 2015

alx_economia-sede-petrobras-rio-de-janeiro-20141212-005_originalA Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal concedeu liberdade a todos os executivos de empreiteiras presos  na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, em decorrência das investigações da Operação Lava Jato.

Terceirização: Temer minimiza divergência entre presidente da Câmara e do Senado

terça-feira, 28 de Abril de 2015

957684-28042015-dsc_9416Segundo Temer, não existe um desentendimento pessoal. “O Legislativo é um lugar de conflito nas mais variadas matérias. Muitas vezes, há certa divergência entre presidente da Câmara e do Senado. Mas isso se decide na votação.”

Terceirização: Temer minimiza divergência entre presidente da Câmara e do Senado

terça-feira, 28 de Abril de 2015

.
957684-28042015-dsc_9416O vice-presidente da República, Michel Temer, minimizou hoje (28) qualquer mal-estar provocado pela divergência entre os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha, e do Senado, Renan Calheiros, sobre a votação da Lei da Terceirização. O projeto foi aprovado na última semana pelos deputados e depende agora da aprovação dos senadores. Renan antecipou que é contrário à proposta.

Segundo Temer, não existe um desentendimento pessoal. “O Legislativo é um lugar de conflito nas mais variadas matérias. Muitas vezes, há certa divergência entre presidente da Câmara e do Senado. Mas isso se decide na votação.”

O vice-presidente está na Câmara para falar, como presidente do PMDB, sobre a posição do partido em relação à Reforma Política e se mostrou otimista em relação à divergência. Temer garantiu que a divergência provocada pelo projeto de lei da terceirização não afetou internamente a legenda. “O PMDB sempre foi um partido de muitas opiniões e sempre cuidamos de juntar essas opiniões. É o que estamos fazendo agora. Não tenho nenhuma preocupação quanto a isto”, afirmou.

Temer afirmou ainda que as negociações sobre as medidas provisórias que integram a estratégia do governo de fazer um ajuste fiscal está avançando positivamente. Segundo ele, o governo terá que dialogar, mas os acordos, nesta fase, estão “bem encaminhados”. “Acho que vamos conseguir. Estive recentemente em Portugal e na Espanha e verifiquei que o ajuste fiscal deu ótimos resultados como vai acontecer no Brasil”, completou.

 

Fonte: Agência Brasil

Marta Suplicy deixa o PT e diz que não tem como conviver com corrupção

terça-feira, 28 de Abril de 2015

927940-cultura__12A senadora Marta Suplicy (SP) entregou  sua carta de desfiliação do  PT, na qual alega que “não tem como conviver” com os escândalos de corrupção envolvendo o partido. O diretório municipal de São Paulo do PT confirmou que a carta já foi entregue ao partido.

Marta Suplicy deixa o PT e diz que não tem como conviver com corrupção

terça-feira, 28 de Abril de 2015
.
Mariana Jungmann – Repórter da Agência Brasil*
.
927940-cultura__12A senadora Marta Suplicy (SP) entregou hoje (28) sua carta de desfiliação do  PT, na qual alega que “não tem como conviver” com os escândalos de corrupção envolvendo o partido.

“Para mim, como filiada e mandatária popular, os crimes que estão sendo investigados e que são diária e fartamente denunciados pela imprensa constituem não apenas motivo de indignação, mas consubstanciam um grande constrangimento”, justificou a senadora.

O diretório municipal de São Paulo do PT confirmou que a carta já foi entregue ao partido. Senadora por São Paulo, Marta foi também deputada e ministra da Cultura, de setembro de 2012 a novembro de 2014, na gestão de Dilma Rousseff. Foi ministra ainda ministra do Turismo no governo de Luiz Inácio Lula da Silva e prefeita de São Paulo, de 2000 a 2004. Em sua despedida, Marta se queixa que a carta de princípios do partido e seu programa partidário “nunca foram tão renegados pela própria agremiação” e que sua direção perdeu a capacidade de dialogar e ouvir seus filiados.

A senadora alega ainda que foi “isolada e estigmatizada” pela direção do PT quando tentou tomar providências e diz que vem tendo suas atividades partidárias e parlamentares cerceadas e limitadas pelo partido.

“Por décadas, acreditei e dei o melhor de mim na perseguição de ideais que, com seus acertos e erros, não se distanciavam de um norte ético indiscutível e intransigente. Hoje, entretanto, não me sinto mais em condições de cooperar com o que não faz mais sentido a mim e a milhões de brasileiros”, afirma.

Ao anunciar sua saída do partido, Marta também deixa claro que não pretende renunciar ao mandato de senadora, que poderá ser requisitado judicialmente pelo PT, se a direção do partido assim o quiser. No texto, ela ressalta que foi eleita com 8 milhões de votos e que sua fidelidade maior é ao mandato, cujo exercício vem sendo cerceado pelo partido, alega.

“Serei fiel ao meu mandato e permanecerei depositária dos valores defendidos por aqueles que votaram em mim, hipotecaram sua confiança pessoal e abraçaram as ideias que defendo desde a época em que me tornei pessoa pública em programa diário de TV, onde sempre me pautei por princípios éticos inegociáveis. Até onde pude, tentei reverter essa situação. Não fui ouvida”, diz a senadora.

A saída de Marta Suplicy do PT já era dada como certa desde que ela deixou o Ministério da Cultura, fazendo duras críticas ao governo. Ao reassumir o mandato no Senado, ela voltou a criticar ações do governo Dilma e a escolha de Juca Ferreira como seu sucessor na pasta. A senadora não anunciou ainda a qual partido pretende se filiar. A direção do PT não informou se vai pedir o mandato da senadora na justiça.

*Colaborou Bruno Bocchini

Brasileiro Rodrigo Gularte é fuzilado na Indonésia

terça-feira, 28 de Abril de 2015

28042015-rodrigo-gularte-indonesia_-_capaPreso desde 2004 em Jacarta, capital da Indonésia, por transportar 6 quilos de cocaína em pranchas de surfe e condenado à pena de morte em 2005, o brasileiro Rodrigo Gularte, de 42 anos, foi fuzilado hoje, às 14h25, no horário de Brasília.

Brasileiro Rodrigo Gularte é fuzilado na Indonésia

terça-feira, 28 de Abril de 2015
.
Danilo Macedo e Ivan Richard – Repórteres da Agência Brasil
.
28042015-rodrigo-gularte-indonesia_-_capaPreso desde 2004 em Jacarta, capital da Indonésia, por transportar 6 quilos de cocaína em pranchas de surfe e condenado à pena de morte em 2005, o brasileiro Rodrigo Gularte, de 42 anos, foi fuzilado hoje (28), às 14h25, no horário de Brasília.

A informação foi confirmada à Agência Brasil pelo encarregado de Negócios da Embaixada do Brasil em Jacarta, Leonardo Carvalho Monteiro. Segundo ele, antes do fuzilamento, Gularte recebeu a visita de um padre que também era seu guia espiritual. De acordo com Monteiro, após o cumprimento da sentença, os corpos começaram a ser preparados e em cerca de duas horas serão levados para Jacarta.

Além de Gularte, sete estrangeiros (da Austrália, Filipinas, Nigéria e de Gana) e um indonésio estavam na lista de executados de hoje. Todos foram fuzilados, exceto a filipina Mary Jane Veloso, única mulher no grupo. A retirada dela da lista de execuções de hoje ocorreu após uma mulher que supostamente a recrutou para levar drogas à Indonésia ter se entregado às autoridades filipinas.

Rodrigo Gularte
A execução de Rodrigo Gularte ocorreu na prisão de NusakambanganArquivo pessoal

A execução por fuzilamento ocorreu na prisão de Nusakambangan, em Cilacap, a cerca de 400 quilômetros de Jacarta. Mais cedo, Leonardo Carvalho Monteiro, que está no local, informara que não havia nada mais a fazer.

Segundo Carvalho, uma prima de Rodrigo, Angelita Mauxfekdt, que acompanhou os últimos meses de Gularte na prisão, foi informada do cumprimento da pena e esteve com o brasileiro por volta das 14h (4h no horário de Brasília).

Antes da execução, Carvalho informou que estaria ao lado de Angelita, em uma sala próxima do local da execução. Pela lei da Indonésia, após o cumprimento da pena, é feito o reconhecimento do corpo por parentes e representantes da embaixada de seu país, no caso de estrangeiros.

Os condenados receberam a notificação da execução no sábado (25). De acordo com a lei local, o aviso deve ocorrer pelo menos 72 horas antes do cumprimento da pena.

Em janeiro, a Indonésia executou outro brasileiro, Marco Acher, também condenado por tráfico de drogas. O fuzilamento de Archer gerou uma crise diplomática entre Brasil e Indonésia. O embaixador brasileiro no país, convocado pela presidenta Dilma à época, num gesto de desagravo do governo brasileiro, ainda não reornou à Indonésia.

O país asiático, que retomou as execuções em 2013, após cinco anos de moratória, tem 133 prisioneiros no corredor da morte, dos quais 57 condenados por tráfico de drogas, dois por terrorismo e 74 por outros crimes.

Itamaraty diz que execução de brasileiro é ‘inaceitável’

segunda-feira, 27 de Abril de 2015

timthEm nota entregue ao governo da Indonésia neste domingo, 26, o Itamaraty afirma que a execução do brasileiro Rodrigo Muxfeldt Gularte, condenado pela Justiça do país por tráfico de drogas, é “inaceitável”.

Itamaraty diz que execução de brasileiro é ‘inaceitável’

segunda-feira, 27 de Abril de 2015

.
timthEm nota entregue ao governo da Indonésia neste domingo, 26, o Itamaraty afirma que a execução do brasileiro Rodrigo Muxfeldt Gularte, condenado pela Justiça do país por tráfico de drogas, é “inaceitável”. Leia também: ONU pede fim das execuções por tráfico na Indonésia O governo brasileiro pede ainda que o fuzilamento de Rodrigo seja cancelado e que ele seja internado em um hospital psiquiátrico. A família de Rodrigo afirma que ele tem problemas mentais, o que já teria sido comprovado por dois laudos que constataram que ele sofre de esquizofrenia paranoide. Uma cópia do documento, que foi entregue à Embaixada da Indonésia em Brasília, será levada ao Ministério das Relações Exteriores da Indonésia em Jacarta, capital do país. Embora afirme que respeita a soberania da Indonésia, o Itamaraty ressalta que a pena de morte “não é eficaz para enfrentar o narcotráfico”. O brasileiro Rodrigo Muxfeldt Gularte foi preso no aeroporto de Jacarta em 2004 ao tentar entrar na Indonésia com cocaína. O presidente da Indonésia, Joko Widodo, rejeitou em janeiro deste ano pedido de clemência para o brasileiro, que deverá ser executado nos próximos dias.

 

Fonte: Opinião&Notícia