Arquivo de julho de 2010

As cartas na manga de Dilma e de Serra

sábado, 31 de julho de 2010

Lula será o primeiro a dar aval ao programa televisivo de Dilma. No lado tucano, o “filé” das propostas de governo foi guardado para exposição no horário eleitoral gratuito

As cartas na manga de Dilma e de Serra

sábado, 31 de julho de 2010

Lula será o primeiro a dar aval ao programa televisivo de Dilma, mas deixará a pupila andar com “as próprias pernas” e aparecerá só quando necessário. No lado tucano, o “filé” das propostas de governo foi guardado para exposição no horário eleitoral gratuito..

Os dois principais concorrentes à Presidência da República, José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), guardam trunfos na manga para o início da propaganda gratuita, que será veiculada em rádio e televisão a partir de 17 de agosto.

A campanha petista aposta na imagem dosada do presidente Lula, que dará a palavra final na peça de estreia elaborada pelo marqueteiro João Santana. Serra atrasou a divulgação do programa de governo para apresentar as principais propostas somente na televisão.

Toda a estratégia do PT foi feita colocando Lula, o maior cabo eleitoral da eleição de outubro, como o diferencial da campanha. Por isso, há uma intenção de evitar a superexposição da imagem presidencial, por dois motivos.

Primeiro, a campanha considera que chega para o horário eleitoral bem posicionada nas pesquisas de intenção de votos, e, depois, Dilma não pode aparecer como sombra de Lula. Isso teria o potencial de gerar um efeito negativo entre possíveis eleitores.

A campanha quer guardar a “cartada Lula” baseada nas recentes pesquisas espontâneas de intenção de votos. No levantamento feito pelo Datafolha, Dilma tem 21% e Serra, 16%. No Vox Populi, a petista apresenta 28% e o tucano, 21%.

Na avaliação deles, os números apontam para o mesmo cenário de vantagem, o que torna desnecessário – num primeiro momento – usar o presidente à exaustão.

Lula concorda com a proposta de deixar Dilma andar com as próprias pernas nos primeiros programas. Ele será o primeiro a assistir ao programa de sua pupila antes de ir ao ar. Dará o aval ao tom da publicidade de Santana. Essa espécie de pré-estreia ocorrerá a tempo de o presidente poder sugerir alterações.

Teclas

Assim como a campanha petista, os tucanos apostaram cartas altas no horário eleitoral gratuito. De acordo com o comando de campanha de Serra, os temas abordados pelos programas serão os mesmos antecipados pelo candidato durante discurso de lançamento da candidatura, durante a convenção do PSDB, em junho. “Tudo o que vai acontecer na campanha do Serra tem a ver com o primeiro discurso que ele fez.

Não seremos ofensivos contra os adversários e mostraremos propostas para os brasileiros, sem distinção”, antecipou o presidente do partido, Sérgio Guerra. A propaganda serrista é tocada pelo marqueteiro Luiz González.

Algumas teclas acionadas repetidamente por Serra durante o discurso inaugural serão repetidas já nas primeiras semanas do horário eleitoral. Programas voltados para os deficientes físicos, ampliação do Bolsa Família e investimentos em obras sociais, como as de saneamento, são figurinhas certas.

O atraso na divulgação do programa de governo, comandado por Xico Graziano, foi decidido para não antecipar propostas antes do tempo de televisão. O raciocínio é de que eles perderiam força e seriam copiados pela oposição, caso o texto fosse divulgado antes da propaganda.

No DEM, a importância da televisão é vista com cautela, tanto para minimizar o poder de influência de Lula quanto para não se criar expectativas de que ela será responsável por definir resultados. O candidato ao Senado Cesar Maia (DEM) escreveu recentemente, no informativo que distribui via e-mail, ser um risco apostar na TV como elemento diferenciador.

“As duas equipes (de Dilma e Serra) são competentes e saberão fazer um bom programa de TV e bons comerciais. Alguma vantagem haverá com a presença de Lula no vídeo, quando chegará aos grotões com a informação sobre o nome de seu poste”, afirmou o ex-prefeito carioca.

Captação

A campanha de Marina Silva também investirá nas imagens públicas para o início dos programas eleitorais. A equipe de comunicação gravou na quinta-feira cenas do comício da candidata em Bauru, no interior de São Paulo, além de, recentemente, ter captado sequências nas passagens de Marina por Natal, Recife, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. %u201CAinda estamos buscando um lugar na agenda para fazermos as gravações no Acre, para abordarmos o histórico sobre a vida dela%u201D, antecipa o coordenador da campanha, João Paulo Capobianco.

A relevância de Índio

Um dos principais pontos ainda indefinidos da propaganda eleitoral tucana será a participação do candidato a vice, o deputado federal Índio da Costa (DEM-RJ). “Estamos finalizando o programa esta semana. A dosagem da presença do Índio nos programas, especialmente por conta do Ficha Limpa, ainda está sendo avaliada”, afirmou Guerra.

Fonte: votebrasil.com
Ivan Iunes /Tiago Pariz

Dê uma chance para a sua mãe, diz Lula sobre votos para Dilma

sábado, 31 de julho de 2010

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um apeloa uma plateia de 300 empresários em Curitiba para que não tenham preconceito na eleição de 2010 por Dilma Rousseff ser mulher e votem na candidata do PT à Presidência da República.

Dê uma chance para a sua mãe, diz Lula sobre votos para Dilma

sábado, 31 de julho de 2010

Presidente e candidata petista se preparam para comício que espera reunir cerca de 30 mil pessoas na capital do Estado.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um apelo nesta sexta-feira a uma plateia de 300 empresários em Curitiba para que não tenham preconceito na eleição de 2010 por Dilma Rousseff ser mulher e votem na candidata do PT à Presidência da República.

Lula pediu que se dê uma chance à ex-ministra por sua “competência” já mostrada no governo. “Se existe aqui alguém com preconceito de não votar em uma mulher, que pare de ser besta. Ela (a mulher) me pariu. Dê uma chance à sua mãe, já que ela deu tantas chances a você”, disse Lula, que discursou logo após Dilma Rousseff e o governador do Estado, Orlando Pesutti.

Ao lado do presidente, Dilma falou que é preciso olhar para o futuro para construir uma “nova sociedade” que já começou no governo Lula. A petista prometeu continuar o ensino profissionalizante e aproveitou para cutucar o adversário, José Serra.

Dilma já havia dito que até 2003, ano em que Lula assumiu o governo, foram construídas 140 escolas e, de 2003 até o fim de 2010, serão construídas mais 214. “ Tem muita gente por aí, e meu adversário é um deles, que coloca coisas interessantes sobre essa questão. Mas tem um problema. Há uma lei federal aí que impedia escolas técnicas construídas”, alfinetou.

Estiveram presentes José Eduardo Dutra, presidente do PT, o candidato ao governo, Osmar Dias, e os candidatos ao Senado Gleisi Hoffmann e e Roberto Requião. O comício de amanhã, na Boca Maldita, terá início às 10 horas e espera reunir 30 mil pessoas.

Por Andréia Sadi
Fonte: votebrasil.com

Ciro Gomes e Serra têm rusga antiga

sexta-feira, 30 de julho de 2010

O agravo está no gabinete do ministro Aldir Passarinho e  trata de indenização por dano moral. Outros dois processos de responsabilidade civil também estão em tramitação no tribunal

Ciro Gomes e Serra têm rusga antiga

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Fonte: votebrasil.com

O agravo, que está no gabinete do ministro Aldir Passarinho e tem dois volumes, trata de indenização por dano moral. Outros dois processos de responsabilidade civil também estão em tramitação no tribunal.

Adversários na corrida presidencial de 2002, o deputado federal Ciro Gomes (PSB) e o candidato à Presidência da República pelo PSDB, José Serra, ainda brigam — na Justiça — pela troca de ofensas daquela época. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) recebeu em abril deste ano um novo processo envolvendo o parlamentar e o presidenciável.

O agravo, que está no gabinete do ministro Aldir Passarinho e tem dois volumes, trata de indenização por dano moral. Outros dois processos de responsabilidade civil também estão em tramitação no tribunal.

Em abril, o ministro Massami Uyeda, relator das duas ações, determinou que Ciro Gomes manifestasse se ainda tinha interesse no processo. Segundo a decisão, publicada no Diário da Justiça, os autos principais do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP), onde as ações foram originadas, já tinham sido encaminhados para o arquivo.

O deputado federal, segundo o advogado Hélio Parente, optou por dar sequência na ação. Este ano, Ciro, conhecido pelo temperamento forte e pelos ataques à Serra, chegou a baixar a guarda contra o antigo desafeto.

Em entrevistas, afirmou que o tucano teria mais chances de vencer a eleição do que Dilma Rousseff, candidata do PT. Segundo o socialista, Serra é “mais preparado, mais legítimo, mais capaz.” As declarações foram feitas depois de o deputado ter sido descartado pelo PSB para concorrer ao Palácio do Planalto.

Sem pudores

As três ações do STJ, de acordo com Parente, são relativas à campanha de 2002 e tratam de dano moral, injúria e difamação. Entre outras acusações, Ciro afirmou, na época, à Folha de S. Paulo, que seu adversário era o “candidato dos grandes negócios e das negociatas, da manipulação despudorada do espaço público, do dinheiro público para fins eleitorais.”

A Justiça determinou, inclusive, o bloqueio de R$ 65,3 mil de uma conta bancária de Ciro. Segundo o advogado, todas as contas do deputado estão liberadas atualmente. A reportagem não conseguiu localizar os advogados responsáveis pela defesa de José Serra.

Alana Rizzo

Dilma e Serra são parecidos e egocentristas, diz Marina

sexta-feira, 30 de julho de 2010

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, criticou hoje seus adversários Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB). Marina disse que Dilma e Serra são muito parecidos. São desenvolvimentistas, criteriosos e estrategistas. E estão muito focados no eu, eu, eu, observou, durante entrevista a jornalistas em Natal.

Dilma e Serra são parecidos e egocentristas, diz Marina

sexta-feira, 30 de julho de 2010

“Dilma e Serra são muito parecidos. São desenvolvimentistas, criteriosos e estrategistas. E estão muito focados no eu, eu, eu”, observou, durante entrevista a jornalistas em Natal.

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, criticou hoje seus adversários Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB). Marina disse que os dois concorrentes são muito parecidos, inclusive no egocentrismo.

“Dilma e Serra são muito parecidos. São desenvolvimentistas, criteriosos e estrategistas. E estão muito focados no eu, eu, eu”, observou, durante entrevista a jornalistas em Natal.

A passagem da presidenciável pela capital potiguar foi marcada pela inauguração da primeira Casa de Marina no Estado, uma caminhada no bairro do Alecrim, tradicional centro comercial, e ainda uma palestra na reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

Marina Silva ponderou que mantém uma relação de “respeito” com a ex-ministra Dilma: “nossas divergências são sempre no campo profissional, e isso sempre ficou muito claro”.

Na palestra da SBPC, a senadora foi provocada pela plateia a falar sobre a liberação da maconha. Ela voltou a defender que seja feito um plebiscito no País. Marina Silva defendeu uma gestão de educação integrada e lembrou que enquanto o Brasil gasta R$ 1114 por aluno anualmente, o Chile gasta R$ 2 mil. “O Brasil está 30 anos atrás do Chile”, destacou.

Sobre os projetos sociais, Marina Silva prometeu ampliar o Bolsa Família e promover a integração produtiva. “Vamos manter o Bolsa família, mas a ideia é avançar mais, proporcionando uma maior igualdade de oportunidade entre os brasileiros”, completou.

ANNA RUTH DANTAS – Agência Estado

Presidente do TSE reforça que ficha limpa é pra valer

sexta-feira, 30 de julho de 2010

O presidente do TSE, Ricardo Lewandowski, afirmou que a Lei da Ficha Limpa  tem “plena eficácia” para as eleições de 2010. Foi uma resposta de Lewandowski ao TRE do Maranhão: a regra vale para estas eleições e para situações anteriores.

Presidente do TSE reforça que ficha limpa é pra valer

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Por Mário Coelho – congressoemfoco.com.br

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandowski, afirmou que a Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar 135/10) tem “plena eficácia” para as eleições de 2010. Para o ministro, a nova legislação é constitucional e trata de examinar as condições de elegibilidade dos candidatos. “A lei é constitucional, se aplica neste ano, não há de se falar em retroação”, disse Lewandowski, ao ser questionado, em entrevista coletiva, sobre recente decisão do Tribunal Regional do Maranhão (TRE-MA). A corte eleitoral entendeu que regra não pode valer para condenações ocorridas antes de 4 de junho, quando a lei foi sancionada.

“A Lei da Ficha Limpa é uma lei complexa, não é uma lei simples. Ela prevê várias situações de inelegibilidade”, afirmou o ministro. No caso do Maranhão, a corte local nem chegou a analisar as condições de elegibilidade dos candidatos. Por unanimidade, os integrantes do TRE decidiram que a lei não poderia retroagir. O TRE do Maranhão, até o momento, é a única entre as cortes locais contrárias à posição tomada pelo próprio TSE em junho. Assim, com a declaração de Lewandowki hoje reforçando o entendimento, é bem provável que o TSE reveja as decisões do TRE maranhense quando julgar os recursos.

Os ministros do TSE, ao analisarem duas consultas feitas por políticos, definiram que a regra vale para as eleições deste ano e que pode, sim, retroagir. Os que consideravam que as regras da ficha limpa não valeriam para as eleições deste ano baseavam suas convicções no princípio constitucional de que uma lei não pode retroagir para prejudicar. Os ministros do TSE entenderam que tal princípio vale apenas para sanção penal. A Lei da Ficha Limpa trata apenas de condições de inelegibilidade, não de punições. Portanto, pode retroagir para definir as regras eleitorais deste ano.

Ao responder às questões sobre a nova legislação, que proíbe a candidatura de políticos com problemas na Justiça, Lewandowski fez um comparativo com a reforma do Código Civil. Citou dúvidas que surgiram entre operadores do direito e a população em geral nas novas regras envolvendo casamento, divórcio e união estável, por exemplo. Para o presidente do TSE, as dúvidas sobre a Lei da Ficha Limpa serão dissipadas quando a jurisprudência começar a ser formada com base nas novas normas. “Toda lei nova cria dúvidas enquanto não houver uma pacificação da jurisprudência”, afirmou.

Impugnações

Até o momento, os TREs de pelo menos quatro estados já usaram a Ficha Limpa para barrar candidatos com condenações por órgãos colegiados. Somente o do Maranhão teve uma postura diversa. Além disso, o endurecimento da legislação provocou uma série de ações de impugnação de registros de candidatura. Levantamento do Congresso em Foco aponta que já ocorreram 473 contestações feitas pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) nos estados. Até o momento, São Paulo responde pelo maior número de candidatos impugnados. “Não preocupa o fato de termos um entendimento isolado de um TRE de um estado. Essa lei passou pela CCJ do Senado, antes passou pela CCJ da Câmara. Passou pelo crivo do presidente da República sem qualquer veto. Em seguida, foi analisado pelo pleno do TSE”, lembrou Lewandowski.

Com a quantidade de ações de impugnação apresentadas por todo o país, cresce a preocupação se as cortes eleitorais terão tempo suficiente para julgar todas as contestações antes das eleições. O calendário eleitoral estabelecido pelo TSE prevê que os TREs analisem todos os casos até 5 de agosto. Já o tribunal tem, inicialmente, até 19 de agosto para se posicionar sobre possíveis recursos. “Nós vamos envidar todos os nossos esforços para julgar todos os recursos em tempo hábil. Os TREs darão conta dessa tarefa importante. Existe toda uma tramitação que é complexa. Vamos chegar no dia 19 com tudo julgado. Ou, pelo menos, com a grande maioria julgados”, disse Lewandowski. Ele acrescentou que a corte vai fazer sessões extraordinárias para cumprir o prazo estabelecido.

Entenda como as impugnações são julgadas

Campanha

A coletiva foi convocada para o TSE apresentar as campanhas de conscientização do eleitor. Os programetes, que serão veiculados nas emissoras de televisão e de rádio, pretendem mostrar a importância da participação do eleitor no processo eleitoral. São 26 pequenos filmes que buscam, de acordo com Lewandowski, informar a população sobre uma série de pontos que envolvem as eleições. Como, por exemplo, a necessidade de apresentar um documento com foto além do título de eleitor na hora de votar. Também falam de uma das novidades neste pleito, que é a possibilidade de votar em trânsito para presidente.

Outro ponto que as campanhas vão reforçar é a necessidade do voto consciente. Sem fazer menção direta à Lei da Ficha Limpa, o TSE vai mostrar que os eleitores devem pesquisar os antecedentes dos candidatos antes de escolher e votar. “Não estamos nos referindo especificamente à Lei da Ficha Limpa. Aconselhamos o eleitor, independentemente da ficha limpa, que ele pesquise os antecedentes do seu candidato”, afirmou Lewandowski. “Essa lei representou um grande avanço da moralização dos costumes políticos. Criou um fato novo, que é o interesse pelo passado dos candidatos”, completou.

Segundo o presidente do TSE, a campanha tem um tom acessível para a população. Segundo Lewandowski, a corte fez uma pesquisa qualitativa que revelou que o eleitor brasileiro não conhece as funções exercidas pelos titulares dos cargos em questão. “Nós informaremos ao eleitor o que faz o presidente, governador, senador, deputado federal, deputado estadual e, no caso do Distrito Federal, deputado distrital”, informou. Serão distribuídos também aos TREs cartazes e colinhas com os cargos em questão. “É uma eleição relativamente complicada pela quantidade de candidatos”, disse.

Pesquisa Ibope mostra Dilma cinco pontos à frente de Serra

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Na pesquisa Ibope encomendada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de S.Paulo divulgada  no Jornal Nacional, mostra a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, à frente de José Serra, do PSDB. Dilma aparece com 39% das intenções de voto, cinco pontos percentuais a mais que Serra, que tem com 34%.

Pesquisa Ibope mostra Dilma cinco pontos à frente de Serra

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Da Agência Brasil

Brasília – Pesquisa Ibope encomendada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de S.Paulo divulgada hoje (30) no Jornal Nacional, mostra a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, à frente de José Serra, do PSDB.

Dilma aparece com 39% das intenções de voto, cinco pontos percentuais a mais que Serra, que tem com 34%. Marina Silva, do PV, obteve 7% das intenções de voto. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos para mais ou para menos.

Segundo o Ibope, os demais candidatos não alcançaram nem 1% das intenções de voto. A pesquisa registrou 7% de votos brancos ou nulos e 12% de eleitores indecisos.

O levantamento também ouviu os eleitores sobre um possível segundo turno na disputa presidencial. De acordo com a pesquisa, Dilma Rousseff venceria com 46% dos votos e José Serra ficaria em segundo, com 40%.

O Ibope ouviu 2.506 pessoas entre os dias 26 e 29 de julho em 174 cidades de todas as regiões do país. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 20809/2010.

Tas, nós também não vamos amarelar!

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Frequentadora do Brasil Alerta e espectadora do CQC, admiradora de ambos, não pude me conter ao ler a entrevista publicada aqui com o Sr. Marcelo Tas.  E resolvi também “não amarelar” e escrever…

Tas, nós também não vamos amarelar!

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Ana Neves

Como freqüentadora do site Brasil Alerta e espectadora do CQC, admiradora de ambos, não pude me conter ao ler a estrevista publicada aqui com o Sr. Marcelo Tas.  E resolvi também NÃO AMARELAR e escrever…

“Eu não posso e tenho certeza de que não poderei comprovar, mas penso que a inteligência é casada com o bom humor: se ácido ou mesmo contundente, não importa, é humor! 

Falar de eleições, do jeito que as coisas estão, vem a ser coisa fundamental para o brasileiro que decora os nomes de todos os jogadores de um time de futebol completo (inclusive os reservas) e não se lembra do nome de quem ele votou no último pleito! 

Há que se rir sim! Falar já é pouco.  Principalmente numa sociedade em que nem debater os candidatos o fazem (será que sabem? ou o que têm para esconder é muito e para falar é nada?).  Fica extremamente cansativo, penoso até, chegar a uma decisão: em quem votar e porque.

Aí aparece um grupo de “bons humores” (leia-se inteligências) que (ainda bem) têm um espaço na mídia e nos fazem simplesmente rir enquanto nos mostram o quadro quase trágico em que nos encontramos. De uma forma ou de outra, nos legam  uma boa noção de quem é quem, quem é nada, quem não vai ser, quem poderá talvez-quem-sabe, quem fez e quem não fez, quem pensa, quem nem-está-aí-além-do-próprio-umbigo… 

E ainda querem proibi-los de fazer com que o povo que vai votar saiba um pouco sobre quem quer representá-lo???!!!  Que tribunal é esse???   
É direito nosso (cidadãos…) que esses bons humores nos mostrem também os absurdos ! Precisamos deles! Talvez seja uma das poucas maneiras de nos prepararmos para não errarmos tanto.
 
Obrigada CQC, Sr. Marcelo Tas e a todos os “bons humores inteligentes” que nos dão alguma luz.  E se for infração elucidar um povo, saibam esse tipo de “infrator” merece aplausos !  ( lei do bico calado…que coisa ultrapassada e feia….)

Nos também não vamos amarelar.  Audiência 100!!! “

Esquema de segurança para Copa de 2014 contará com 12 centros de comando interligados

sexta-feira, 30 de julho de 2010

De acordo com o secretário nacional de Segurança Pública, Alexandre Aragon, essa estrutura é baseada na experiência da Copa de 2010 na África do Sul, respeitando as características federativas do Brasil. “Esses centros de comando vão permitir que as polícias se falem e tenham o mesmo nível de informação em todos os estados”.

Esquema de segurança para Copa de 2014 contará com 12 centros de comando interligados

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Jorge Wamburg
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O esquema de segurança para a Copa do Mundo de 2014 contará com um Centro de Comando e Controle em Brasília, integrado a centros idênticos nas 12 capitais que sediarão o evento no Brasil. A montagem desta estrutura, que terá a participação das polícias estaduais e federais, foi o tema do encontro que reuniu representantes dos órgãos de segurança durante dois dias na Academia Nacional de Polícia Federal, em Sobradinho (DF).

De acordo com o secretário nacional de Segurança Pública substituto, Alexandre Aragon, essa estrutura é baseada na experiência da Copa de 2010 na África do Sul, respeitando as características federativas do Brasil. “Esses centros de comando vão permitir que as polícias se falem e tenham o mesmo nível de informação em todos os estados. E a unidade central, em Brasília, terá condições de remanejar efetivos, se tivermos uma crise em algum estado ou até mesmo empregar efetivos reservas, sediados em Brasília, quando necessário.”

Os Centros de Comando e Controle serão construídos pelos estados e equipados pelo governo federal. Alexandre Aragon lembrou que, na África do Sul, muitas coisas ocorreram de última hora, como a greve dos “stewards” (segurança privada) e “se não houvesse esses Centros de Comando e Controle que puderam remanejar efetivos para os estádios de futebol, provavelmente as coisas não teriam transcorrido de forma tão tranquila como ocorreram”.

As 12 cidades-sede para a Copa de 2014 são: Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS), Brasília (DF), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Manaus (AM), Natal (RN), Recife (PE) e Salvador (BA).

Essa foi a segunda reunião realizada em Brasília para debater o tema. O objetivo era ouvir os técnicos dos estados para saber as necessidades de cada um e, a partir daí, elaborar um projeto de centros de comando e controle de acordo com a situação apresentada. Ao contrário da África do Sul, que é um Estado unitário, no Brasil os estados têm o poder de definir o que vão precisar para que o esquema funcione. O governo federal apenas estabelece as diretrizes necessárias.

Para o secretário, o Brasil leva vantagem sobre a África do Sul ao ter experiência na organização de grandes eventos, como o carnaval do Rio e de Salvador, que são controlados pelas polícias locais. “Sem falar nos grandes eventos de futebol, em que toda quarta, sábado e domingo temos públicos de até 80 mil pessoas em determinados estádios”, disse. Entretanto, os sistemas de controle do ingresso de pessoas nesses eventos ainda estão muito aquém de uma Copa do Mundo, na avaliação de Aragon. Essas experiências, segundo ele, foram discutidas na reunião, para que o governo federal trabalhe na sistematização do esquema de segurança da Copa.

Além do Centro de Comando e Controle principal, que ficará em Brasília, haverá um modelo idêntico no Rio de Janeiro, para funcionar nas Olimpíadas de 2016. A construção da unidade fluminense já está sendo providenciada pelo governo estadual, segundo o secretário. O papel dos centros de segurança se concentrará nas questões que envolvam a Copa do Mundo, como segurança nos estádios, hotéis, e locais de treinamento. Essas unidades não cuidarão da violência urbana que continuará sendo tarefa dos sistemas de segurança já existentes. Os centros de comando da Copa estarão ligados aos serviços policiais de rotinas pelo serviço 190, segundo os estudos em andamento.

O sistema de segurança da Copa de 2014 terá a participação dos órgãos de segurança federais (Agência Brasileira de Inteligência – Abin, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal), estaduais (Polícia Militar, Polícia Civil e Bombeiros) e dos municípios (guardas municipais).

Segundo Alexandre Aragon, caberá à Casa Civil definir quem ficará na chefia do Centro de Comando e Controle em Brasília.
Edição: Lílian Beraldo

Marcelo Tas avisa: ‘Não vão me intimidar’

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Em entrevista exclusiva ao Congresso em Foco, apresentador do CQC critica regra que proíbe que candidatos sejam ridicularizados, mas alerta: “Não amarelei na ditadura, não vou amarelar agora”

Bolsa Família não é tão eficaz nas cidades, diz Economist

sexta-feira, 30 de julho de 2010

O programa social Bolsa Família não é a solução “mágica” como tem sido tratado no Brasil e em outros países, afirma a revista britânica “The Economist”. Evidências sugerem que não está funcionando nas cidades como nas áreas rurais

Bolsa Família não é tão eficaz nas cidades, diz Economist

sexta-feira, 30 de julho de 2010

A explicação para o baixo sucesso do programa social nas áreas urbanas está na substituição dos benefícios anteriores, diz revista britânica.

O programa social Bolsa Família não é a solução “mágica” como tem sido tratado no Brasil e em outros países, afirma a revista britânica “The Economist”. De acordo com a publicação, “algumas evidências sugerem que o programa não está funcionando tão bem nas cidades como nas áreas rurais”.

O artigo aponta que dados das Nações Unidas indicam que houve uma redução de 15 pontos percentuais no número de pobres na população rural entre 2003 e 2008, enquanto nas cidades essa diminuição foi muito menor.

A explicação para isto seria o fato de que diversos benefícios foram substituídos pelo Bolsa Família em 2003. Desta forma, o somatório dos ganhos com estes programas poderia ser maior do que o valor concedido atualmente.

A revista critica ainda o pouco sucesso do programa em reduzir o trabalho infantil. As crianças conseguem ganhar mais dinheiro “vendendo bugigangas ou trabalhando como empregados” do que ficando na escola para receber os benefícios.

Marina vê “demônios” e “onças” na campanha

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Em seu primeiro comício no estado de São Paulo visando as eleições de outubro, a candidata do PV à presidência, Marina Silva se comparou a uma sagaz jaguatirica para tentar explicar sua estratégia de campanha, além de se comparar com uma jaguatirica, tentou explicar a diferença entre anjo e demônio.

Marina vê ‘demônios’ e ‘onças’ na campanha

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Candidata do PV se comparou a uma sagaz jaguatirica para tentar explicar sua estratégia de campanha.

A candidata do Partido Verde à presidência da República, Marina Silva, voltou-se contra a imprensa em seu primeiro comício no estado de São Paulo visando as eleições de outubro. Em Bauru, Marina disse nesta quinta-feira, 29, que a imprensa não pode “só atirar pedras”.

“Sabe qual a diferença entre anjos e demônios? É que os anjos usam adversidades das coisas para sinalizar o caminho e os demônios só atiram pedras, só colocam espinhos”, disse a candidata do PV.

Candidata se compara a jaguatirica

No mesmo comício, Marina contou uma fábula em que uma onça pintada desafia uma jaguatirica para um duelo. “Quando a onça foi atacá-la, a jaguatirica reagiu com um pulo mortal triplo, e a onça falou: ‘oh, oh, camarada jaguatirica! Esse você não me ensinou!’ E a jaguatirica respondeu: ’se eu tivesse ensinado, eu tinha me ferrado’”.

“Eu sou da família da jaguatirica”, disse Marina, tentando explicar sua estratégia de campanha para sair do terceiro lugar na corrida presidencial.

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

Uribe ‘deplora’ comentários de Lula sobre crise com a Venezuela

sexta-feira, 30 de julho de 2010

No mesmo dia em que chanceleres da Unasul se reúnem para tentar encontrar uma saída para a crise entre Colômbia e Venezuela, o presidente colombiano, Álvaro Uribe, disse “deplorar” os comentários do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que afirmou que o conflito entre os dois países não vai além do enfrentamento “verbal”.

Uribe ‘deplora’ comentários de Lula sobre crise com a Venezuela

sexta-feira, 30 de julho de 2010

No mesmo dia em que chanceleres da Unasul (União das Nações Sul-Americanas) se reúnem para tentar encontrar uma saída para a crise entre Colômbia e Venezuela, o presidente colombiano, Álvaro Uribe, disse, nesta quinta-feira, “deplorar” os comentários do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que afirmou que o conflito entre os dois países não vai além do enfrentamento “verbal”.

“(O presidente da República) deplora que o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, com quem cultivamos as melhores relações, se refira à nossa situação com a Venezuela como se fosse caso de assuntos pessoais”, afirmou Uribe por meio de um comunicado divulgado pela Presidência da Colômbia.

Uribe diz ainda que Lula emitiu comentários “ignorando a ameaça que representa para a Colômbia e (para o) continente a presença dos terroristas das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia)”.

No comunicado, Uribe reitera as acusações contra a Venezuela, afirmando que “a única solução que a Colômbia aceita (para solucionar a crise) é que não se permita a presença dos terroristas das Farc e do ELN (Exército de Libertação Nacional) em território venezuelano”.

Na quarta-feira, em referência ao conflito entre os vizinhos, Lula disse que era “tempo de paz e não de guerra” e que ainda não tinha visto conflito entre os dois países, além da disputa verbal.

“Ainda não vi conflito. Eu vi conflito verbal, que é o que nós ouvimos mais aqui nessa América Latina”, afirmou Lula.

Lula

Após a divulgação do comunicado, o porta-voz da Presidência da República, Marcelo Baumbach, afirmou durante uma coletiva em Brasília que o presidente Lula tomou conhecimento das declarações de Uribe, mas não considera apropriado responder no momento.

“O presidente considera que o diálogo entre as partes é a única solução para este impasse. O presidente não considera adequado comentar qualquer declaração neste momento.”

Questionado se as críticas poderiam interferir na realização de um encontro entre Uribe e Lula durante a viagem do presidente à Colômbia, Baumbach disse que Lula “não se manifestou a respeito”, mas afirmou que sua visita ao país para a posse do presidente eleito, Juan Manuel Santos, está confirmada.

Segundo Baumbach, o presidente Lula “lamenta” a situação que se criou entre Colômbia e Venezuela e acredita que a reunião da Unasul desta quinta-feira tem boas chances para contribuir para a renovação do diálogo entre os dois países.

Tensão

Nesta quinta-feira, os chanceleres da Unasul se reúnem em Quito, no Equador, para tentar encontrar uma saída para o conflito entre Caracas e Bogotá.

O chanceler equatoriano, Ricardo Patiño, adiantou em entrevista a um canal local que o grupo poderá criar uma comissão que acompanhe a distensão entre os vizinhos.

Durante esta semana, o chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, visitou sete países da região para elaborar um “plano de paz” para a Colômbia.

A proposta foi qualificada como “intromissão em assuntos internos” pelo governo Uribe e uma medida para dar “oxigênio” às guerrilhas.

O conflito entre Colômbia e Venezuela teve início há uma semana, quando Bogotá apresentou ao Conselho Permanente da Organização de Estados Americanos (OEA) supostas provas sobre a presença de guerrilheiros das Farc e do ELN na Venezuela.

Em seguida, o presidente venezuelano, Hugo Chávez, qualificou de mentirosas as acusações e rompeu relações diplomáticas com a Colômbia.

Para Chávez, as acusações são parte de uma “desculpa” para justificar uma intervenção armada da Colômbia em seu país, que a seu ver, conta com o apoio dos Estados Unidos.

Claudia Jardim/De Caracas para a BBC Brasil

Lula ataca “elite brasileira” em discurso com Dilma

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Estrela principal no terceiro grande comício da campanha de Dilma , Lula disse que “a elite brasileira não sabia o que era capitalismo, foi necessário um metalúrgico para ensinar como se faz capitalismo”.

Lula ataca “elite brasileira” em discurso com Dilma

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Fonte: votebrasil.com

PORTO ALEGRE – Após cumprir a agenda de Presidente da República durante o dia no Rio Grande do Sul, Luiz Inácio Lula da Silva subiu no palanque como cabo eleitoral na noite dessa quinta-feira, 29, em Porto Alegre.

Foi a estrela principal, ao lado da candidata à Presidência, Dilma Rousseff, e do nome petista ao governo gaúcho, Tarso Genro, no terceiro grande comício da campanha e o primeiro da coligação Unidade Popular pelo Rio Grande (PT, PSB, PCdoB e PR).

Lula iniciou seu discurso com bom humor. Depois de saudar os presentes, pediu à plateia, que empunhava bandeiras e cartazes, que ajudasse os profissionais de imprensa, que tinham dificuldade de visualizar o palco. “Se os pirulitos colaborarem, podemos até sair em uma fotografia, o que está sendo meio difícil.”

Lula criticou o que chamou de “elite brasileira”. “A elite brasileira não sabia o que era capitalismo. Foi necessário um metalúrgico entrar na Presidência para ensinar como se faz capitalismo.

Foi esse metalúrgico que chamou o presidente do FMI e disse: ”estamos cansados de gritar fora FMI.” Durante a espera por Lula, um vídeo contando a trajetória de Dilma foi exibido.

A presença de Lula e Dilma no palanque de Tarso cria um desconforto no PMDB e no PDT, dois dos principais aliados do partido no âmbito nacional.

O presidente arrancou gritos e aplausos quando fez um paralelo entre a sua sucessora e o poder da mulher brasileira. “Esse País não pode ser governado apenas com a sabedoria da cabeça. Tem que misturar a sabedoria com a sensibilidade do coração. E ninguém tem mais sensibilidade do que uma mãe.”

Lucas Azevedo – Agência Estado

Pais dizem não à proibição da palmada. E você?

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Pesquisa divulgada pelo Datafolha, mostrou que do total dos entrevistados, 54% não concordam com a proibição. A pesquisa apontou que a maior parte dos entrevistados apanhou dos pais e já bateu nos filhos

Pais dizem não à proibição da palmada. E você?

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Pesquisa do Datafolha mostra que maioria dos brasileiros é contra o fim da palmada. Especilaista afirma que a prática pode gerar ciclo de violência.

Na hora da pirraça e da teimosia, a palmada é a saída usada por muitos pais para disciplinar os filhos. Mas um projeto de lei que tramita no governo pode proibir esta prática, assim como qualquer tipo de castigo físico que provoque dor em crianças e adolescentes. Fica a dúvida, porém, se o Estado deve ou não interferir na forma de educar os filhos.

Para a maioria dos brasileiros, não. Foi o que mostrou pesquisa divulgada pelo Datafolha, na última segunda-feira, 26. Do total dos entrevistados, 54% não concordam com a proibição. Emmely Santos, de 26 anos, soma-se a estatística. Ela é mãe do pequeno Eleazar Santos de 1 ano e 6 meses, e também não concorda com a lei.

“A palmada é uma forma de dizer não. Eu não sou a favor de espancar, mas uma ‘palmadinha sem força’ e falar mais duro com a criança é importante, se não pode gerar inversão de papéis e o filho se torna indisciplinado”, afirma a mãe, que disse ter usado poucas vezes a palmada para corrigir, mas geralmente em situações de perigo para a criança.

A psicóloga Maria Inês Bittencourt, no entanto, concorda com a proibição, mas não acredita que a medida seja suficiente para resolver problemas na família. “Não é uma norma que vai interferir na questão psicológica. Por outro lado, essa lei é válida para chamar a atenção para o debate, que é sério. Quanto mais se falar sobre o assunto, melhor.”

Quem apanhou, já bateu nos filhos

A pesquisa apontou que a maior parte dos entrevistados apanhou dos pais e já bateu nos filhos. Do total de 10.095 pessoas, 74% dos homens e 69% das mulheres disseram terem apanhado dos pais. O estudo ainda mostrou que os meninos apanham mais que as meninas e que as mães batem mais que os pais.

Para a psicóloga Maria Inês, a palmada tem um efeito de ciclo de violência e bater pode gerar consequências. “Pais que batem reproduzem o modo como foram educados no passado. É assustador colocar um adulto diante de uma criança indefesa, ainda mais quando esse adulto é responsável por zelar pela segurança da criança.”

A psicóloga avalia a prática como algo violento e humilhante, que pode trazer reflexos à vida adulta. “Essa violência pode gerar uma série de sentimentos na criança, o que pode fazer com que ele queira bater no colega da escola, por exemplo.”

A conversa é o melhor caminho

A especialista também é contra a famosa “palmadinha sem força” e acredita que há outras formas de impor limites, como aumentar o tom de voz e colocar de castigo, explicando o porquê da punição e o que a criança fez de errado. “A conversa é o melhor caminho”, completa.

A mãe Camilla Paiva, 24 anos, concorda com a psicóloga e adota o método mencionado por Maria Inês. Camilla é publicitária e conta que nunca bateu no filho Kauam, de 2 anos. “Você não precisa agredir uma criança para educá-la, até porque bater dói na hora e depois passa. A lição de moral e os ensinamentos são para vida toda.” Ela diz que na hora da correção coloca o filho para pensar no que fez até que ele se acalme, depois conversam. “O respeito vale mais que o medo”, conclui.

Por Por Carla Delecrode e Paula Araujo
Fonte: opiniaoenoticia.com.br

Lula manda Revista Veja às favas: “Eu não preciso deles para nada”

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Numa de suas mais sinceras entrevistas desde que chegou ao Planalto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou que não apenas ignora as opiniões da Veja como também dispensa qualquer tipo de relação com a decadente revista da Editora Brasil.

Lula manda Revista Veja às favas: “Eu não preciso deles para nada”

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Numa de suas mais sinceras entrevistas desde que chegou ao Planalto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou que não apenas ignora as opiniões da Veja como também dispensa qualquer tipo de relação com a decadente revista da Editora Brasil. O depoimento foi dado na semana passada à repórter Adriana Araújo, do Jornal da Record.
Lula deixou claro que prefere a aprovação popular ao reconhecimento da grande mídia. “Se dependesse de alguns jornais, se dependesse de algumas televisões e se dependesse de algumas rádios — eu estou falando ‘algumas’, para não generalizar —, eu teria zero na pesquisa (sobre seu governo).”

Adriana perguntou, em seguida, qual é a resposta de Lula diante de uma caricatura grosseira que a Veja fez dele — “um rei com a coroa na cabeça e acima de todas as leis, que passa um mau exemplo para o cidadão brasileiro, desrespeitando as leis”. Foi o estopim para o desabafo do presidente — e uma quase promessa de expor, ao sair do governo, o que realmente pensa da Veja.

“Primeiro, eu não vejo essa revista — portanto, para mim não quer dizer nada isso. Como eu não preciso deles para nada — para nada, sabe? —, eles têm a liberdade de dizer o que eles quiserem a meu respeito. E eu quero ter a liberdade de dizer o que eu penso deles, do jeito que eu quiser”, declarou Lula. “Não posso dizer tudo porque eu sou presidente da República, sabe?”, explicou na entrevista.

Segundo ele, é possível que, ao fim de seu segundo mandato presidencial, todas as suas opiniões sobre a Veja venham à tona. “Um dia? Quem sabe?!”

Da Redação do Portal Vermelho
André Cintra

“Chávez é dilmista e o PT é chavista”, afirma Serra durante entrevista

quinta-feira, 29 de julho de 2010

O candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, afirmou que “Chávez é dilmista e o PT é chavista”, em referência ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, e à Dilma Rousseff, candidata do PT ao Planalto.