Arquivo de Março de 2013

Governo lança o programa Sua Casa, Sua Vida. Boa sorte. Adeus!

quinta-feira, 28 de Março de 2013

timthumbPor Claudio Schamis
Todos enchem a boca para falar do programa Minha Casa, Minha Vida, mas ninguém olha o que se está dando. E sem essa que não se olha os dentes de um cavalo que é dado. Até porque não é quem construiu que vai morar lá. Sorte deles. Azar de quem vai morar.

Governo lança o programa Sua Casa, Sua Vida. Boa sorte. Adeus!

quinta-feira, 28 de Março de 2013

Por Claudio Schamis – opiniaoenoticia.com.br

É mais ou menos isso. Ou é só isso. Todos enchem a boca para falar do programa Minha Casa, Minha Vida, mas ninguém olha o que se está dando. E sem essa que não se olha os dentes de um cavalo que é dado. Até porque não é quem construiu que vai morar lá. Sorte deles. Azar de quem vai morar.

Na verdade o governo não está dando nada. Nós é que estamos dando. Nossos impostos, nosso dinheiro. O governo está, pelo visto, fazendo o favor de fazer alguma coisa para mostrar serviço. E só pode ser isso. É algo como: “vai lá e faz umas casas do jeito que for que assim o povo fica do nosso lado, a gente sai bem na foto, a oposição cala a boca e assim vamos ficando no poder”.

Um exemplo vivo e agora demolido disso são os prédios que seriam ocupados pelas vítimas da tragédia no Morro do Bumba, no Rio, há três anos. Estavam para ser entregues, só que apareceram algumas rachaduras e no final das contas as vítimas que esperem mais um pouco. Quem espera três anos espera mais um pouco.

O presidente da Caixa, Jorge Hereda, se defende dizendo que não estão construindo casas de má qualidade e que nunca se construiu tanto em tão pouco tempo. Que o que existe são pequenos probleminhas. E que vai radicalizar com as construtoras que atendem ao programa. E disse ainda que o caso dos prédios que já foram demolidos é um caso isolado.

Só que os moradores beneficiados pelo programa vêm sofrendo com rachaduras e inundações. Mas isso não há de ser nada, né?

Até quando as pessoas serão iludidas por ações do tipo tapa-buraco? Até quando o governo vai ficar nessa? Não seria a hora de falar e agir certo? Ou para o partido do povo qualquer coisa serve para quem os mantêm no poder? Não tem água mineral com gás? Dá água da bica. Não tem refrigerante? Dá qualquer tubaína aí. Não tem ovo de Páscoa? Pra que Páscoa, chocolate engorda. Não tem frango? Dá umas folhas de alface.

Até quando o discurso do PT vai ser esse? Até quando eles vão enganar vocês?

Vale dizer não sou contra o programa, sou contra fazerem a coisa de qualquer jeito. Fazer para poder dizer que fez, me desculpa, não quero não.

Ofereçam como experiência dois meses de moradia numa dessas casas para o Lula, a Dilma, o presidente da Caixa e o raio que o partam morarem e veremos se, antes da primeira noite, eles não irão procurar o primeiro hotel que encontrarem.

BC eleva para 5,7% projeção de inflação em 2013

quinta-feira, 28 de Março de 2013

imagesCA1TWT51A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), deve chegar a 5,7%, este ano. A estimativa foi divulgada hoje (28) pelo Banco Central, no Relatório de Inflação, divulgado trimestralmente. A projeção está 0,9 ponto percentual acima da previsão de dezembro.

BC eleva para 5,7% projeção de inflação em 2013

quinta-feira, 28 de Março de 2013

Kelly Oliveira
Repórter da Agência Brasil 

Brasília – A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), deve chegar a 5,7%, este ano. A estimativa foi divulgada hoje (28) pelo Banco Central (BC), no Relatório de Inflação, divulgado trimestralmente. A projeção está 0,9 ponto percentual acima da previsão de dezembro.

Para 2014, a estimativa é que a inflação fique em 5,3%, acima dos 4,9% previstos anteriormente. No caso da inflação acumulada em 12 meses no final do primeiro trimestre de 2015, a estimativa é 5,4%.

Essas estimativas são do cenário de referência, feito com base na taxa básica de juros, a Selic, no atual patamar (7,25% ao ano) e no dólar a R$ 1,95.

O BC também divulga estimativas do cenário de mercado, em que são utilizadas projeções de analistas de instituições financeiras para a taxa Selic e o câmbio. Nesse caso, a estimativa para a inflação, este ano, é 5,8%, 0,1 ponto percentual acima do projetado no cenário de referência e 0,9 ponto percentual maior que a projeção do relatório divulgado em dezembro.

Para o próximo ano, a estimativa desse cenário é que a inflação fique em 5,1%, ante 4,8% previstos anteriormente. A projeção para a inflação acumulada em 12 meses no final do primeiro trimestre de 2015 é 5,2%.

Todas as estimativas para a inflação estão acima do centro da meta, que é 4,5%. Essa meta tem ainda margem de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Cabe ao BC perseguir a meta de inflação. O principal instrumento que influencia a atividades econômica e, por consequência, calibra a inflação, é a taxa Selic.

Edição: Juliana Andrade

Jader e João Lyra, os mais ausentes do Congresso

quinta-feira, 28 de Março de 2013

JaderBarbalho_JoaoLyra_VCampanatoABr_ABrCom patrimônio declarado de R$ 240 milhões, o deputado João Lyra (PTB-AL) começou a legislatura como o parlamentar mais rico do Congresso, segundo declaração apresentada à Justiça eleitoral. Mas o usineiro alagoano terminou o seu segundo ano de mandato como um homem de negócios à beira da falência e o deputado mais ausente da Casa.

Jader e João Lyra, os mais ausentes do Congresso

quinta-feira, 28 de Março de 2013

 Por Mariana Haubert e Edson Sardinha – congressoemfoco.com.br

Com patrimônio declarado de R$ 240 milhões, o deputado João Lyra (PTB-AL) começou a legislatura como o parlamentar mais rico do Congresso, segundo declaração apresentada à Justiça eleitoral. Mas o usineiro alagoano terminou o seu segundo ano de mandato como um homem de negócios à beira da falência e o deputado mais ausente da Casa. João Lyra compareceu a apenas 29 (32%) das 91 sessões destinadas a votação em 2012. No Senado, ninguém faltou mais que Jader Barbalho (PMDB-PA). O senador que só tomou posse em dezembro de 2011, após ser beneficiado com o adiamento da vigência da Lei da Ficha Limpa para as eleições de 2012, registrou presença em somente 69 (55%) das 126 sessões destinadas a votação ao longo de todo o ano. Os dados são de levantamento da Revista Congresso em Foco.

Deputados tiveram 20% mais faltas em 2012
Senadores faltaram menos em 2012

Além das faltas, esses parlamentares têm, pelo menos, mais duas coisas em comum. Ambos justificaram a maioria de suas ausências e, por isso, evitaram cortes nos salários. Os dois têm um longo histórico de problemas com a Justiça que parece não ter fim.

O deputado petebista justificou todas as suas 62 faltas por motivos de saúde e obrigações partidárias. Segundo a assessoria de Lyra, um problema no ouvido o impediu várias vezes de voar para Brasília. Mas, de acordo com os registros da Câmara, ele faltou 36 vezes por questões de saúde e outras 26 para atender a compromissos políticos.

Jader teve abonadas 50 das suas 57 ausências por ter apresentado algum tipo de justificativa: foram 37 por atividades políticas, dez por motivos particulares e três por problemas de saúde. A assessoria do senador não retornou o contato da reportagem.

Suspeitas e silêncio

Ex-presidente do Senado, Jader Barbalho deixou a Casa pela porta dos fundos em 2001, quando renunciou ao mandato para escapar do processo de cassação no Conselho de Ética, após ser acusado de desviar recursos do Banco do Estado do Pará (Banpará), da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e do Ministério da Reforma Agrária.

Voltou poucos meses depois ao Congresso, dessa vez pela porta da frente, como o deputado federal mais votado do Pará. Com a prerrogativa de ser julgado apenas pelo Supremo, passou dois mandatos em branco na Casa: registrou presença em menos da metade das sessões realizadas nos oito anos. Poderoso nos bastidores do Parlamento e nos governos federal e estadual, não fez um único discurso nem apresentou qualquer projeto de lei no período.

Roteiro que Jader repete, agora, no Senado. Seu último pronunciamento no Congresso foi o da renúncia, 11 anos atrás. Desde então, ele também não apresentou qualquer projeto de lei. No Senado, não relatou proposição.

O silêncio de Jader custa caro ao contribuinte. No ano passado, a Casa ressarciu o senador em R$ 185 mil para cobrir despesas com a divulgação de seu mandato. O senador responde, atualmente, a seis ações penais e quatro inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF) por crimes como falsidade ideológica, quadrilha ou bando, emprego irregular de verba pública, contra a ordem tributária e o sistema financeiro, além de lavagem de dinheiro.

Falência e trabalho escravo

Assim como Jader, o deputado mais ausente de 2012 também mistura a discrição no Congresso com as pendências na Justiça. João Lyra não apresentou nenhum projeto de lei nem discursou ano passado. Aos 81 anos, o parlamentar responde no Supremo pela acusação de trabalho escravo, crime cuja pena varia de dois a oito anos de prisão. A Procuradoria-Geral da República acusa o parlamentar de ter submetido 53 trabalhadores a condições degradantes e jornada exaustiva em uma de suas usinas de cana-de-açúcar.

Mas os problemas dele não param por aí. Em setembro do ano passado, a 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Alagoas decretou a falência do Grupo João Lyra.

As dívidas do grupo chegam a R$ 1,28 bilhão, segundo a Justiça. O deputado conseguiu uma liminar no tribunal suspendendo a falência até que o plenário da corte decida sobre o caso. Ele também enfrenta ofensiva dos funcionários do grupo, que lhe cobram salários e direitos trabalhistas.

Em 2006, João Lyra chegou a ser denunciado pelo Ministério Público Federal como o mandante do assassinato de um fiscal que cobrava dívida de usineiros alagoanos.

Preso, o autor dos disparos disse ter recebido dinheiro do deputado para a execução e ainda o responsabilizou pela morte de um sargento da Polícia Militar no início da década de 1990. A denúncia contra João Lyra foi arquivada em 2008 porque prescreveu em função da idade do acusado.

O deputado foi autor de uma das denúncias que custaram a Renan Calheiros (PMDB-AL), em 2007, a presidência da Casa e que quase lhe tiraram o mandato: a de que o peemedebista usara “laranjas” para comprar, em sociedade com ele, duas emissoras de rádio e um jornal em Alagoas avaliados em R$ 2,5 milhões. A denúncia foi aceita pelo Conselho de Ética, mas rejeitada pelo plenário da Casa, que absolveu o senador, que agora preside novamente o Senado. O caso, porém, ainda é analisado em um inquérito no STF contra Renan.

Deputado quer saber se ministro ajudou empresa de Eike Batista

quinta-feira, 28 de Março de 2013

cesarcolnago_camara1O deputado Cesar Colnago (PSDB-ES) protocolou, na Comissão de Viação e Transporte da Câmara, dois requerimentos com o objetivo de obter explicações sobre a atuação do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, em dois recentes episódios que envolvem o Grupo EBX, do empresário Eike Batista

Deputado quer saber se ministro ajudou empresa de Eike Batista

quinta-feira, 28 de Março de 2013

O deputado Cesar Colnago (PSDB-ES) protocolou, na Comissão de Viação e Transporte (CVT) da Câmara, dois requerimentos com o objetivo de obter explicações sobre a atuação do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, em dois recentes episódios que envolvem o Grupo EBX, do empresário Eike Batista. Membro suplente da comissão, Colnago apresentou um pedido de informação sobre operações de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com a EBX, e um requerimento de convocação para que Pimentel compareça à CVT para explicar a suspeita de que atuou em favor da transferência do Estaleiro Jurong Aracruz (EJA) da Barra do Sahy, litoral do Espírito Santo, para o Porto do Açu, empreendimento que Eike mantém na costa do Rio de Janeiro.

Assunto em destaque na imprensa nas últimas semanas, a transferência do estaleiro em construção pela empresa Jurong Shipyard, de Cingapura, do Espírito Santo para o Rio de Janeiro tem como finalidade, segundo o noticiário, beneficiar os negócios de Eike Batista no setor portuário. Para tanto, de acordo com veículos como as revistas Veja e Época, autoridades do governo brasileiro – como Pimentel e o embaixador brasileiro em Cingapura, Luís Fernando Serra – e até o ex-presidente Lula praticaram uma espécie de lobby de luxo em favor do empresário.

Notícias dão conta de que o embaixador Luís Fernando recebeu e-mail e telefonema do diretor de Relações Institucionais da EBX, Amaury Pires, com a demanda de promover um encontro de executivos da empresa de Cingapura com um ministro de Dilma. Em seguida aos contatos, Pimentel teria enviado ofício ao diplomata reforçando o pleito da EBX – uma audiência com o ministro, aliás, reuniu representantes da Jurong e um diretor da EBX. O ministro nega o favorecimento e diz que tratou apenas, como ministro de Estado, de possibilidades de investimento da Jurong no Brasil.

A reportagem da revista Veja registra foto em que Lula e Eike Batista aparecem deixando o Porto do Açu em 24 de janeiro, dias antes do contato do diretor da EBX com o embaixador. Na ocasião, segundo a revista, o ex-presidente, o empresário e governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), concluíram a articulação para transferir o empreendimento da Jurong do litoral do Espírito Santo para a costa fluminense. Lula não fala sobre o assunto. Eike e Cabral o evitam.

Já o embaixador, com 40 anos de experiência diplomática, documentou toda a movimentação, em fevereiro, mas se limitou a repassar as demandas da Jurong para o ministro do Desenvolvimento. De acordo com o colunista Elio Gaspari, em texto reproduzido em jornais como O Globo e Folha de S.Paulo, o diplomata não participou de qualquer reunião com os executivos das empresas e o ministro Pimentel, a quem foi atribuída a determinação de transferência do estaleiro – segundo a revista Época, partiu de Lula a ordem para que Pimentel ajudasse a EBX. “O relato dele [Pimentel] não corresponde exatamente àquilo que falou o embaixador”, declarou Colnago ao Congresso em Foco.

“Houve uma ação articulada pelo ex-presidente Lula envolvendo um empresário com dificuldades”, acrescentou o deputado, referindo-se a Eike, que teve perdas bilionárias em seus empreendimentos nos últimos anos. Colnago diz ainda que as “mediações” em nome de determinada empresa seriam aceitáveis se feitas por agentes privados legítimos e em um ambiente de “disputa natural”. Mas, para o deputado tucano, o ex-presidente privilegia interesses particulares em detrimento do interesse público. “Ele [Lula] tem se movimentado mesmo para tentar tirar a Jurong daqui”, afirma o palamentar capixaba.

BNDES

Já sobre o financiamento do BNDES para o Grupo EBX, o deputado faz sete questionamentos sobre os benefícios da operação para os seis segmentos do conglomerado empresarial – nos setores de petróleo (OGX), energia (MPX), logística (LLX), mineração (MMX), indústria naval offshore (OSX) e mineração de carvão (CCX). Entre as perguntas estão o valor total da operação financeira, entre 2006 e 2012, e as garantias exigidas à EBX pelo BNDES para a liberação do financiamento.

“Qual a dívida atual, se houver, do Grupo EBX, por empresa, com o BNDES?”, também quer saber o deputado, descrente quanto a uma eventual punição do ministro Pimentel por parte do Planalto – ou mesmo quanto à aprovação da convocação de comparecimento do ministro àquela comissão, devido à força da maioria governista. Mesmo assim, ele diz que vai trabalhar pela aprovação de ambos os requerimentos. “O governo Dilma tem blindado muito o ministro do desenvolvimento.”

Ética pública

Não é a primeira vez que o ministro enfrenta denúncias no exercício de alguma função pública. Ele já havia sido alvo de duas investigações, na Comissão de Ética da Presidência da República, sob a acusação de que recebeu por consultorias não prestadas a órgãos públicos e de que viajou para prestigiar evento internacional à custa do patrocinador.

De acordo com uma das denúncias, Pimentel teve despesas de viagem pagas no trajeto Bulgária-Itália por um empresário. Segundo a outra acusação, o ministro recebeu por consultorias a órgãos públicos e privados sem comprovação do trabalho. Mas, como ambas as denúncias foram arquivadas, ele não precisará passar, ao menos no âmbito da Presidência, por investigações mais minuciosas. Assim, escapa de receber sanções que poderiam ser de censura pública, advertência e até orientação para demissão do cargo.

Por Fábio Góis – congressoemfoco.com.br

Internet sofre maior ciberataque da história

quarta-feira, 27 de Março de 2013

timthumbUma briga entre um grupo que combate o spam na internet e uma empresa holandesa que hospeda sites que enviam spam se transformou em um dos maiores ataques de negação de serviço da história da Internet.

Internet sofre maior ciberataque da história

quarta-feira, 27 de Março de 2013

Uma briga entre um grupo que combate o spam na internet e uma empresa holandesa que hospeda sites que enviam spam se transformou em um dos maiores ataques de negação de serviço da história da Internet, causando congestionamento generalizado e atolando a infraestrutura cibernética em todo o mundo nesta quarta-feira, 27.

Milhões de usuários da Internet em todo o mundo tiveram atrasos em serviços como Netflix ou não puderam acessar um determinado site por um curto período de tempo.

No entanto, para os engenheiros da internet que operam a rede global, o problema é ainda mais preocupante. Os ataques estão se tornando cada vez mais poderosos, e especialistas em segurança temem que, se continuarem a aumentar, as pessoas podem não conseguir acessar serviços básicos da Internet, como e-mails e serviços bancários online.

Spamhaus X Cyberbunker

A disputa começou quando o grupo europeu de combate ao spam Spamhaus acrescentou a empresa holandesa Cyberbunker na sua lista negra, que é usada por provedores de email para eliminar o spam. A medida bloqueou servidores da Cyberbunker acusados de enviar spam. Os ataques à infraestrutura da internet teriam sido lançados pela Cyberbunker em retaliação ao bloqueio.

Cyberbunker, cuja sede funciona em um antigo bunker da Otan na Holanda,  oferece serviços de hospedagem para qualquer site da Web “exceto pornografia infantil e qualquer coisa relacionada ao terrorismo”, segundo seu site.

A técnica usada para realizar o ataque foi a negação de serviço, que ocorre quando um grande número de computadores são infectados com um programa maligno que permite controlá-los à distância. Em seguida, esses computadores são usados para inundar os servidores-alvo com solicitações de dados. A sobrecarga acaba impedindo o funcionamento dos servidores e de toda a rede à qual estão ligados. O alvo principal dos ataques, que vem sendo realizados ao longo do dia, em ondas, são os 80 servidores da Spamhaus espalhados por diversos países.

 

Barbosa nega pedido de mensaleiros para ter acesso aos votos escritos do STF

terça-feira, 26 de Março de 2013

timthumbO presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, negou os pedidos dos advogados do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, e do empresário Ramon Hollerbach, para que os prazos de apresentação de recursos contra a decisão do processo do mensalão fosse ampliado.

Barbosa nega pedido de mensaleiros para ter acesso aos votos escritos do STF

terça-feira, 26 de Março de 2013

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, negou os pedidos dos advogados do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, e do empresário Ramon Hollerbach, para que os prazos de apresentação de recursos contra a decisão do processo do mensalão fosse ampliado. Barbosa negou também o pedido de acesso aos votos escritos dos ministros antes da publicação do acórdão.

Condenado a dez anos e dez meses de prisão por formação de quadrilha e corrupção ativa, Dirceu pediu ao STF que os votos escritos dos ministros no julgamento da ação penal fossem divulgados antes da publicação oficial da decisão. Na prática, o pedido de Dirceu, se aceito, resultaria na ampliação da data limite para a defesa recorrer da sentença, já que o prazo para a apresentação de recursos começa a contar a partir da publicação do acórdão, que tardaria mais a ser divulgado, caso a íntegra dos votos dos ministros tivesse que ser divulgada antes.

Os advogados de Hollerbach queriam a mesma coisa, pedindo a prorrogação por 30 dias da data limite para a apresentação de embargos de declaração. Ex-sócio do publicitário Marcos Valério, Hollerbach foi condenado a mais de 29 anos de prisão por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, corrupção ativa, evasão de divisas e peculato (desvio e roubo de dinheiro público).

O embargo de declaração é um recurso rotineiro, apresentado ao juiz ou tribunal que emitiu uma sentença sobre a qual restam dúvidas, por qualquer uma das partes interessadas no processo. Normalmente, esclarecidas as dúvidas pontuais, a decisão judicial é mantida em sua essência e, se necessário, pequenos ajustes são feitos, esclarecendo os pontos obscuros.

Os advogados de Dirceu justificavam a necessidade de divulgação prévia dos votos com base na “complexidade da presente ação penal” e da “exiguidade do prazo” para a apresentação de embargos de declaração. Ao indeferir o pedido de Dirceu, o presidente do STF apontou que “os votos proferidos durante o julgamento foram amplamente divulgados, tendo sido inclusive transmitidos pela TV Justiça”.

Já ao negar o pedido de Hollerbach, cuja defesa também questionava a exiguidade do prazo legalmente previsto para a apresentação dos embargos de declaração, Barbosa insistiu que o julgamento da ação penal foi realizado em sessões públicas, com a participação dos interessados e transmissão televisiva.

“Disso decorre a inegável conclusão de que, embora o acórdão ainda não tenha sido publicado, o seu conteúdo já é do conhecimento de todos”, salientou. “Noutras palavras, as partes que eventualmente pretendam opor embargos de declaração já poderiam tê-los preparado (ou iniciado a preparação) desde o final do ano passado, quando o julgamento se encerrou”, concluiu o ministro.

Jean Wyllys aposta em aumento de protestos contra Feliciano

terça-feira, 26 de Março de 2013

manifestantesFabioRodriguesPozzebomABrApós o PSC em manter o deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) à frente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDH) da Câmara, o deputado Jean Wyllys (Psol-RJ) disse que a decisão vai levar os movimentos sociais a radicalizarem sua postura contra o deputado.

Jean Wyllys aposta em aumento de protestos contra Feliciano

terça-feira, 26 de Março de 2013

Por Mariana Haubert – congressoemfoco.com.br

Após o PSC em manter o deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) à frente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDH) da Câmara, o deputado Jean Wyllys (Psol-RJ) disse que a decisão vai levar os movimentos sociais a radicalizarem sua postura contra o deputado. Além disso, ele pediu uma postura mais enérgica do presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). Na semana passada, o peemedebista disse que a situação de Feliciano era insustentável. Hoje, afirmou ser necessário respeitar a postura do partido.

 

“O PSC usou um discurso enviesado em que ele confunde a crítica pessoal ao deputado Marco Feliciano a uma crítica ao PSC. E não é isso. Em nenhum momento o partido foi acusado de machista e homofóbico. Quem foi acusado é o deputado Feliciano e as provas estão aí. As declarações são públicas e os vídeos estão na internet. Eu acho que a decisão do PSC de radicalizar vai levar os movimentos sociais no país inteiro a radicalizarem também. Então é um impasse que não é bom para o país”, disse.

As sessões para escolher Feliciano como presidente da CDH e as presididas pelo deputado do PSC foram envolvidas em confusão. Deputados bateram boca. Manifestantes interromperam a última reunião do colegiado, que não conseguiu completar uma audiência pública conjunta com a Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF) sobre pessoas com deficiência. Ontem, cerca de 40 pessoas fizeram uma vigília em frente ao Congresso. Nas redes sociais, protestos não faltam contra o pastor, considerado racista e homofóbico por entidades de direitos humanos.

Para o deputado, a solução é fortalecer a frente parlamentar criada na semana passada como alternativa à CDH e continuar discutindo possibilidades com o presidente da Câmara. “O presidente da Câmara tem que sair de cima do muro. Ele tem permanecido em cima do muro até agora. Ele tem que ter um lado. Ou defende publicamente a permanência de Feliciano na comissão ou diz que vai entrar de maneira mais eficaz nessa disputa e diz que a melhor saída é que o PSC indique outra pessoa”, afirmou.

O parlamentar, único gay assumido na Câmara, afirmou ainda que as desculpas que Feliciano pediu na CDH não são sinceras. “As desculpas dele não são sinceras porque ele acredita naquilo. Eu soube que ele fez recentemente uma reunião com o embaixador do Irã e ele não fez nenhuma menção, por exemplo, aos assassinatos de homossexuais no Irá. Então ele acredita no que falou. Não basta pedir desculpas. A palavra pronunciada não é retirada”, afirmou.

Senado amplia direitos trabalhistas das domésticas

terça-feira, 26 de Março de 2013

senadores-PedroFrancaAgenciaSenadoO Senado concluiu  a votação da proposta de emenda a Constituição que garante mais direitos às empregas domésticas. Por unanimidade os senadores aprovaram o segundo turno da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 66/12. Chamada de  PEC das Domésticas, o texto estende à classe os mesmos direitos concedidos aos demais trabalhadores.

Senado amplia direitos trabalhistas das domésticas

terça-feira, 26 de Março de 2013

Por Mariana Haubert – congressoemfoco.com.br

O Senado concluiu na noite desta terça-feira (26) a votação da proposta de emenda a Constituição que garante mais direitos às empregas domésticas. Por unanimidade – 66 votos -, os senadores aprovaram o segundo turno da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 66/12. Chamada de  PEC das Domésticas, o texto estende à classe os mesmos direitos concedidos aos demais trabalhadores. O texto deverá ser promulgado na próxima terça-feira (2) em sessão do Congresso Nacional. Uma parte das propostas entrarão em vigor imediatamente, enquantro outros dependem de regulação posterior. O primeiro turno foi aprovado na semana passada.

O texto concede à categoria 16 direitos que já são assegurados aos trabalhadores urbanos e rurais sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A principal inovação do texto é garantir uma jornada de 44 horas semanais com no máximo oito horas diárias de trabalho, pagamento de horas extras em valor de pelo menos 50% acima da hora normal e adicional noturno.Também passa a ser obrigatório o aviso prévio de 30 dias antes de uma demissão sem justa causa ou antes do trabalhador pedir demissão. Tais garantias tem aplicação imediata.

Passa a ser obrigatório também a garantia do salário mínimo e a proibição da retenção do pagamento, a redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde, higiene e segurança e o reconhecimento de acordos coletivos de trabalho. Diferenças salariais em funções semelhantes por causa do sexo, idade, cor ou estado civil também ficam proibidos, assim como qualquer discriminação a trabalhador deficiente. Menores de 18 anos não poderão trabalhar a noite e menores de 16 anos não poderão realizar nenhum tipo de exercer qualquer trabalho, exceto como aprendizes.

Também passa a ser obrigatório o recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Neste caso, é necessário haver a regulamentação antes da aplicação, embora alguns parlamentares entendam que a aplicação deva ser imediata porque já existe leis que tratam do assunto. Outros pontos do texto, como o pagamento de seguro-desemprego, adicional por trabalho noturno, contratação de seguro contra acidentes de trabalho, assistência gratuita a dependentes de até cinco anos em creches e pré-escolas e pagamento de salário-família também deverão ser regulamentados para poder entrar em vigor.

Atualmente, os trabalhadores domésticos têm apenas uma parte dos direitos garantidos, como salário mínimo, décimo-terceiro salário, repouso semanal remunerado, férias, licença-maternidade e licença-paternidade, aviso prévio e aposentadoria. A proposta, apresentada pelo deputado Carlos Bezerra (PMDB-MT), foi aprovada na Câmara em dezembro do ano passado. Na semana passada, os senadores aprovaram por unanimidade a matéria em primeiro turno, com 70 votos.

Sem debate

Na sessão de hoje, os senadores suprimiram a fase de debate sobre a matéria e foram direto para a votação. Todos os parlamentares que discursaram durante a sessão apoiaram o texto e ressaltaram a dívida que o país ainda tem com esta classe. “Este é o único resquício da escravidão. Esta é uma noite memorável para todos nós. Essa conversa de que vai haver desemprego é pura balela”, afirmou Magno Malta (PR-ES).

Para a relatora da matéria, Lídice da Mata (PSB-BA), toda vez que sempre que se fala sobre garantias de novos direitos a trabalhadores, um dos argumentos contrários é a possibilidade, fala-se em desemprego. “A história tem desmentido essas pessoas. O passo que o senado está dando hoje é fundamental para garantir uma relação de trabalho democrática”, disse.

A deputada Benedita da Silva (PT-RJ) acompanhou novamente a votação da proposta. Ela foi relatora do texto na Câmara dos Deputados. Quando criança, a parlamentar trabalhou como empregada doméstica e desde que ocupa cargos eletivos luta pelos direitos da classe.

Situação de Feliciano é “insustentável”, afirma Henrique Alves

quinta-feira, 21 de Março de 2013

marco-feliciano_fabio-rodrigues-pozzebom_abr_270O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), reforçou a pressão sobre o deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) ao afirmar que a situação do presidente da Comissão de Direitos Humanos é  ”insustentável”. Ele garantiu que até a próxima terça-feira (26) resolverá a polêmica.

Situação de Feliciano é “insustentável”, afirma Henrique Alves

quinta-feira, 21 de Março de 2013

Por Mariana Haubert – congressoemfoco.com.br

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), reforçou a pressão sobre o deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) ao afirmar que a situação do presidente da Comissão de Direitos Humanos é  ”insustentável”. Ele garantiu que até a próxima terça-feira (26) resolverá a polêmica. “A Comissão de Direitos Humanos, pela sua importância, não pode ficar nesse impasse. Espero até no máximo terça-feira nós tenhamos uma decisão sim. Agora passou a ser também a responsabilidade do presidente da Câmara dos Deputados”, afirmou o peemedebista.

 

Para Henrique, o impasse está criando um “clima de radicalização” que a Câmara não pode aceitar. “Esta Casa tem de primar pelo equilíbrio, pela serenidade, pela objetividade e pelo trabalho parlamentar. Do jeito que está, tornou-se insustentável”, disse. Feliciano é pressionado por entidades e parlamentares ligados aos direitos humanos, que o acusam de ter dado declarações racistas e homofóbicas.

O líder do PSC na Câmara, André Moura (SE), afirmou que, apesar de ter conversado com Feliciano, não sugeriu o seu afastamento da presidência da comissão. O parlamentar disse também que o partido se preocupa com a situação porque as manifestações atrapalham o trabalho do colegiado.

Apesar da pressão, Feliciano afirmou hoje à Rádio Estadão que não irá renunciar. “Não pretendo renunciar. Fui eleito com mais de 200 mil votos. […] Represento 50 milhões de evangélicos diretamente”, disse.

Ontem, Henrique Alves se reuniu com André Moura e o 1º vice-presidente nacional da sigla, Everaldo Pereira, e pediu publicamente uma “solução respeitosa”. Os dois garantiram que irão reunir a bancada para encontrar a solução. Feliciano também havia sido convocado para a conversa, mas não compareceu.

Sob pressão de deputados, Feliciano fica na CDH

Líder do PMDB vira réu no STF por estelionato

quinta-feira, 21 de Março de 2013

eduardocunhaGustavoLimaCamaradosDeputados-285x280Por seis votos a três, o Supremo Tribunal Federal aceitou denúncia  contra o líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), por uso de documentos falsos. Desta forma, o peemedebista passa de investigado em um inquérito para réu em ação penal. Eduardo  disse ser  vítima do “malfeito de um estelionatário já condenado” e de um “ex-procurador fraudador”.

Líder do PMDB vira réu no STF por estelionato

quinta-feira, 21 de Março de 2013

Por Mario Coelho – congressoemfoco.com.br

Por seis votos a três, o Supremo Tribunal Federal (STF) aceitou denúncia contra o líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), por uso de documentos falsos. Desta forma, o peemedebista passa de investigado em um inquérito para réu em ação penal. Em nota, Cunha afirmou respeitar a decisão da corte. No entanto, disse ser vítima do “malfeito de um estelionatário já condenado” e de um “ex-procurador fraudador”.

 

Relator do caso, o ministro Gilmar Mendes disse que a denúncia contra Cunha estava “bem delineada”. “Existem indícios suficientes para receber a denúncia”, afirmou. Por isso, votou pela continuidade das investigações. Acompanharam ele os ministros Teori Zavascki, Rosa Weber, Cármen Lúcia, Marco Aurélio Mello e Joaquim Barbosa. Já Luiz Fux, José Antonio Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski se posicionaram pelo arquivamento.

O líder do PMDB foi denunciado pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, por usar, segundo a acusação, documentos falsos na tentativa – bem sucedida até o ano passado – de barrar uma investigação do Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Rio de Janeiro sobre irregularidades atribuídas à sua gestão no comando de uma estatal fluminense. Para o PGR, Cunha foi o único favorecido da falsificação.

Em 2002, Cunha obteve do procurador do Ministério Público Elio Fischberg cinco documentos que certificavam o arquivamento das investigações naquele órgão sobre a Companhia de Habitação do Estado do Rio de Janeiro (Cehab), órgão presidido pelo peemedebista entre 1999 e 2000. Para o relator do inquérito, durante a ação penal é que vai se discutir se o líder do partido pode ser considerado culpado pelo uso dos documentos ou não.

PGR acusa Eduardo Cunha de falsificar documento
Garotinho é o líder na Câmara com mais investigações
Os líderes na Câmara sob investigação

Ministra do STF suspende Lei dos Royalties

segunda-feira, 18 de Março de 2013

carmenluciaNelsonJrSCOSTF--285x280A ministra do Supremo Tribunal Federal Cármen Lúcia suspendeu a eficácia da Lei dos Royalties, que teve sua redação modificada com a derrubada pelo Congresso de 142 vetos presidenciais. Dessa forma, até o julgamento do mérito da ação, a distribuição dos lucros da exploração do petróleo no Brasil segue o modelo usado até o mês passado.

Ministra do STF suspende Lei dos Royalties

segunda-feira, 18 de Março de 2013

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia suspendeu nesta segunda-feira (18) a eficácia da Lei dos Royalties (Lei 12.734/12), que teve sua redação modificada com a derrubada pelo Congresso de 142 vetos presidenciais. Dessa forma, até o julgamento do mérito da ação, a distribuição dos lucros da exploração do petróleo no Brasil segue o modelo usado até o mês passado. Cármen Lúcia concedeu liminar na ação direta de inconstitucionalidade apresentada pelo governo do Rio de Janeiro por entender que caso é complexo e de difícil reversão.

“Pelo exposto, na esteira dos precedentes, em face da urgência qualificada comprovada no caso, dos riscos objetivamente demonstrados da eficácia dos dispositivos e dos seus efeitos, de difícil desfazimento, defiro a medida cautelar para suspender os efeitos dos arts. 42-B; 42-C; 48, II; 49, II; 49-A; 49-B; 49-C; § 2º do art. 50; 50-A; 50-B; 50-C; 50-D; e 50-E da Lei Federal n. 9.478/97, com as alterações promovidas pela Lei n. 12.734/2012, ad referendum do Plenário deste Supremo Tribunal, até o julgamento final da presente ação”, disse a ministra, relatora de quatro ações sobre o caso.

A íntegra da decisão ainda não foi publicada pelo STF. Com a decisão de Cármen Lúcia, fica suspenso o modelo de partilha aprovado pela Câmara em novembro e depois vetado pela presidenta Dilma Rousseff. Na madrugada de 7 de março, deputados e senadores rejeitaram o veto presidencial. Na quinta-feira (15), o Palácio do Planalto anunciou que a presidenta iria promulgar a nova redação da lei. No dia seguinte, governadores de três estados – Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo – e a Assembleia Legislativa do Rio contestaram a norma no STF.

Cármen Lúcia é a relatora das quatro ações diretas de inconstitucionalidade. No entanto, como todas possuem argumentos similares, ela decidiu somente na apresentada pelo governo do Rio de Janeiro. Nas 51 páginas da ADI 4917, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), argumenta que a Lei dos Royalties é inconstitucional. Para o peemedebista, a norma fere o pacto federativo da Constituição de 1988. Cabral entende que o pagamento dos royalties não pode ser modificado por meio de uma lei ordinária.

Também contesta o fato de que o projeto aprovado na Câmara em novembro quebra os atuais contratos de exploração de petróleo, ferindo “o direito adquirido, o princípio da segurança jurídica, o ato jurídico perfeito e o princípio da responsabilidade fiscal”. O artigo 42 de Lei dos Royalties muda a distribuição dos lucros, diminuindo a participação da União e dos estados produtores – mais notadamente Rio, Espírito Santo e São Paulo – e aumentando dos estados não produtores.

A fatia da União nos royalties cai de 30% para 20%, enquanto os estados produtores têm redução de 26,25% para 20%. Os municípios confrontantes sofrerão a seguinte redução: de 26,25% passam para 17% e chegam a 4% em 2020. Os municípios afetados pela exploração de petróleo também sofrerão cortes: de 8,75% para 2%. Em contrapartida, o percentual a ser recebido pelos estados e municípios não produtores saltará de 8,75% para 40%. O Congresso em Foco mostrou que deputados e senadores dos 25 estados não produtores de petróleo tiveram R$ 8,6 bilhões em motivos para derrubar os 142 vetos da presidenta.

De acordo com a Agência Nacional do Petróleo (ANP), os lucros são pagos a estados e municípios com dois meses de atraso. Ou seja, neste mês foram repassados os royalties referentes à janeiro. Os novos valores passariam a entrar nas contas a partir de maio.

Por Mario Coelho – congressoemfoco.com.br

Volvo lança sistema que detecta ciclistas e freia automóvel

sábado, 16 de Março de 2013

Atimthumb.php Volvo lançará no próximo o que considera o primeiro sistema do mundo de detecção de ciclistas. O sistema é capaz de freiar o carro quando perceber manobras arriscadas e estará disponível nos modelos V40, S60, V60, XC60, V70, XC70 e S80 models a partir de maio.

Volvo lança sistema que detecta ciclistas e freia automóvel

sábado, 16 de Março de 2013

A Volvo lançará no próximo domingo, 17, o que considera o primeiro sistema do mundo de detecção de ciclistas. O sistema é capaz de freiar o carro quando perceber manobras arriscadas e estará disponível nos modelos V40, S60, V60, XC60, V70, XC70 e S80 models a partir de maio.

Batizado de Detecção de Ciclista e de Pedestre, o sistema possui frenagem automática total e funciona através de um radar instalado na grade frontal do veículo e uma câmera acoplada na parte da frente do retrovisor. Ambos são ligados a um controle central. O radar detecta o objeto e calcula a distância entre ele e o automóvel, enquanto a câmera determina de que tipo de objeto se trata.  Diante da iminência de colisão, o sistema dispara um alerta e freia totalmente o veículo.

No ano passado, a marca já havia lançado um sistema de detecção de pedestres e o primeiro carro com airbags para ciclistas, o Volvo V40, que chegou a ser exposto no salão de São Paulo. Todos os carros que já possuem o sistema de alerta para pedestres poderão completá-lo com o de ciclistas.

Segundo dados divulgados pela Volvo, quase metade dos ciclistas mortos em acidentes na Europa colidiram com carros. Veja abaixo o video que mostra como funciona o sistema.

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

Cientistas testam droga que pode reverter sintomas do autismo

sábado, 16 de Março de 2013

timthumb.phpPela primeira vez, cientistas irão testar em crianças uma droga que promete reverter o autismo. A droga, chamada Suramina, usada para tratar distúrbios do sono na África, foi bem sucedida em corrigir sintomas semelhantes ao autismo em ratos.

Cientistas testam droga que pode reverter sintomas do autismo

sábado, 16 de Março de 2013

Pela primeira vez, cientistas irão testar em crianças uma droga que promete reverter o autismo. A droga, chamada Suramina, usada para tratar distúrbios do sono na África, foi bem sucedida em corrigir sintomas semelhantes ao autismo em ratos.

O alvo do medicamento é um sistema de mensagem celular, conhecido como sinalização purinérgica, que produz resposta metabólica ao estresse. Os cientistas acreditam que o autismo esteja fortemente ligado a esta via.

“Nossa teoria sugere que o autismo se deve ao fato de as células emperrarem em um modo defensivo metabólico e não se comunicam entre si com normalidade, o que pode interferir no desenvolvimento e na função do cérebro”, disse Robert Naviaux, professor de medicina da Universidade da Califórnia.

Naviaux reconhece que o sucesso do tratamento em ratos ainda está muito distante da cura em humanos, mas os bons resultados encorajaram os pesquisadores a continuar o estudo e testar o método em crianças com autismo. Segundo o professor, a impresionante eficácia da droga em ratos pode pavimentar o caminho para uma nova classe de anti-inflamatórios para tratar o autismo e outros transtornos.

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

Brasília como ela é

sexta-feira, 15 de Março de 2013

ImgColunista7Coluna Carlos Brickmann (foto)
Dilma, coitadinha, é refém desta política suja, dizem seus aliados; ou se submete a alianças estranhas, difíceis de compreender, e se junta a pessoas que sempre criticou, distribuindo-lhes cargos e verbas a mancheias, ou o país se torna ingovernável. Se a presidente é mesmo refém desta política suja, sofre hoje da Síndrome de Estocolmo, aquela que leva os reféns a amar e admirar seus algozes.

Brasília como ela é – Coluna Carlos Brickmann

sexta-feira, 15 de Março de 2013

Dilma, coitadinha, é refém desta política suja, dizem seus aliados; ou se submete a alianças estranhas, difíceis de compreender, e se junta a pessoas que sempre criticou, distribuindo-lhes cargos e verbas a mancheias, ou o país se torna ingovernável. Se a presidente é mesmo refém desta política suja, sofre hoje da Síndrome de Estocolmo, aquela que leva os reféns a amar e admirar seus algozes.

A presidente Dilma Rousseff está chamando Fernando Collor, senador pelo PTB de Alagoas, de “nosso senador” (e em público!), faz elogios ao senador Renan Calheiros, do PMDB de Alagoas, presidente do Senado, aquele que já teve de renunciar ao cargo para não ser cassado e voltou ao mesmo lugar contra a vontade de Dilma (que em outras épocas preferia vê-lo no Governo alagoano e não em Brasília, tão perto dela). Os dois, disse ela em entrevista às rádios alagoanas, são seus “aliados preferenciais” no Congresso. Dilma também fez elogios ao senador alagoano Benedito de Lira, do PP de Paulo Maluf, outro político que antes repudiava e a quem hoje dedica manifestações de apreço. Mas a presidente deu menos destaque a Lira do que a Collor e Renan – talvez porque Lira não tenha – ainda – currículo tão destacado quanto o de seus companheiros alagoanos.

E que é que o PT de Dilma dizia de Fernando Collor enquanto ele não tinha virado “aliado preferencial”? Na palavra de Lula, gravada em vídeo, “lamentavelmente a ganância, a vontade de roubar, a vontade de praticar corrupção fez com que o Collor jogasse o sonho de milhões e milhões de brasileiros por terra”.

Só se morre duas vezes

Dilma prometeu ajuda aos pequenos proprietários nordestinos atingidos pela seca. Mas não agora: “A gente vai ter de recuperar o rebanho (…) Só não posso recuperar o rebanho quando ainda tem seca, se não vai morrer outra vez”.

Este colunista está velho. É do tempo em que o bicho morria uma vez só.

Investigação total

A insistência da oposição em investigar os problemas da Petrobras (da perda de capacidade de investimento à compra, por preço que o mercado acha muito alto, de uma refinaria americana que agora não se consegue revender) está provocando uma reação extremamente saudável do PT: ameaça divulgar a lista de políticos tucanos que ocupavam cargos de direção na empresa no final do mandato de Fernando Henrique.

A ideia é ótima e não deve ficar apenas na ameaça. A Petrobras tem papel da maior importância na economia, é a vitrine internacional da capacidade brasileira e tem de estar acima de qualquer suspeita. Que se investigue tudo – e não se esqueça a tal refinaria. O negócio parece esquisito demais para que não surja dúvida quanto à competência e à honestidade com que foi feito.

Na Bahia…

Recomendação da Polícia baiana aos cidadãos de bem, divulgadas no portal da Secretaria da Segurança, sob o título Como agir durante um assalto: “Carregue um pouco de dinheiro (para satisfazer o ladrão), mas poucos cartões”. Quando a Polícia dá essas instruções, reconhece que está tudo dominado.

O governador Jaques Wagner, do PT, mandou retirar as recomendações do portal.

…tem precedente

E como é que se escolhe quem vai ser delegado ou escrivão da Polícia baiana? Por concurso, claro – o melhor caminho. Mas, para mulheres, o concurso já começa diferente: têm de passar por avaliação ginecológica detalhada, com exames de colposcopia, citologia e microflora. Se forem virgens – “com hímen íntegro”- estarão livres desses exames. Mas terão de comprovar a virgindade por atestado, com assinatura, carimbo e registro profissional do médico.
O governador Jaques Wagner mandou cancelar as exigências estúpidas. Mas quantas coisas ocorrem sem que o governador saiba?

Como dizia o lendário político baiano Octavio Mangabeira, “pense num absurdo, na Bahia tem precedente”.

O livro do inocente

Circula nos meios petistas a informação de que José Dirceu, condenado no processo do Mensalão e aguardando execução da pena, estuda a possibilidade de escrever um livro, cujo título, em princípio, seria Por que sou inocente.

Entra nas estantes ao lado de outros best-sellers, como As praias mais quentes da Sibéria, Delícias da cozinha britânica e Quem é quem no Quirguistão.

Roubo em Brasília

Uma quadrilha invadiu a residência de um casal de servidores públicos no Setor de Mansões do Lago Norte, Brasília. O assalto, ocorrido no dia 14, durou duas horas e meia. Os bandidos levaram objetos, joias, obras de arte, prataria e um carro, no valor estimado de aproximadamente um milhão de reais (só de joias, informa a Polícia, havia algo como R$ 500 mil). Quem foi assaltado? Os nomes não foram divulgados: sabe-se que o marido é diplomata e a esposa trabalha no Cerimonial da Presidência da República.

Câmeras e alarmes estavam desligados.

Atenção

O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, é um político hábil, de raciocínio preciso e frio, excelente no uso da máquina. Se Kassab se recusou a indicar ministros, provavelmente sabe de alguma coisa que nós não sabemos. Que será?

carlos@brickmann.com.br
www.brickmann.com.br

Estudo com adultos aponta novos casos de ‘cura’ do HIV

sexta-feira, 15 de Março de 2013

timthumbBoas notícias. Um estudo feito na França conseguiu se aproximar da cura da AIDS. O estudo, conhecido como Visconti, tratou com antirretrovirais 14 adultos infectados com o vírus HIV. Ao final do tratamento, os adultos foram considerados  curados.

Estudo com adultos aponta novos casos de ‘cura’ do HIV

sexta-feira, 15 de Março de 2013

Boas notícias. Um estudo feito na França conseguiu se aproximar da cura da AIDS. O estudo, conhecido como Visconti, tratou com antirretrovirais 14 adultos infectados com o vírus HIV. Ao final do tratamento, os adultos foram considerados “funcionalmente curados”, o que significa que ainda carregam traços do vírus, mas não apresentam os sintomas, mesmo após a interrupção do tratamento.

Leia mais: Cientistas anunciam cura de bebê com vírus da Aids

A descoberta encorajadora chega semanas após o anúncio do caso do bebê do Mississipi, que foi considerado curado do vírus após ter sido submetido ao tratamento com antirretrovirais horas após o nascimento.

Segundo os pesquisadores, a chave para o sucesso do tratamento é começar cedo. Os 14 adultos infectados receberam o tratamento cerca de 10 semanas após a infecção e continuaram por alguns anos até a interrupção, feita sob supervisão médica.

Após suspender os anti-retrovirais, os adultos ainda apresentavam traços de HIV no sangue, porém, em níveis tão baixos que o próprio corpo foi capaz de mantê-los sob controle, sem a necessidade de drogas.

Publicado no periódico PLoS Pathogens, o estudo conduzido por Christine Rouzioux, da Universidade Paris Descartes, sugere que a remissão a longo prazo seja possível em pelo menos 15% dos infectados tratados precocemente. No futuro, o Visconti pode ser considerado um divisor de águas nas pesquisas de tratamento do HIV.

Fonte: opiniaoenoticia.com.br