Arquivo de junho de 2012

Operadoras de telefonia móvel estão proibidas de vender celular bloqueado

sábado, 30 de junho de 2012

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) proibiu as empresas de telefonia móvel a vender aparelhos celulares bloqueados ao consumidor. Se descumprirem, as operadoras podem ser multadas em R$ 50 mil por dia.

Operadoras de telefonia móvel estão proibidas de vender celular bloqueado

sábado, 30 de junho de 2012

Carolina Pimentel
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) proibiu as empresas de telefonia móvel a vender aparelhos celulares bloqueados ao consumidor. Se descumprirem, as operadoras podem ser multadas em R$ 50 mil por dia.

A decisão foi tomada pela 5ª Turma do tribunal, divulgada ontem (29) pelo órgão, em resposta a um recurso apresentado pelo Ministério Público Federal (MPF) contra a sentença de um juiz de primeira instância favorável à prática do bloqueio dos aparelhos. Ainda cabe recurso da decisão.

O MPF argumenta que o bloqueio dos celulares caracteriza a prática conhecida como fidelização, obrigando o consumidor a ficar “ligado a uma única operadora”. Já as empresas de telefonia móvel alegam que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) autoriza o bloqueio por até 12 meses como forma de fidelização e que, “para conceder determinados benefícios, a operadora arca com o preço do aparelho e acaba por transportar determinados encargos para o mercado”.

O relator do processo, desembargador federal Souza Prudente, rebateu o argumento das empresas. De acordo com ele, a norma da Anatel é equivocada por propiciar a venda casada, o que “configura uma violência contra o consumidor”.

Para a desembargadora federal Selene Almeida, que acompanhou o voto do relator, a fidelização afronta os direitos do consumidor, porque o que as empresas “estão fazendo, através de descontos concedidos em troca de aparelhos, é restituirem-se do desconto com a prestação do serviço, já que o valor das mensalidades acaba por pagar, com sobras, os benefícios concedidos”, segundo informações publicadas na página do TRF1 na internet.

Edição: Lana Cristina

Maconha ainda é a droga mais usada no mundo

sábado, 30 de junho de 2012

A maconha continua sendo a droga mais usada no mundo. De acordo com o último relatório divulgado pela ONU existem entre 119 milhões e 224 milhões de usuários pelo mundo.

Maconha ainda é a droga mais usada no mundo

sábado, 30 de junho de 2012

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

A maconha continua sendo a droga mais usada no mundo. De acordo com o último relatório divulgado pela ONU, publicado na última terça-feira, 27, existem entre 119 milhões e 224 milhões de usuários pelo mundo.

A ilha Palau, situada no Pacífico, detêm a maior taxa: aproximadamente um quarto das pessoas entre 15 e 64 anos fumaram maconha ano passado. Italianos e norte-americanos também gostam de alterar a consciência com a erva, com taxas de 14,6% e 14,1%, respectivamente. No Uruguai, onde estão em debate planos para a legalização da planta, a taxa é de 5,6%.

Enquanto o consumo está estável ou tem diminuído em grande parte do mundo desenvolvido, está crescendo em partes da Ásia e na África. É difícil medir a produção, mas de acordo com o relatório, o cultivo de maconha no Afeganistão em 2010 teve quase o dobro do lucro do cultivo de papoula.

 

Dilma assume presidência do Mercosul e promete eleições democráticas no Paraguai

sábado, 30 de junho de 2012

A presidente Dilma Rousseff assumiu a presidência pro tempore do Mercosul durante a reunião na Argentina. Ela convocou os países do Mercosul a um esforço integrado para que o Paraguai tenha eleições “democráticas, livres e justas”, em abril do ano que vem.

Dilma assume presidência do Mercosul e promete eleições democráticas no Paraguai

sábado, 30 de junho de 2012

Brasília – A presidente Dilma Rousseff assumiu nesta sexta-feira a presidência pro tempore do Mercosul durante a reunião de cúpula do bloco em Mendoza, na Argentina. Ela convocou os países do Mercosul a um esforço integrado para que o Paraguai tenha eleições “democráticas, livres e justas”, em abril do ano que vem.

Em discurso na Cúpula Extraordinária de Chefes de Estado da Unasul, Dilma lembrou a existência de “compromisso democrático fundamental” na constituição do Mercosul, que prima pelo respeito aos princípios do direito de defesa, rejeita ritos sumários e zela para assegurar a manifestação dos legítimos interesses dos povos.

Ela ressaltou que está consciente dos desafios e oportunidades na liderança do Mercosul. “Devemos nos integrar cada vez mais para enfrentar a crise econômica que atinge os países desenvolvidos”, em especial os da zona do euro, ampliando “o que há de melhor em nosso modelo de crescimento, que é a distribuição de renda, a inclusão social e o crescimento de nossas economias de maneira sustentável”, acrescentou.

De acordo com Dilma, é preciso fazer da integração das economias do Cone Sul “um fator relevante de aprimoramento das condições de vida” dos povos da região, que é uma das áreas menos afetadas pela crise financeira internacional. Destacou, porém, que “a América Latina não é e não será apenas fornecedora de alimentos, de minérios e de energia”.

A presidente destacou que o comércio de bens básicos é importante em um mundo no qual a segurança alimentar e energética ganha destaque, mas enfatizou a necessidade de mais investimentos em educação, em pesquisa científica e pacotes tecnológicos, de modo a gerar inovações para “ampliar nossos mercados e assegurar nossos conhecimentos”.

O Brasil assume a presidência pro tempore do Mercosul com o compromisso, segundo ela, de dar seguimento a todas as políticas de integração, baseadas no que foi conquistado, e contribuir para mais avanços no âmbito regional. Para tanto, “devemos incluir objetivos estratégicos para integração de nossas cadeias produtivas e assegurar que todos os países tenham capacidade e possam ter ganhos”.

Fonte: votebrasil.com

Procurador denuncia 37 por mensalão do DEM no DF

sábado, 30 de junho de 2012

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, denunciou 37 pessoas por envolvimento com o esquema que ficou conhecido como mensalão do DEM no Distrito Federal. O principal denunciado é o ex-governador José Roberto Arruda, que chegou a ser preso.

Procurador denuncia 37 por mensalão do DEM no DF

sábado, 30 de junho de 2012

Por Rudolfo Lago – congressoemfoco.com.br

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, denunciou 37 pessoas por envolvimento com o esquema que ficou conhecido como mensalão do DEM no Distrito Federal. O principal denunciado é o ex-governador José Roberto Arruda, que chegou a ser preso quando o esquema foi desvendado e renunciou de seu mandato para não ser cassado. Entre os denunciados, está também o ex-vice-governador do DF Paulo Octávio.

O mensalão do DEM foi descoberto na Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal. O ex-secretário do Governo do Distrito Federal Durval Barbosa fez um acordo de delação premiada com o Ministério Público e, a partir daí, começou a gravar vídeos em que flagrava políticos de Brasília e integrantes do governo recebendo propinas. Entre eles, estava o próprio Arruda.

Veja quem são os denunciados no mensalão do DEM do DF
Tudo sobre a Operação Caixa de Pandora

De acordo com a denúncia, o grupo criminoso liderado por Arruda desviou pelo menos R$ 100 milhões dos cofres públicos em contratos sem licitação. A denúncia do Ministério Público tem 191 páginas e foi encaminhada ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Rio+20 custou cerca de R$ 97,1 milhões

sexta-feira, 29 de junho de 2012

A Conferência Rio+20 demandou desembolsos de pelo menos R$ 97,1 milhões por parte da União. O levantamento não inclui despesas do governo do Estado ou da Prefeitura do Rio de Janeiro, ou ainda programas que tenham favorecido o evento de forma indireta.

Rio+20 custou cerca de R$ 97,1 milhões

sexta-feira, 29 de junho de 2012

 

 
Yuri Freitas
Do Contas Abertas

 

A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), ocorrida entre 13 e 22 de junho, demandou desembolsos da ordem de pelo menos R$ 97,1 milhões por parte da União, recursos que foram administrados pelo Comitê Nacional de Organização da Rio+20 no âmbito do Ministério das Relações Exteriores (MRE). O levantamento não inclui despesas do governo do Estado ou da Prefeitura do Rio de Janeiro, ou ainda programas que tenham favorecido o evento de forma indireta. (veja tabela)

Apesar dos custos, o valor se encontra abaixo do orçamento previsto um mês antes do início da conferência, que ultrapassava a cifra de R$ 100 milhões. Na ocasião, já haviam sido gastos R$ 20,4 milhões, apenas em 2012, em dispêndios que incluíam locação e manutenção de imóveis, prestação de serviços de áudio, serviços gráficos e editoriais, serviços na área de tecnologia da informação, serviços de cópia e reprodução de documentos, além de consultoria.


No total, os repasses da União foram divididos na gestão de dois programas: política de meio-ambiente (R$ 1,5 milhão) e política externa (R$ 95,6 milhões). No primeiro grupo, concerne a atividade de “apoio aos temas ambientais da conferência”; no segundo, foram empregados R$ 11,9 mil em “eventos internacionais oficiais” e o restante na “organização e realização da conferência” propriamente dita. (veja tabela)

A maior parte dos gastos para organizar e realizar o evento se destinou à “locação de imóveis”, particularmente os espaços “Riocentro”, “HSBC Arena” e “Pier Mauá”. Ao todo, foram consumidos por volta de R$ 26,8 milhões com esse tipo de aluguel. O restante é atribuído à locação de “bens móveis” (R$22,8 milhões), locação de máquinas e equipamentos (R$ 16,9 milhões), seguros em geral (R$ 4,9 milhões), dentre demais custos também decorrentes de serviços prestados por empresas.

Desse montante, cerca de R$ 16,5 milhões foram destinados à “GL Events Centro de Convenções S.A.”. A sociedade é a responsável por locação do “Riocentro”, entre 02 e 27 de junho, e “HSBC Arena”, entre 07 e 26 de junho, sendo a empresa que mais recebeu da União em ações para a Rio+20. A segunda companhia com maiores repasses é a “Technik Brasil Ltda.”, designada para locação de equipamentos de audiovisual. Foram alocados R$ 14,1 milhões para a prestação de serviço.

O futuro que queremos

O documento final da Rio+20, aprovado em plenário da reunião, recebeu o título de “O futuro que queremos” e prevê, dentre outros pontos, a criação de um fórum político para desenvolvimento sustentável dentro das Nações Unidas. Ainda, estabelece a erradicação da pobreza como desafio principal dos Estados membros através da transferência de tecnologia a países em desenvolvimento.

Contudo, o texto oficial sofreu várias críticas por parte de segmentos da sociedade civil, ao ponto de lideranças de Organizações Não-Governamentais (ONGs) participantes da Rio+20 divulgarem carta aberta em repúdio à redação final.

“A Rio+20 passará para a história como uma Conferência da ONU que ofereceu à sociedade mundial um texto marcado por graves omissões que comprometem a preservação e a capacidade de recuperação socioambiental do planeta, bem como a garantia, às atuais e futuras gerações, de direitos humanos adquiridos”, diz trecho da carta.

Contas-sujas estão livres para concorrer e confundir

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Segundo o TSE, 21 mil candidatos tiveram suas contas reprovadas em eleições até 2010. Uma nova resolução garante a todos eles o direito de buscar uma cadeira de prefeito ou vereador nas eleições de outubro.

Contas-sujas estão livres para concorrer e confundir

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Por Leonardo Sarmento – opiniaoenoticia.com.br

Segundo o TSE, 21 mil candidatos tiveram suas contas reprovadas em eleições até 2010. Uma nova resolução garante a todos eles o direito de buscar uma cadeira de prefeito ou vereador nas eleições de outubro. Eles precisarão apenas apresentar suas contas para a obterem certidão de quitação eleitoral, documento necessário para requerer o registro de candidatura.

Leia mais: TSE libera ‘contas-sujas’ para pedirem votos ao povo

O pedido de reconsideração da decisão tomada em março foi apresentado pelo PT, por obviedade uLULAnte e, mais tarde, assinado por outros 13 partidos: PMDB, PSDB, DEM, PTB, PR, PSB, PP, PSD, PRTB, PV, PCdoB, PRP e PPS. As legendas fundamentaram o pedido argumentando que a necessidade de ter as contas aprovadas não estava prevista em lei e que sua eventual adoção deveria respeitar o princípio da anualidade – ou seja, deve ser estabelecida pelo menos um ano antes do pleito.

Em março, por 4 votos contra 3, a Corte havia determinado que só poderia disputar uma eleição o candidato cuja prestação de contas de campanhas passadas tivesse sido aprovada pela Justiça Eleitoral. Nesta quinta-feira, 28, pelo mesmo placar, o tribunal decidiu que basta apresentar a prestação para entrar na corrida eleitoral. Venceu o poder financeiro, perdeu a moralidade.

O fator que fulminou a decisão de março foi a saída do ministro Lewandowsky e a entrada do “comprometido” Tóffoli, ministro sem a mínima condição de ostentar quaisquer das cadeiras que esquenta (STF/TSE), mas que catapultado por Lula, agora por lá figura… Ministro, vale lembrar, reprovado na 1ª fase (a mais elementar das fases) nas duas vezes que prestou concurso para Magistratura de São Paulo. Tornou-se posteriormente assessor parlamentar da liderança do PT na Câmara desistindo da árdua tarefa de se tornar um juiz. Mas o mundo dá voltas. Não conseguiu nem ao menos passar para 2ª fase em uma prova para magistratura, mas anos depois tornou-se ministro do Supremo Tribunal Federal, posto que carrega como exigência constitucional “notável saber jurídico”.

Questões constitucionais decididas por juízes de 1º grau (posto que tentou, tentou, não passou e desistiu) e pelos desembargadores em 2º grau de jurisdição estão sendo revistas e analisadas em último grau por Tóffoli, quem diria… Mas nem tudo é terror, já que Tóffoli conta com talvez os melhores assessores do Supremo, capazes de proferir votos antológicos em seu nome.

Quando caracterizei-o como ministro comprometido é por sua íntima vinculação com o PT. Como assessor parlamentar, como membro da AGU no governo Lula e como ministro do Supremo indicado por Lula. O julgamento do mensalão muito me preocupa.

Esquecendo Tóffoli e analisando a decisão nos termos frios da lei, esta pode-se dizer juridicamente defensável, pois em respeito ao princípio da anualidade, porém mostrou-se retrógrada, um retrocesso de uma conquista social indesejada, tendo em vista que definitivamente descurou-se do interesse público para privilegiar o político-partidário. O desejo da sociedade por moralidade administrativa/eleitoral desde o momento do sufrágio era um desejo que deveria revelar-se preponderante. Para candidatar-se a um cargo público o candidato deveria ostentar uma probidade imaculada, como uma viagem pura e intocada dos contos de fadas, ao menos em matéria de crimes contra a administração pública, contra o erário público.

E por favor, não me venham falar que quem escolhe seus representantes é a sociedade. Essa premissa é falsa por hipocrisia. Não pertencemos a uma sociedade culturalmente discernida que saiba, sem parâmetros mínimos, escolher com responsabilidade. Nossa amada democracia já nos impele goela abaixo abobalhados Tiriricas; “Malufis”, no entanto, tem o Estado o dever de nos poupar em respeito ao contexto de nossa Constituição. Entendo que o princípio da moralidade erigido como princípio constitucional seria suficiente para impedir a candidatura de quem se duvida por sua moral, devendo ser autoaplicável independente de estar ou não prevista em Lei Complementar, mas isso já é uma discussão jurídica acalorada, que refoge aos ideias do presente texto.

Como uma prestação de interesse público trago a lista dos contas-sujas, que a partir do voto de Tóffoli poderão concorrer às eleições de outubro. Lamentemos e façamos o que estiver aos nossos alcances.

Segue a lista dos contas-sujas, com maioria esmagadora de quadrilheiros do PT:

ADÃO COSTA SILVA

ALDEMIR LOPES DA SILVA
ALÉRCIO DIAS
ALUÍZIO BEZERRA DE OLIVEIRA
ANADIR OLIARE CARDOZO
ANTÔNIA NERIS FERREIRA DA SILVA
ANTÔNIO CARLOS GOMES
ANTÔNIO LUIZ BENTO DE MELO
ANTÔNIO SOARES DA SILVA
ARIMAÍLDE SOUZA DA CUNHA
ASSUERO DOCA VERONEZ
AURÉLIO DE SOUZA BRAGA
AYSSON ROSAS FILHO
CÉSIO DE MEDEIROS PAULO
CLÁUDIO ROBERTO DO NASCIMENTO
DEUSMAR DUTRA DA SILVA
DIVALDO LUCENA BRASILEIRO
DOMINGOS SÁVIO DE MEDEIROS
EDMAR BALBINO DOS SANTOS
ELIZETE ARAÚJO DA SILVA
ERISVANDO TORQUATO DO NASCIMENTO
EUDEMIR GOMES BEZERRA
EUVALDO GONÇALVES DA SILVA
FELISMINO ROCHA MENDONÇA
FERNANDO ANTÔNIO DA GAMA FILHO
FRANCIMAR FERNANDES DE ALBUQUERQUE
FRANCISCO ANTONIO SARAIVA DE FARIAS
FRANCISCO AVELINO BATISTA
FRANCISCO BATISTA DE SOUZA
FRANCISCO CARLOS DA SILVEIRA CAVALCANTI
FRANCISCO LIBERATO DE SOUZA
FRANCISCO MARQUES DE ARRUDA
FRANCISCO VAGNER DE SANTANA AMORIM
GILBERTO CASTRO OSSAMI
GILSON KENNEDY DO ROSÁRIO PEREIRA
GRACE MÔNICA ALVIM COELHO DE ARAÚJO ROCHA
HIRLETE MEIRELES PINTO
IDALCI DALLAMARIA
ISMAR BERNARDO DE ARAÚJO
ITAMAR PEREIRA DE SÁ
IVAN BIANCARDI
JOAIS DA SILVA DOS SANTOS
JOÃO BARBOSA DE SOUZA
JOÃO RIBEIRO COIMBRA
JOAQUIM LUIZ YAWANAWA
JONAS PEREIRA DE SOUZA FILHO
JORGE LUIZ HESSEL
JORGE WANDERLAU TOMÁS
JOSÉ ALTAMIR TAUMATURGO SÁ
JOSÉ FERNANDES FERREIRA LIMA
JOSÉ FRANCISCO COSTA DE OLIVEIRA
JOSÉ GOMES DOS SANTOS FILHO
JOSÉ MONTEIRO DA SILVA
JOSÉ RAIMUNDO BARROSO BESTENE
JOSÉ RUY COELHO DE ALBUQUERQUE
JOSÉ SERAFIM COIMBRA GOMES
JOSÉ VALMIR DA SILVA CRUZ
JOSIMAR FRANCISCO DE OLIVEIRA COELHO
KLEBER BEZERRA PINHEIRO
KLEBER PEREIRA CAMPOS
LEANDRO TAVARES DE ALMEIDA
LOURIVAL MARQUES DE OLIVEIRA
LOURIVAL MUSTAFÁ DE ANDRADE
LUIZ ANTÔNIO DA SILVEIRA CAETANO
LUIZ ANTÔNIO TREVISAN VEDOIN
LUIZ PEREIRA DE LIMA
MANOEL LOPES DUARTE
MARIA ALMIRA CRUZ DO NASCIMENTO
MARIA ARAÚJO DE AQUINO
MARIA PASTORA DA COSTA
MAURI SÉRGIO MOURA DE OLIVEIRA
MICHEL MARQUES ABRAHÃO
MIRACELE DE SOUZA LOPES BORGES
MOISÉS FAUSTINO DA ROCHA FILHO
NABIHA BESTENE KHOURY
NEUZARI CORREIA PINHEIRO
ODICÉLIA MARIA DE OLIVEIRA
OSMARINO AMÂNCIO RODRIGUES
PAULA PINHEIRO DA SILVA
PAULO CÉSAR DA SILVA
PAULO CÉSAR FERREIRA DE ARAÚJO
PEDRO RODRIGUES LINARD
RAILTON MAIA FERNANDES
RAIMUNDO RODRIGUES DE SÁ
RAIMUNDO SILVA DE ANDRADE
REGINA RODRIGUES DE FREITAS
ROSEMIR SANTANA DE ANDRADE LIMA
SEBASTIÃO AGUIAR DA FONSECA DIAS
SEBASTIÃO WILLE LOPES DAS NEVES
SÉRGIO YOSHIO NAKAMURA

Mulheres em ascensão no mercado de trabalho brasileiro

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Uma pesquisa do Centro de Inovação de Talentos, de Nova York, descobriu que 59% das mulheres brasileiras com nível superior se descreveram como “muito ambiciosas”, em comparação com 36% das norte-americanas.

Mulheres em ascensão no mercado de trabalho brasileiro

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Para Adriana Graciano, deixar seu parceiro violento de lado significava perder a custódia de seus filhos com ele, pois ela não tinha trabalho e uma casa. Agora ela está aprendendo uma profissão com o programa “Mão na Massa”, um projeto sem fins lucrativos, que desde 2007 ensina a mulheres pobres ofícios como pintura, alvenaria e construção. Das 94 mulheres que concluíram os cursos nos primeiros dois anos, dois terços estão trabalhando no setor. O rendimento médio dessas profissionais cresceu de R$ 44 para R$ 631 mensais.

Adriana, que espera em breve ter um emprego, um lar e seus filhos de volta, é uma das muitas mulheres brasileiras cujas vidas estão sendo transformadas. Em 1960 apenas 17% das mulheres trabalhavam fora de casa, a taxa mais baixa de toda América Latina. Agora, dois terços possuem emprego, uma das maiores taxas da região. Isso ocorre, em parte, porque elas têm menos filhos do que no passado. Em 1960 as mulheres brasileiras tinham, em média, seis filhos cada, agora elas têm em média 1,9, menos do que em qualquer outro lugar na América Latina, exceto Cuba.

O aumento do salário mínimo, dos empregos formais e a entrada da mulher em muitos campos de trabalho que eram considerados masculinos são fatores que ajudam a diminuir a diferença salarial entre mulheres com baixa escolaridade e os homens. Ao mesmo tempo, as mulheres brasileiras estão mais qualificadas do que nunca. As meninas estão ficando mais tempo na escola que os meninos, e três quintos dos universitários graduados recentemente são mulheres.

Mais qualificadas

Uma pesquisa do Centro de Inovação de Talentos, de Nova York, descobriu que 59% das mulheres brasileiras com nível superior se descreveram como “muito ambiciosas”, em comparação com 36% das norte-americanas. A velocidade da mudança de atitude surpreendeu as empresas: “As empresas globais acham que as mulheres dos mercados emergentes ainda estão todas com os pés descalços e grávidas. E muitas empresas brasileiras são administradas por homens mais velhos com visões tradicionais”, diz a presidente do Centro de Inovação de Talentos, Sylvia Ann Hewlett.

Um mercado de trabalho acirrado e a escassez de mão de obra qualificada estão levando os empregadores a olharem além de seus preconceitos. Além disso, o país onde as mulheres têm sido marginalizadas, agora é governado por uma. Apesar de Dilma Rousseff ter chegado a presidência através do seu mentor e antecessor, o ex-presidente Lula, ela mostrou sua personalidade. Em sua uma medida anticorrupção – chamada de faxina – Dilma varreu do governo muitos homens que herdou da antiga administração e aumentou a participação das mulheres nos ministérios. Dilma lentamente tem substituído os políticos com carreira, por pessoas melhores qualificadas, muitas delas mulheres. Graça Foster, que assumiu a chefia da Petrobras no começo do ano, é formada em engenharia química e nuclear, tem MBA e 30 anos de experiência na indústria do petróleo.

Setor público

Para mulheres inteligentes e esforçadas, o sistema brasileiro de concursos para empregos no setor público oferece um ponto de partida. Mas nem sempre foi assim. Na década de 1990, a única ministra mulher, Claudia Costin, estudou o percurso profissional de mulheres no serviço público e descobriu que muitas mulheres que eram fortes candidatas ao trabalho não eram selecionadas. Claudia Costin, que agora é secretária de educação do município do Rio de Janeiro, diz que as barreiras enfrentadas pelas mulheres no mercado de trabalho atual são muitos menores do que ela um dia poderia imaginar, embora ache que ainda é difícil uma mulher conseguir espaço no setor público.

Setor privado

Mulheres em cargos de gerência, já não são casos excepcionais. Fernanda Montenegro, diretora de recursos humanos da Grand Hyatt Hotel, em São Paulo, estudou na Suíça em 2001, e trabalhou na Europa e nos Estados Unidos. Quando começou a trabalhar no hotel, em 2008, era a única mulher na sala de reuniões. Agora, a diretora de vendas também é mulher, e nos últimos cinco anos o número de candidatas do sexo feminino disparou. As reações negativas que ela tem encontrado vêm de fora do mercado de trabalho. A mãe de Fernanda reclama que, aos 31 anos, ela ainda está solteira. Possíveis pretendentes dizem que uma mulher com o cargo que ela possui naturalmente iria negligenciar casa e filhos.

Mas o machismo brasileiro pode ser surpreendentemente fácil de ser ignorado. Isso porque, também para os homens, o mercado de trabalho nunca esteve melhor. Apesar do período difícil da economia mundial, há poucos sinais de reflexos no mercado de trabalho. Os salários subiram e o desemprego atingiu os menores índices dos últimos tempos.

Norma Sá, do projeto “Mão na Massa” diz que suas ex-alunas enfrentaram pouco preconceito: “Os homens não se preocupam com a concorrência, porque há emprego para todos”. Para as mulheres profissionais, um obstáculo mais imediato pode ser o aumento do custo do trabalho doméstico, já que poucos homens brasileiros levantam um dedo em casa. Mas, o número de empregadas domésticas brasileiras chegou a 7,2 milhões e quase todas são mulheres, que têm mais opção do que nunca.

A ciência a serviço da paternidade

sexta-feira, 29 de junho de 2012

No mundo atual, existe uma pergunta desconfortável a se fazer quando mulheres que esperam um filho tiveram mais de um parceiro no momento em que engravidaram: quem é o pai?

A ciência a serviço da paternidade

sexta-feira, 29 de junho de 2012

No mundo atual, existe uma pergunta desconfortável a se fazer quando mulheres que esperam um filho tiveram mais de um parceiro no momento em que engravidaram: quem é o pai?

Com mais da metade dos nascimentos vindo de mulheres solteiras e com menos de 30 anos, a pergunta tornou-se ainda mais comum.

Agora já é possível determinar a paternidade durante a oitava ou nona semana de gestação, através de exames de sangue feitos de forma não invasiva e sem o risco de causar aborto.

Além de pôr fim à ansiedade, os resultados dão à mulher a opção de interromper a gravidez se o pai não for o homem ideal, ou então continuar caso ele seja.

Homens com a certeza da paternidade estão mais dispostos a dar apoio financeiro e emocional durante a gravidez, o que, de acordo com alguns estudos, levam ao nascimento de um bebê saudável.

Alguns advogados garantem que se os testes passarem a ser aceitos legalmente, as mulheres e o Estado poderão exigir pagamento de pensão para os filhos antes mesmo da criança nascer. Na lei norte-americana atual, “até e a não ser que a gravidez produza uma criança, qualquer custo é considerado um problema pessoal da mulher”, diz Shari Motro, professora de Direito da Universidade de Richmond.

Contudo, o teste em si pode ser constrangedor, pois requer uma amostra de sangue de no mínimo um dos possíveis pais.

Fonte: opiniaenoticia.com.br

Líderes da zona do euro fecham acordo para recapitalizar bancos

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Segundo o presidente da União Europeia, Herman Van Rompuy, a zona do euro aprovou a recapitalização direta dos bancos, sob “certas condições”, e se declarou “aberta” a que os países que cumprem com os planos de reforma possam recorrer aos fundos de resgate europeus para “acalmar os mercados”

Líderes da zona do euro fecham acordo para recapitalizar bancos

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Bruxelas – Os líderes da zona do euro fecharam um acordo na madrugada desta sexta-feira para recapitalizar diretamente os bancos e delegar ao Banco Central Europeu a supervisão financeira da região, ao final de uma longa reunião em Bruxelas.

O presidente francês, François Hollande, foi o primeiro a anunciar “um acordo” entre os países da zona do euro sobre soluções para superar a crise da dívida: “Sim, encontramos os mecanismos”.

Segundo o presidente da União Europeia, Herman Van Rompuy, a zona do euro aprovou a recapitalização direta dos bancos, sob “certas condições”, e se declarou “aberta” a que os países que cumprem com os planos de reforma possam recorrer aos fundos de resgate europeus para “acalmar os mercados”.

“Aprovamos a recapitalização direta dos bancos, sob “certas condições”, assinalou Van Rompuy ao final da reunião do Eurogrupo consagrada a encontrar soluções rápidas para ajudar Itália e Espanha a superar a crise da dívida.

O acordo prevê que o BCE terá um papel de supervisor financeiro da zona do euro antes do final do ano. “Quando estiver pronto, o Mecanismo Europeu de Estabilidade (MES) nos dará a possibilidade de recapitalizar diretamente os bancos”, declarou Van Rompuy. O Conselho Europeu ficará encarregado de apresentar propostas urgentes para a criação de um órgão supervisor até o final de 2012.

O chefe de governo espanhol, Mariano Rajoy, ficou exultante após horas de negociações, durante as quais Espanha e Itália ameaçaram boicotar o pacto que injetará 120 bilhões de euros para reativar a economia e o crescimento.

“Temos um acordo”, confirmou Rajoy por volta das 2h30 GMT, antes de passar a palavra a Van Rompuy para explicar seu conteúdo. O presidente do Conselho italiano, Mario Monti, manifestou sua “satisfação” com o acordo e o qualificou de “muito importante para o futuro da União Europeia e da zona do euro”.

Itália e Espanha vinculavam sua aprovação ao ‘pacto’ de crescimento na Europa à adoção de medidas de urgência para os dois países, hoje na mira dos mercados devido à crise da dívida. A recapitalização direta dos bancos, sem passar pelos Estados, enfrentava a resistência da Alemanha, contrária ao “rompimento do “vínculo entre dívida pública e bancária”.

A decisão pode abrir caminho para a criação de um superministro de Finanças europeu, com capacidade para intervir nos orçamentos de cada país e inclusive modifica-los, além de definir tetos de gasto e de dívida.

Aprovação pessoal de Dilma se mantém estável em 77%, diz Ibope

sexta-feira, 29 de junho de 2012

A aprovação pessoal da presidente Dilma Rousseff manteve-se estável, em 77%, de acordo com pesquisa Ibope encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Já a aprovação do governo passou de 56% para 59% dos entrevistados, que consideram o governo bom ou ótimo.

Aprovação pessoal de Dilma se mantém estável em 77%, diz Ibope

sexta-feira, 29 de junho de 2012

A aprovação pessoal da presidente Dilma Rousseff manteve-se estável, em 77%, de acordo com pesquisa Ibope encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgada nesta sexta-feira (29). Já a aprovação do governo passou de 56% para 59% dos entrevistados, que consideram o governo bom ou ótimo.

Ainda segundo o Ibope, 18% dos eleitores desaprovam a maneira de Dilma de governar; 5% não souberam responder a esse quesito. Na pesquisa anterior, o percentual de desaprovação era de 19% e variou dentro da margem de erro.

O índice dos que consideram o governo “regular” oscilou negativamente de 34% para 32%. Manteve-se estável em 8% o percentual dos que classificam o governo como “ruim ou péssimo”. Dos entrevistados, 1% não soube responder sobre a gestão.

A pesquisa tem margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Entre 16 e 19 de junho, o Ibope ouviu 2.002 eleitores com 16 anos ou mais em 141 municípios.

O último levantamento do Ibope, divulgado em 4 de abril, foi medido em março e havia mostrado que a aprovação da maneira de Dilma governar havia saltado de 72% para o recorde de 77%, índice que se manteve estável na atual pesquisa.

Economia, educação e saúde

Quanto ao governo, aprovado por 59%, a melhora na avaliação está ligada à economia. As três áreas melhor avaliadas na comparação com março foram: taxa de juros (49% de aprovação), combate à inflação (46%) e impostos (31%).

Já a avaliação sobre a educação e a saúde registrou recuo. Na educação, o percentual de entrevistados que desaprovam as políticas e ações saltou de 47% para 54%. Na saúde, a desaprovação passou de 63% para 66%.

Na comparação com o governo anterior, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva manteve a vantagem. Para 24%, a gestão Dilma é pior que a de Lula e para 16%, tem sido melhor. O saldo negativo para o governo Dilma manteve-se igual ao da pesquisa anterior, de oito pontos percentuais.

Notícias

Entre as notícias mais lembradas pela população no período, destacam-se as investigações e a CPI criada no Congresso para apurar as relações do bicheiro Carlinhos Cachoeira com entes públicos e privados. As notícias relacionadas ao contraventor, à operação da Polícia Federal de combate aos jogos de azar e ao andamento da CPI foram lembrados por 17% do entrevistados.

O segundo assunto mais lembrado, por 6%, foi a realização da Rio+20, Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, que ocorreu neste mês na capital fluminense. Em seguida, o assunto mais lembrado (5%), foram as viagens da presidente.

Comparação com antecessores

Ainda de acordo com a pesquisa, o governo Dilma, no segundo ano do mandato, tem melhor avaliação que os governos de Lula e FHC no mesmo período. Os 59% de aprovação do governo Dilma estão acima dos 54% de FHC e dos 51% de Lula, ambos no segundo ano do primeiro mandato.

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

Xuxa sem censura

quinta-feira, 28 de junho de 2012

O Superior Tribunal de Justiça deu ganho de causa ao Google em ação movida por Xuxa. A apresentadora exigia que a empresa omitisse de suas buscas imagens e vídeos em que ela apareça nua ou encenando atos sexuais.

Xuxa sem censura

quinta-feira, 28 de junho de 2012

O Brasil é o país recordista em ordens judiciais requisitando a remoção de conteúdo das buscas ou dos produtos Google. Artistas, políticos e empresas, precupados com possíveis danos à sua reputação, não hesitam em buscar a força da Justiça para fazer sumir da rede episódios dos quais não se orgulham.

Mas dessa vez, a estratégia não funcionou. O Superior Tribunal de Justiça deu ganho de causa ao Google em ação movida por Xuxa. A apresentadora exigia que a empresa omitisse de suas buscas imagens e vídeos em que ela apareça nua ou encenando atos sexuais. As informações abaixo são da Folha de São Paulo.

Xuxa entrou em outubro de 2010 na Justiça do Rio pedindo que o site de busca não mostrasse qualquer link de sites que a relacionassem com as palavras “pornografia” e “pedofilia”.

Juntas, as palavras levam ao filme “Amor Estranho Amor”, filmado em 1979, em que ela aparece tendo relações com um garoto de 12 anos.

O STJ decidiu que os sites de busca não podem ser obrigados a limitar resultados, já que são apenas o meio de acesso ao conteúdo e não os responsáveis pela publicação. A decisão se estende às demais companhias do setor.

O tema da censura à internet deve esquentar ao longo deste ano eleitoral. Ora são os artistas preocupados com sua reputação, ora são os políticos… As tentativas de censura continuarão a aparecer. A liberdade depende dos usuários da rede e de atitudes corajosas como essa do STJ.

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

A vida mansa de Lewandowski

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Por Claudio Schamis
O ministro Ricardo, o Lewandowski, estava conseguindo “lewandowski” a vida como podia. Com ou sem pressão ele ia revisando calmamente no seu quadrado o processo do mensalão, e ontem resolveu pôr fim a essa novela.

A vida mansa de Lewandowski

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Por Claudio Schamis – congressoemfoco.com.br

Lewandowski’ a vida como sempre sonhou!

O ministro Ricardo, o Lewandowski, estava conseguindo “lewandowski” a vida como podia. Com ou sem pressão ele ia revisando calmamente no seu quadrado o processo do mensalão, e ontem resolveu pôr fim a essa novela e devolveu o seu voto para entrar nos anais da Justiça como sendo o voto-revisor mais curto da história do Supremo Tribunal Federal, segundo sua própria interpretação.

Agora a bola está com o time do Supremo, que terá o dia 2 de agosto como o marco zero para tentar mudar o cardápio servido em casos de falcatruas políticas. Uma fonte que prefere permanecer no anonimato me confessou que o STF consultou a empregada doméstica do bairro Divino, a Nina, e o Supremo promete surpreender a todos e não servir mais pizza. Dizem que poderá ser um prato com batatas que já estão assando.

Tomara!

Briga de gente grande! Ou Diga Não à piedade!

Espero do fundo do meu coração que o time do STF não entre nessa de penas mais brandas, como aponta o voto do ministro Lewandowski. Tomara mesmo que eles fiquem do outro lado, o lado onde temos o ministro Joaquim Barbosa, que, jogando no mesmo time do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, sugere penas mais duras por ter sido o mensalão um dos crimes mais graves cometidos contra a democracia brasileira.

Temos que acabar com isso de passar a mão na cabeça dessa gente dizendo somente: “Ai, ai, ai” e “Não faça mais isso, tá?”.

E que seja rápido enquanto dure para evitar que, com o passar do tempo e de mais obstáculos que venham a aparecer ainda no meio do julgamento, que alguns dos crimes cometidos caiam na prescrição. Temos que salvar algum crime dessa armadilha.

Se arrependimento matasse…

Como não mata, o não arrependimento poderia matar, ou pelo menos causar arranhões profundos em quem não se arrependeu.

Antes que me matem por causa disso, queria esclarecer que não quero a morte nem a cabeça de ninguém, até porque nesse caso a pessoa nem tem uma cabeça propriamente dita, mas queria pelo menos a sua morte política.

Sei que errar é humano, mas persistir no erro e ainda ter coragem de afirmar que não se arrependeu, que não errou, é espantosamente Lula.

Custava o Lula dizer que ficou mal na foto e pedir desculpas? Aliás, ele nem deve saber o que é se desculpar.

Quando a compaixão prevalece!

Sorria se você trabalha em algum gabinete de deputado em Brasília. O presidente da Câmara, Marco Maia, concedeu reajuste na verba de gabinete, passando de R$ 60 mil para R$ 78 mil e alegando que os secretários parlamentares comissionados estavam sem aumento há quase cinco anos.

Porém, com esse aumento dado às vésperas da eleição, isso poderá ser um prato cheio para muita gente, já que permitirá que deputados contratem mais funcionários em seus redutos eleitorais, já que os secretários podem trabalhar tanto nos gabinetes em Brasília ou no estado.

Não é fofo o presidente da Câmara, Marco Maia?

Eu vejo assim: se é um aumento dado com um propósito, deveria ser totalmente proibido a contratação de novos funcionários usando algo que não lhes pertence.

Uma coisa é uma coisa. Uma outra coisa é uma outra coisa.

Tudo bem. Legal. O Conselho de Ética aprovou por unanimidade o relatório do senador Humberto Costa que pede a cassação de Demóstenes Torres. Mas não acaba por aí. A outra coisa é que ainda faltam etapas para o veredicto final. Primeiro passará por uma análise de constitucionalidade na Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Depois dessa etapa, deverá seguir para apreciação de todos os senadores em plenário, onde a votação é secreta.

Mas que seja feita a justiça total condenando todos os envolvidos na CPI do Cachoeira e que não condenem somente um bode expiatório. Justiça completa, total e irrestrita.

Que Posto Ipiranga que nada. Pergunta pro Ferreirinha!

Acusado de ligações com o grupo de Cachoeira, o ex-porteiro do Palácio da Alvorada diz que de fome não irá morrer e deverá lançar nos próximos dias um curso de como se abre portas (leia-se como se pede um favor) com os políticos e não para eles.

Ferreirinha, ou para os não íntimos apenas Raimundo Costa Ferreira Neto, vai revolucionar o sistema político em Brasília num passo a passo que ensinará como alcançar o seu objetivo com aquele político logo ali. Segundo ele, é até mais fácil que roubar doce de criança. É só levar a coisa mastigada que é como o político mais gosta.

Ferreirinha, em contato exclusivo por telefone, afirmou que só aceitará pagamento em espécie. E que poderá ser de qualquer espécie.

Salvem as baleias. Não joguem lixo no chão. Não fumem em ambiente fechado.

Mesmo com críticas, iPhone comemora cinco anos de sucesso

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Depois de alguns anos, o iPhone venceu as críticas e tornou-se um grande sucesso. Mais de 200 milhões de pessoas adquiriram o dispositivo, inclusive o professor Wu, que anunciou em 2008 que era incapaz de resistir ao iPhone3G.

Mesmo com críticas, iPhone comemora cinco anos de sucesso

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Em 29 de junho de 2007, milhares de pessoas acamparam em longas filas para garantir a nova tecnologia que mexeu com o mundo. O iPhone foi revolucionário. Em três dias a Apple vendeu um milhão de aparelhos. No entanto, a inovação emblemática gerou críticas ferozes.

Especialistas condenaram o modelo de negócio do iPhone e criticaram a relação de escravo-senhor que a Apple criou com os consumidores ao estabelecer acordos fechados com a operadora norte-americana AT&T’s e com a loja de conteúdo iTunes.

De acordo com o professor Tim Wu, da Universidade Columbia, em Nova York, o modelo de negócio fechado do iPhone contrastou com o design de plataforma aberta que foi o alicerce para o computador pessoal e a revolução da internet. Para Wu, em 2007, a Apple vendeu os dispositivos que são fáceis de usar e geram dinheiro, porém espalharam um temor de anti-inovação e regulação de conteúdo.

Mas, depois de alguns anos, o iPhone venceu as críticas e tornou-se um grande sucesso. Mais de 200 milhões de pessoas adquiriram o dispositivo, inclusive o professor Wu, que anunciou em 2008 que era incapaz de resistir ao iPhone3G.

Desde então a novidade se manteve. No primeiro trimestre de 2012, as vendas globais do iPhone dobraram, chegando a mais de 400 mil novas ativações diárias, e o modelo “fechado” de negócio anteriormente criticado abriu possibilidades fantásticas para o mercado. Em 2012, os downloads para o iPhone ultrapassaram a marca de 30 bilhões, com mais de 650 mil aplicativos disponíveis. Desenvolvedores independentes de software que criaram esses aplicativos estão festejando a iniciativa da Apple. Eles recebem 70% do faturamento da loja, e os lucros chegam a R$ 5 bilhões até agora.

Concorrência

Após ultrapassar a fama do BlackBerry, com sua entrada avassaladora no mercado, o iPhone inspirou um outro concorrente. Em 2008, o Google lançou o sistema operacional Android, um dispositivo móvel que permite a criação de qualquer aplicativo sem custo. O projeto tem sido totalmente bem sucedido, esmagando a Nokia e sua plataforma operacional Symbian. O Google abriu mão do lucro com os aplicativos para gerar seu próprio dinheiro em publicidade móvel, se tornando o grande concorrente da Apple.

O criador do iPhone, Steve Jobs – que morreu em 2011 – criticou o que chamava de “modelo roubado” do Google e elogiava o pioneirismo e a superioridade competitiva do sistema operacional do iPhone. Segundo o presidente do Google, Eric Schmidt, limitar o design do produto para pessoas que pudessem adquirir um dispositivo da Apple seria uma loucura e, citando as vantagens do modelo aberto de negócios, declarou: “O Android vai superar o iPhone”.

Ainda não superou. O iPhone não é apenas o mais popular smartphone, mas também o mais lucrativo. A Apple vende apenas 9% dos aparelhos móveis (inteligentes ou não) do mercado, mas responde por 73% dos lucros do setor. Desde junho de 2007, a Apple aumentou em espantosos US$ 422 bilhões seu valor de mercado, enquanto o Google cresceu cerca de US$ 13 bilhões.

No entanto, recentemente, o Google comprou a maior fabricante de celulares, a Motorola Mobility, e com isso, a empresa tem fornecido dispositivos para os consumidores de massa. Além disso, o Google redesenhou sua loja de aplicativos, o Android Market, interligando-a aos demais produtos da empresa. O GoogleTV também é uma promessa de inovação que irá facilitar o acesso ao conteúdo online.

Não há garantia de que essas iniciativas irão melhorar a qualidade dos produtos ou que o Google irá superar a rival Apple. Todas as estruturas de negócios são misturas, não há uma estratégia pura. A Apple conta com milhares de fornecedores, e o iTunes vende as obras artísticas de um mercado diversificado. A Apple Store prospera com softwares criados por desenvolvedores que não conseguiram encontrar o caminho para o Google nem mesmo usando o aplicativo de mapas do iPhone.

A magia não está em um modelo específico, mas na dinâmica da concorrência. Estabelecer o modelo “fechado” ou “aberto” como garantia de sucesso é, na melhor das hipóteses, uma ilusão, e na pior das hipóteses, um crime contra o próprio consumidor.

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

Dilma diz que crise financeira internacional não amedronta o Brasil

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Ao anunciar o PAC Equipamentos – um programa de compras governamentais para acelerar a economia – a presidente Dilma Rousseff, disse  que o cenário de crise financeira internacional preocupa, mas não amedronta o país. Dilma disse que, no entanto, não se pode “brincar à beira do precipício”.

Dilma diz que crise financeira internacional não amedronta o Brasil

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Ao anunciar o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Equipamentos – um programa de compras governamentais para acelerar a economia – a presidente Dilma Rousseff, disse hoje (27) que o cenário de crise financeira internacional preocupa, mas não amedronta o país. Dilma disse que, no entanto, não se pode “brincar à beira do precipício”.

“Este cenário nos preocupa, mas não nos amedronta. É preciso ter consciência dele para evitar que, neste momento, sejam feitas aventuras fiscais. Nenhum país do mundo hoje se permite uma política fiscal que não leve em conta, sobretudo, investimentos. Aventura fiscal é a gente se comportar como se não estivesse acontecendo nada. Não nos amedrontamos, mas não podemos fingir que nada está acontecendo”, disse a presidente, no discurso.

Dilma disse que o governo continuará estimulando o investimento e o consumo no país e tomará as medidas necessárias para proteger os empregos e preservar as conquistas econômicas e os avanços sociais. “Somos otimistas, apesar de sóbrios, porque temos os instrumentos para preservar a saúde da economia e nossas conquistas sociais. Praticamos um modelo que se desenvolveu em bases sólidas, estamos fincados em pés brasileiros, fizemos um processo de crescimento que expandiu o mercado interno”, explicou a presidenta.

Na avaliação da presidente, a crise dos países da zona do euro tem duração longa e crônica, requerendo mais medidas para ser solucionada. “A cada reunião dos países europeus, esperamos que uma solução mais sistêmica surja e assegure mais confiança”, disse.

Na cerimônia de anúncio do programa para agilizar as compras governamentais com recursos de R$ 8,4 bilhões e preferência para aquisição de produtos nacionais, a presidente Dilma disse que essa iniciativa é consagrada como um dos mecanismos aceitos para garantir a sustentação do crescimento econômico.

As compras anunciadas pelo governo em áreas como saúde, defesa e educação têm o objetivo de estimular a economia brasileira, que sofre os reflexos da crise financeira internacional.

Fonte: votebrasil.com

Mário Couto se irrita e abandona CPI

quarta-feira, 27 de junho de 2012

 O senador Mário Couto (PSDB-PA) interpelava jornalista Luiz Carlos Bordoniquando foi interrompido pelo vice-presidente da CPI, deputado Paulo Teixeira (PT-SP) que pediu ao senador, que tivesse respeito pelo depoente. Mário Couto se irritou com a advertência e afirmou que iria se retirar da comissão.

Mário Couto se irrita e abandona CPI

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Por Mariana Haubert – congressoemfoco.com.br

Com os ânimos exaltados, o senador Mário Couto (PSDB-PA), resolveu deixar a CPI do Cachoeira. Durante o depoimento do jornalista Luiz Carlos Bordoni, na tarde desta quarta-feira(27), o senador se irritou com críticas feitas pelo vice-presidente da CPI, Paulo Teixeira (PT-SP), e garantiu que não voltará a participar da comissão que investiga as relações do contraventor Carlinhos Cachoeira com parlamentares e agentes públicos e privados.

 

Bordoni: “Fui pago com dinheiro sujo” por Perillo
Leia tudo sobre o Caso Cachoeira

Leia outros destaques de hoje no Congresso em Foco

Mário Couto interpelava Bordoni quando foi interrompido pelo vice-presidente da CPI, deputado Paulo Teixeira (PT-SP) que pediu ao senador, que tivesse respeito pelo depoente. Mário Couto se irritou com a advertência e afirmou que iria se retirar da comissão. Ele levantou e, apontando o dedo para os integrantes da mesa, saiu do plenário aos gritos. “Eu acho que a CPI virou um jogo em que tem duas batalhas. Quem é menor perde, quem é maior ganha. […] Então que CPI é essa? Ninguém pode dizer que é uma CPI séria. Estamos sentindo que não é. Ela perdeu a sua finalidade. É bom criar outra porque essa perdeu totalmente a sua finalidade. Por isso, eu me retirei e não vou mais a essa CPI, porque acho que ela perdeu a credibilidade”, afirmou.

Para o senador, o depoimento de hoje foi “pífio”. Ele afirmou ainda que Bordoni confessou dois crimes durante o seu depoimento. “Ele disse que falou mal do Gilberto Carvalho, mas que não o conhece. Como alguém pode falar mal de alguém sem conhecê-lo? Isso já é crime”, disse. Mais grave ainda, segundo o senador, foi a revelação de que o jornalista recebeu dinheiro sujo da campanha do governador de Goiás, Marconi Perillo. “Ele disse que recebeu o dinheiro, mas em momento algum disse que o devolveu. Só disse que recebeu, que era sujo e que ficou com dinheiro. Isso é um absurdo”.