Arquivo de julho de 2014

Mantega critica relatório do FMI sobre a fragilidade do Brasil

quinta-feira, 31 de julho de 2014

timtO ministro da Fazenda, Guido Mantega, desqualificou o relatório divulgado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) na última terça-feira. No documento, o FMI coloca o Brasil no grupo das cinco economias mais suscetíveis aos efeitos de outra possível crise financeira mundial. O grupo também inclui Índia, Turquia, Indonésia e África do Sul.

Mantega critica relatório do FMI sobre a fragilidade do Brasil

quinta-feira, 31 de julho de 2014

.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, desqualificou o relatório divulgado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) na última terça-feira, 29.

Leia mais: Brasil é um dos cinco emergentes mais vulneráveis, diz FMI

No documento, o FMI coloca o Brasil no grupo das cinco economias mais suscetíveis aos efeitos de outra possível crise financeira mundial. O grupo também inclui Índia, Turquia, Indonésia e África do Sul.

Segundo Mantega, “em uma instituição financeira respeitável, esse tipo de avaliação não existe”. O ministro também disse desconhecer a equipe responsável pela avaliação. “O relatório é de uma equipe do FMI que não sei quem é. Não é o diretor para o Hemisfério Sul”, disse Mantega.

“O Brasil tem uma situação bastante sólida, que nos permitiu atravessar as turbulências causadas pela retiradas dos estímulos pelo Federal Reserve. Não faz sentido a conclusão desse relatório. Eu não li o relatório, só nos onlines”, disse o ministro.

O ministro disse que não é a primeira vez que o FMI comete um erro. Mantega afirmou que, no passado, o FMI disse que o Brasil enfrentaria uma tempestade econômica perfeita e que estava entre as cinco economias mais vulneráveis. Segundo o ministro, nada aconteceu e ninguém mais falou no assunto.

Mantega declarou que, nos últimos seis meses, o câmbio teve baixa volatilidade e o real foi a moeda que mais se valorizou em relação a todas as moedas. O ministro também ressaltou que o Brasil tem a quinta reserva internacional mais alta do mundo e que é um país atraente para o investimento estrangeiro.

Tinha um Santander no meio do caminho!

quinta-feira, 31 de julho de 2014

gritabrasilPor Claudio Schamis
Cadê a liberdade de opinião? Se um banco ou uma consultoria como a Empiricus, que também foi alvo do governo por ter veiculado anúncios na internet aconselhando “como proteger seu patrimônio em caso de reeleição da Dilma”, não podem dizer o parecer deles, para onde vamos caminhar?

Tinha um Santander no meio do caminho!

quinta-feira, 31 de julho de 2014

.
Por Claudio Schamis
.
dilma-santander1.
A presidente Dilma classificou como “inadmissível” e “lamentável” o fato do banco Santander ter enviado um comunicado aos grandes correntistas do banco alertando sobre um risco à economia, caso ela fosse reeleita. Eu, que sou cliente do Santander e não recebi tal relatório, até porque não sou um grande correntista, já sabia disso antes mesmo dele ser criado. Será então que isso me faz ser um monstro e me obriga a pedir desculpas à presidente? Será que terei que demitir minha consciência e minha opinião da mesma forma que o Santander fez com o responsável pelo tal comunicado?

Cadê a liberdade de opinião? Se um banco ou uma consultoria como a Empiricus, que também foi alvo do governo por ter veiculado anúncios na internet aconselhando “como proteger seu patrimônio em caso de reeleição da Dilma”, não podem dizer o parecer deles, para onde vamos caminhar? Para a mentira? Para a ilusão? Será que agora consultorias, bancos terão que maquiar suas análises para “proteger” o governo? Será que agora terão que usar outras palavras em vez do preto no branco? Será que agora a frase “o contexto eleitoral é um dos fatores que explicam o resultado” vai realmente ajudar um investidor a entender alguma coisa? Agora a linguagem será feita por meio de metáforas? O governo vai querer agora controlar o que dizem analistas sobre a tendência do mercado?

Para Lula – quem mais poderia ser? – o responsável por tal relatório não entende de Brasil ou do governo Dilma e poderiam manda-la embora e deixar que ele (Lula) mesmo falaria, porque ele sabe o que fala. Mas não é o próprio Lula que diz que não sabe de nada?

Da mesma forma que a presidente acha isso – inadmissível e lamentável – sobre o relatório feito no Santander eu também acho a mesma coisa do seu governo. Só que aqui há uma diferença eu talvez possa ajudar na demissão da Dilma com meu voto. Já no banco, basta a caneta de uma pessoa. É quase que um David e Golias.

O presidente mundial do Santander, Emilio Botín, já declarou que o tal relatório não expressa a opinião do banco e sim a de um analista que o enviou sem consulta. Já disse também que haverá investigação interna e isso resultará em demissões. Uma já foi concretizada.

Isso me lembra um pouco Pasadena… É um tal de ninguém viu, ninguém leu.

O Santander, por sua vez, já enviou um pedido de desculpas, o que não evitou o boicote do vice-presidente Michel Temer, que bateu a perninha e se recusou a ir ao III Encontro Internacional de Reitores promovido pelo Santander. Ele, ao que parece ficou todo ofendidinho. Ah, coitado. Sabe de nada inocente.

Esse episódio vem somente ilustrar como o governo pensa. Como ele age. Como ele reage.

E a reação do governo Dilma não poderia ter sido diferente. E a prova disso foi a declaração do presidente do PT, Rui Falcão, que classificou o caso de “terrorismo eleitoral”. E é sempre assim, quando a coisa vai de encontro com a verdade deles, é terrorismo, é a imprensa, são os inimigos do povo, é a elite branca.

É mais uma vez uma atitude lamentável por parte do governo que deveria estar preocupada como bem falou Aécio Neves em apresentar uma agenda positiva para melhorar a economia e não tentar politizar uma análise técnica e pedir a punição da pessoa do banco.

Imagina então se começarem a demitir todos que emitem uma opinião econômica dizendo que se a Dilma for reeleita a economia pode tender a y ou a x, vai ter fila no seguro desemprego.

Menos, presidente. Menos, Dilma. Bem menos, Dilma.

Preparem as doses de Digesan! (ao persistirem os sintomas um pai de santo deve ser consultado)

Tendo por base o primeiro embate Dilma x Aécio, onde já foram trocadas farpas sobre o Mais Médicos e o Bolsa Família, será extremamente necessário que tenhamos uma boa digestão e o desconfiômetro bem afinado para ouvir o que ainda vem por aí.

O que mais me irrita é que, depois de tantas eleições, os candidatos não mudam a postura nas campanhas. É um tal de fulano fez isso, sicrano fez aquilo. Na maioria das vezes sabemos o que eles fizeram. Não sabemos o que eles vão fazer. É claro que existe um abismo entre o vou fazer (promessas) e o fazer propriamente dito, mas isso deveria ser a prioridade. Focar nos planos deveria ser a meta.

Nesse primeiro embate, Dilma disse que Aécio é contra o Mais Médicos, principal bandeira da petista na Saúde. Já Aécio, por sua vez, diz que Dilma mente ao afirmar isso e que ele disse somente que iria melhorar ainda mais o programa. Esse nhemnhem- nhém é irritante.

Tanto isso é verdade que o número de novos eleitores caiu 31%. Ou seja, os jovens estão tão descrentes do caminho que vai a nossa política ao ponto de, em vez deles acreditarem que podem também ajudar a mudar o quadro com o seu voto, eles estão naquela posição de nada vai mudar mesmo. O que é uma pena, mas ao mesmo tempo é compreensível, pois a cada dia que passa são mais episódios novos de escândalos envolvendo merenda escolar, deputado recebendo mesada de ONG, que não tem como envolver o jovem eleitor com o seu volto facultativo. Nem por milagre.

Salve as baleias. Não jogue lixo no chão. Não fume em ambiente fechado.

Globo constrói novo alvo: a “Dilma bolivariana”

quarta-feira, 30 de julho de 2014

images_cms-image-000384590Manchete do jornal da família Marinho alimenta a tese de que o governo Dilma embarcou num projeto bolivariano, de inspiração chavista, ao repreender empresas privadas por suas opiniões contrárias à política econômica; segundo O Globo, os bancos brasileiros farão autocensura e análises mais conservadoras temendo represálias do Planalto.

Globo constrói novo alvo: a “Dilma bolivariana”

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Veritá aponta vitória de Pimentel no 1º turno em MG

quarta-feira, 30 de julho de 2014

images_cms-image-000384625Levantamento feito pelo Instituto Veritá sobre a eleição para governador de Minas Gerais tem dados que podem ser comemorados por PT e PSDB; do lado petista, Fernando Pimentel venceria em primeiro turno, com 50,8% dos votos válidos, mas Pimenta da Veiga cresce quando tem seu nome associado ao tucano Aécio Neves.

Veritá aponta vitória de Pimentel no 1º turno em MG

quarta-feira, 30 de julho de 2014

A morenaça brasileira que está bombando em Bollywood

quarta-feira, 30 de julho de 2014

nathalia-kaur-wallpaper-05-12x9-440x330ONDE AS LOIRAS NÃO TÊM VEZ.
A modelo carioca Nathalia Kaur, de 23 anos que saiu do Rio em 2011 para trabalhar por três meses na Índia conta como virou uma estrela de Bollywood

MULHERES LINDAS: A morenaça brasileira que está bombando em Bollywood

quarta-feira, 30 de julho de 2014

NATHALIA: “Voluptuosa como uma brasileira e doce como uma punjabi”

 

ONDE AS LOIRAS NÃO TÊM VEZ

A modelo carioca Nathalia Kaur, de 23 anos que saiu do Rio em 2011 para trabalhar por três meses na Índia conta como virou uma estrela de Bollywood

 

Como você virou atriz de cinema na Índia?

No Rio, eu estudava direito e trabalhava como modelo. Em 2011, me chamaram para uma campanha em Mumbai por três meses. Nesse período, acabei participando de um reality show de modelos na TV e ganhei. Fiquei famosa no país inteiro e me chamaram para fazer um filme. Deu tão certo que acabei ficando de vez. Já fiz seis longas.

 

Você é desconhecida no Brasil. Na Índia, as pessoas sabem quem você é?

Não consigo sair na rua quando estamos divulgando os filmes. Já fui reconhecida até em Londres e Dubai.

 

Você tem mesmo ascendência indiana, como diz?

Os avós do meu pai eram punjabis. Mudei meu sobrenome para Kaur, que é bem comum por aqui. Era impossível eles pronunciarem “Pinheiro”.

 

Você foi bem recebida desde o início?

No começo, não. Chega aqui uma brasileira altona, bronzeada, linda, maravilhosa… Sentia que eles ficavam incomodados. Mas, quando digo que tenho sangue indiano, ficam mais tranquilos. Eles me acham linda. Tenho corpo brasileiro, com mais curvas, e um rosto local. Se eu fosse loira, não teria chance.

 

Você se define na sua página no Facebook como “perfeita combinação da voluptuosidade brasileira com a face doce e inocente dos punjabis”. Tirando a beleza, você tem talento?

Em Bollywood, a beleza conta mais que o talento, ninguém precisa ser brilhante.

Do seu fã clube na Índia

(Foto: mid-day.com)

(Foto: CineJosh)

(Foto: mid-day.com)

(Foto: mid-day.com)

Eleitor do Rio poderá eleger Barack Obama, Zé Bonitinho ou Tim Maia

quarta-feira, 30 de julho de 2014

timthuTriste mesmo – ou será divertido? – será assistir à propaganda gratuita de alguns candidatos de nosso estado.  Uma rápida pesquisa no site do Tribunal Regional Eleitoral do estado nos levou a revelações mais que relevantes. Alguns candidatos não se levam a sério e, pior, querem transformar o processo eleitoral numa divertida brincadeira.

Eleitor do Rio poderá eleger Barack Obama, Zé Bonitinho ou Tim Maia

quarta-feira, 30 de julho de 2014

.
Fonte: Opinião&Notícia
.
timthuQue política é coisa séria todo mundo sabe. O país se configura uma das maiores democracias do planeta e tem um sistema de voto eletrônico de fazer inveja, por exemplo, ao confuso sistema de votação norte-americano – no qual nem sempre o mais votado leva – como aconteceu na disputa entre Al Gore e George W. Bush.

Ainda assim, nossa democracia vive algumas imperfeições como, por exemplo, o uso das mídias eletrônicas para a veiculação gratuita de propaganda política. Entende o Governo que as rádios e televisões abertas são concessões – e o são de fato – e que, por isso, os concessionários devem ceder horários para o bom andamento do processo político.

Triste mesmo – ou será divertido? – será assistir à propaganda gratuita de alguns candidatos de nosso estado. Franco atiradores que aprenderam que a política é um modo fácil de ganhar dinheiro, fama e poder.

Uma rápida pesquisa no site do Tribunal Regional Eleitoral do estado nos levou a revelações mais que relevantes. Alguns candidatos não se levam a sério e, pior, querem transformar o processo eleitoral numa divertida brincadeira.

O que dizer dos candidatos a deputado federal como o Sr. Antonio Costa de Brito, que o eleitor encontrará na urna eletrônica escrevendo os números do candidato “Zé Bonitinho”. Se preferir alguém mais poderoso, quem sabe se o eleitor vai preferir votar em Claudio Henrique Barack Obama (cuja foto ilustra esse editorial), alguém cujo único mérito político é guardar alguma semelhança física com o presidente americano. Na vasta lista de 1.072 candidatos a deputado federal – com 23 disputando uma única vaga entre as 46 cadeiras fluminenses na Câmara – constam ainda opções como Lelê Vascaína, Tomé do Pau Branco, Karão, Vovô, China Vem Aí, Zoinho, Cowboy Beleza, E. T. , Marta Demorô, Sidney Duro o Xuxa, William Big Coke ou Zuleika Mulher Guerreira.

Entre os 2.003 candidatos a deputado estadual, a disputa é ainda mais acirrada – são 28 brigando por uma das 70 cadeiras da Assembleia Legislativa. Na lista do TRE constam como opções Adriana Vaca Brava, Claudionice Mulher Bambu, Edvaldo Chupa Cabra, Dalzir com Z, Nojento, Eu quero Valério, Pescocinho, Tim Maia, Jorge Pão Doce, Jorge Baixa Renda, Graça Figuiraça, Parrola Neles, Piposhow Pipoca Neles, Valdir Pão com Ovo, Sidney Ninguém, Dibruço e ainda a candidata Shewry Stony da Silva – provavelmente uma homenagem à atriz com quase o mesmo nome.

Os nomes inusitados, listados desta forma, lembram um pouco o estilo do saudoso e inimitável Chico Anísio. Mas não tem, de fato, nada de engraçado. Na verdade, é muito triste.

Mutilação da genitália feminina e casamento infantil

quarta-feira, 30 de julho de 2014

timA cada minuto, sete garotas têm suas genitálias cortadas ou mutiladas. E a taxa à qual a prática está declinando não é o bastante. A não ser que a velocidade aumente, o número de vítimas crescerá de 3,6 milhões por ano hoje em dia para 4,1 milhões em 2035.

Mutilação da genitália feminina e casamento infantil

quarta-feira, 30 de julho de 2014

.

timA cada minuto, sete garotas têm suas genitálias cortadas ou mutiladas. E a taxa à qual a prática está declinando não é o bastante. A não ser que a velocidade aumente, o número de vítimas crescerá de 3,6 milhões por ano hoje em dia para 4,1 milhões em 2035.

Leia mais: Jihadistas ordenam mutilação genital feminina no Iraque

A mutilação da genitália feminina envolve extirpar o clitóris e os lábios vaginais e praticamente fechar a vagina por meio de pontos. Nos países africanos nos quais a prática é um rito de passagem tradicional, 9 em cada 10 garotas são submetidas à essa prática bárbara, que causa enorme dor e pode levar à infecção, infertilidade e, em alguns casos, à morte.

O casamento infantil, outro costume que destrói a vida de garotas, também é comum na África e em partes da Ásia. É provável que a vida futura de uma noiva criança seja pobre e socialmente isolada. A educação provavelmente será negligenciada. A maternidade precoce pode destruir a sua saúde ou até matá-la. A UNICEF afirma que mais de 700 milhões de mulheres hoje se casaram antes dos 18 anos – e 250 milhões delas antes de completarem 15.

Em alguns países, a maioria das mulheres entre 20 e 49 anos se casou quando era criança. Sem mais progressos, o número de ex-noivas crianças ainda será de 700 milhões em 2050.

Muitos países aprovaram leis contra ambas as práticas. Isso é essencial, mas não é o suficiente. Ambas as práticas advêm de normas sociais profundamente arraigadas que só podem ser mudadas informando os pais sobre os danos que elas causam.

 

Brasil é um dos cinco emergentes mais vulneráveis, diz FMI

quarta-feira, 30 de julho de 2014

timUm relatório divulgado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) revela que o Brasil é um dos mercados emergentes que mais pode sofrer consequências negativas caso o cenário econômico mundial piore. O informe anual de avaliação de efeitos colaterais do FMI também incluiu no “grupo preocupante” Índia, Turquia, Indonésia e África do Sul

Brasil é um dos cinco emergentes mais vulneráveis, diz FMI

quarta-feira, 30 de julho de 2014

.

Um relatório divulgado nesta terça-feira, 29, pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) revela que o Brasil é um dos mercados emergentes que mais pode sofrer consequências negativas caso o cenário econômico mundial piore.

O informe anual de avaliação de efeitos colaterais do FMI também incluiu no “grupo preocupante” Índia, Turquia, Indonésia e África do Sul. Segundo o órgão, caso haja uma nova crise financeira, esse países arcariam com a maior elevação de juros dos títulos soberanos e privados, além de ter a queda mais acentuada dos preços de ativos em seus mercados e uma desvalorização cambial mais forte.

De acordo com o relatório do FMI, a vulnerabilidade dessas nações está relacionada a uma “inflação mais alta, rombo nas contas internas e externas e outros desequilíbrios-chave”.

O FMI reduziu as projeções de crescimento para mercados emergentes em dois pontos percentuais nos últimos quatro anos. A estimativa é de que o crescimento desses países desacelere em 5% durante os próximos cinco anos, ante a média de expansão de 7% entre 2003 e 2008.

Na semana passada, o FMI reduziu a previsão de expansão do PIB brasileiro para 2014 de 1,8% para 1,3% e de 2,7% para 2% em 2015.

 

Fontes: O Globo-Brasil é um dos cinco emergentes mais vulneráveis, diz FMI
                 Opinião&Notícia-Brasil é um dos cinco emergentes mais vulneráveis, diz FMI

Dilma afiada usa estilo “bateu, levou” em campanha

terça-feira, 29 de julho de 2014

images_cms-image-000384376Presidente não deixa provocação sem resposta; em entrevistas longas, como a concedida ontem, falas ligeiras ou discursos, Dilma Rousseff mostra que deixou no passado o figurino paz e amor que prevaleceu na campanha de 2010. Para se desvencilhar dos ataques da oposição, agora ela aposta na sinceridade sem meias palavras;

Dilma afiada usa estilo “bateu, levou” em campanha

terça-feira, 29 de julho de 2014

FGV: cai 3,2% a confiança na indústria em julho

terça-feira, 29 de julho de 2014

images_cms-image-000384371Índice de Confiança da Indústria brasileira registrou em julho a sétima queda seguida, comparado com o mês de junho, informou a Fundação Getulio Vargas. Com isso, o indicador foi a 84,4 pontos, menor nível desde abril de 2009 (82,2 pontos), ante 87,2 pontos no mês anterior, quando havia recuado 3,9 por cento.

FGV: cai 3,2% a confiança na indústria em julho

terça-feira, 29 de julho de 2014

Aécio: “quando Dilma desce, confiança sobe”

segunda-feira, 28 de julho de 2014

images_cms-image-000384277Presidenciável tucano critica presidente e PT em atacar análise financeira feita pelo banco Santander a seus clientes de alta renda no Brasil: “se fosse para demitir quem pensa assim, todos os analistas, de todos as instituições financeiras, teriam de ser demitidos”, disse Aécio Neves, em São Paulo, após reunião de organização entre coordenadores de sua campanha em 27 estados.

Aécio: “quando Dilma desce, confiança sobe”

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Dilma exalta postura petista diante de corrupção

segunda-feira, 28 de julho de 2014

timthumA presidenta da República Dilma Rousseff (PT) afirmou que o mensalão petista “tem dois pesos e 19 medidas”. Ao ser questionada sobre corrupção no governo, a presidenta citou que o mensalão tucano não foi investigado. “Da relação com o PT, tem dois pesos e umas 19 medidas, pois o mensalão foi investigado e o mensalão mineiro [tucano] não foi.

Dilma exalta postura petista diante de corrupção

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Fonte: Congresso em Foco
.

timthumCandidata à reeleição, a presidenta da República Dilma Rousseff (PT) afirmou hoje (28) que o mensalão petista “tem dois pesos e 19 medidas”. A declaração foi dada em sabatina realizada pelo UOL, pela Folha de S.Paulo, pelo SBT e pela Jovem Pan.

Ao ser questionada sobre corrupção no governo, a presidenta citou que o mensalão tucano não foi investigado. “Da relação com o PT, tem dois pesos e umas 19 medidas, pois o mensalão foi investigado e o mensalão mineiro [tucano] não foi. No nosso caso, nós tomamos todas as providências, não tivemos nenhum processo de interromper a Justiça, não pressionamos juízes nem engavetamos denúncias”, disse.

O Supremo Tribunal Federal (STF) condenou petistas, como o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e o ex-presidente da sigla José Genoino. O caso do mensalão tucano ainda não foi apreciado e o protagonista, Eduardo Azeredo (ex-governador de MG), renunciou ao mandato de deputado federal e, com isso, livrou-se do julgamento pelo STF .

A presidenta disse ainda que os governos do PT tomaram as principais medidas para combater a corrupção no país. Afirmou que apenas nas gestões petistas políticos de alto escalão envolvidos em esquemas de corrupção foram condenados.

“Demos autoridade para a Controladoria-Geral da União e demos todos os instrumentos para ela atuar. Transformamos a prática da Polícia Federal numa prática investigativa respeitável. Criamos o portal da transparência, aprovamos a lei de acesso à informação. Nomeamos um Ministério Público de forma independente e fomos o único governo que, em sua gestão, teve pessoas condenadas”, disse Dilma.

Sem desgaste

Dilma Rousseff afirmou também que a crise envolvendo a Petrobras não significou desgaste para ela. A compra da refinaria Pasadena, nos Estados Unidos, pela estatal, em 2006, abriu uma crise política. Quando o caso veio à tona, a própria petista revelou que o conselho de administração da empresa aprovou a aquisição com base em um parecer “tecnicamente falho”. Na época, ela presidia o colegiado. A compra da unidade gerou prejuízo.

“Eu não acho que estou sendo desgastada por Pasadena. Pelo contrário, eu acho que Pasadena mostra que sempre tive uma conduta muito decente nos cargos públicos”, disse, citando que foi excluída pelo Tribunal de Contas da União do processo que cobra ressarcimento aos cofres públicos.

Marolinha

Ainda na sabatina, Dilma admitiu que o governo federal minimizou o impacto da crise financeira internacional, iniciada em 2008, sobre a economia brasileira.

Em 2009, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, padrinho político de Dilma,  disse que a crise global teria o efeito de uma “marolinha” no Brasil. “Todos nós erramos porque a gente não tinha ideia do grau de descontrole que o sistema financeiro internacional tinha atingido. Nós minimizamos os efeitos da crise sobre a economia brasileira”, avaliou Dilma.

Confiança dos investidores em baixa, gastos públicos em alta

quinta-feira, 24 de julho de 2014

timthumO índice de confiança dos investidores no Brasil caiu para o pior patamar registrado desde 2009, quando teve início a crise financeira mundial. A inflação entre produtos cujo preço não é controlado pelo governo chegou a 7% e economistas continuamente revisam para baixo a projeção do PIB deste ano, atualmente em torno de 1%.

Confiança dos investidores em baixa, gastos públicos em alta

quinta-feira, 24 de julho de 2014

.
timthumO índice de confiança dos investidores no Brasil caiu para o pior patamar registrado desde 2009, quando teve início a crise financeira mundial.

A inflação entre produtos cujo preço não é controlado pelo governo chegou a 7% e economistas continuamente revisam para baixo a projeção do PIB deste ano, atualmente em torno de 1%. Analistas da Goldman Sachs alertam para o misto de estagnação econômica e inflação que ronda o Brasil.

Em junho deste ano, o setor industrial do país registrou retração pelo terceiro mês consecutivo, assim como a produtividade industrial. “Após três anos de crescimento anêmico, o setor industrial do país ‘jogou a toalha’”, avalia Arthur Carvalho, economista-chefe do Brasil na Morgan Stanley.

A taxa de desemprego está baixa, mas o cenário negativo para a geração de empregos tornou mais cautelosos os consumidores, que nos últimos anos foram os responsáveis pelo aquecimento da economia. Além disso, o endividamento do consumidor brasileiro está crescendo. Em junho, 11,4% dos consumidores estavam com pagamentos atrasados há mais de 30 dias, percentual acima dos 9% registrado no mesmo período em 2013.

A queda na confiança é um dos maiores desafios para a reeleição de Dilma Rousseff. Na tentativa de evitar que a população sinta os efeitos negativos na economia, a presidente aumentou os gastos públicos.

Em maio os gastos púbicos foram 16% mais altos que no ano passado, enquanto a verba do governo caiu 8%. Como resultado, o Brasil registrou o segundo pior déficit primário da história.

O governo está tentando mascarar o problema até o fim das eleições, mas não está conseguindo. A última pesquisa eleitoral, divulgada este mês pelo Datafolha, mostra que o índice de intenção de votos em Dilma caiu, aumentando as chances da presidente de disputar um segundo turno com Aécio Neves, seu principal adversário.

 

Fontes: The Economist-All systems slow
Opinião&Notícia-

Garis, motoboys, artistas de circo e coveiros entre os candidatos às eleições 2014

quinta-feira, 24 de julho de 2014

eleiçõesCento e vinte vigilantes, 44 mecânicos, 23 motoboys, 34 porteiros, 21 empregados domésticos, 15 garis, 100 candidatos sacerdotes, 138 cabeleireiros, 91 cantores, 28 atores, nove alfaiates, oito artistas de circo, sete desenhistas, três catadores de recicláveis, quatro detetives particulares, um engraxate, cinco massagistas e dois coveiros, disputam uma vaga nos poderes Executivo ou Legislativo.

Garis, motoboys, artistas de circo e coveiros entre os candidatos às eleições 2014

quinta-feira, 24 de julho de 2014

.
Por Marina Dutra – Contas Abertas
.
empresario-1-300x184O perfil do candidato “médio” nas eleições de 2014 é conservador. Homem, casado, empresário, na faixa dos 40 anos de idade. No entanto, representantes de profissões que exigem baixo grau de escolaridade também estão no páreo. Cento e vinte vigilantes, 44 mecânicos, 23 motoboys, 34 porteiros, 21 empregados domésticos e 15 garis, por exemplo, disputam uma vaga nos poderes Executivo ou Legislativo.

Há, ainda, 100 candidatos sacerdotes, 138 cabeleireiros, 91 cantores, 28 atores, nove alfaiates, oito artistas de circo, sete desenhistas, três catadores de recicláveis, quatro detetives particulares, um engraxate, cinco massagistas e dois coveiros.

O padrão foi traçado por meio da análise dos dados de 24.979 concorrentes que já tinham o registro no portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta terça-feira (23). Declararam-se como empresários, 2.321 candidatos, a maioria na disputa ao cargo de deputado distrital ou estadual. A profissão tem 16 representantes na disputa pelo Senado, sete por governos estaduais e um pela Presidência – o candidato Pastor Everaldo, do Partido Social Cristão.

A quantidade de professores também surpreende: são 1.481. Os advogados completam o ranking com 1.386 registros. Ainda concorrem ao pleito 1.000 comerciantes, 983 servidores públicos estaduais, 591 médicos, 679 administradores, 488 servidores públicos federais, 544 policiais militares e 313 jornalistas.

Quanto ao estado civil, 56% dos concorrentes são casados (13.926), 30% são solteiros (7.562), 10% são divorciados (2.598), 2% são separados judicialmente (428) e os outros 2% são viúvos (465).

Trinta e dois por cento dos candidatos, o que equivale a 7.927 concorrentes têm entre 40 e 49 anos de idade. Na faixa dos 50, encontram-se 7.062 candidatos. Vinte e dois inscritos possuem entre 18 e 19 anos e seis já passaram dos 90.

Dos 24.979 candidatos já cadastrados no TSE, 7.449 são mulheres e 17.530 são homens. A quantidade de representantes do sexo feminino corresponde a apenas 29,8% do total de concorrentes. A chamada “minirreforma eleitoral de 2009” (Lei 12.034/09) definiu que no mínimo 30% dos candidatos de cada partido ou coligação haveria de ser mulheres. Os partidos têm até o dia 6 de agosto para preencher vagas remanescentes.
– See more at: http://www.contasabertas.com.br/website/arquivos/9096#sthash.72WOwJek.dpuf

Chanceler rebate Israel: “se há anão, não é o Brasil”

quinta-feira, 24 de julho de 2014

images_cms-image-000383672Ministro Luiz Alberto Figueiredo rebate comentário feito pela chancelaria de Israel de que o Brasil é um “anão diplomático” – “Somos um dos 11 países do mundo que têm relações diplomáticas com todos os membros da ONU e temos um histórico de cooperação pela paz e ação pela paz internacional. Se há algum anão diplomático, o Brasil não é um deles”,

Chanceler rebate Israel: “se há anão, não é o Brasil”

quinta-feira, 24 de julho de 2014

.

:

.
Ministro Luiz Alberto Figueiredo rebate comentário feito pela chancelaria de Israel de que o Brasil é um “anão diplomático”; “Somos um dos 11 países do mundo que têm relações diplomáticas com todos os membros da ONU e temos um histórico de cooperação pela paz e ação pela paz internacional. Se há algum anão diplomático, o Brasil não é um deles”, afirmou; com o comentário, Israel rebatia gesto diplomático do Brasil contra ataques que já mataram 700 palestinos em Gaza, a maioria civis; nesta quinta-feira, disparo contra uma escola da ONU deixou 15 mortos, inclusive crianças; dentre elas, um bebê de um ano

O ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, rebateu nesta quinta-feira as declarações do porta-voz da chancelaria de Israel que teria chamado o Brasil de “anão diplomático” ao criticar a decisão do país de chamar para consultas seu embaixador em Tel Aviv por causa do conflito na Faixa de Gaza.