Mundo  

“Sedutor de ricaças” condenado a seis anos de prisão na Alemanha

Um tradutor suíço Helg Sgarbi, de 44 anos, admitiu, nesta segunda-feira (9/03), diante do Tribunal de Munique ter chantageado e arrancado milhões de euros de Susanne Klatten, a mulher mais rica da Alemanha, e de outras três vítimas abastadas e foi condenado a seis anos de prisão. De acordo com as investigações, em dois casos ele tentou chantagear as mulheres com imagens íntimas.
Klatten, 46, herdeira do grupo Quandt, acionista da montadora BMW e dona de uma fortuna avaliada em 13 bilhões de dólares, desencadeou o processo com a apresentação de uma queixa à polícia contra o tradutor, que supostamente fala seis idiomas, entre eles, português. Segundo o jornal Tagesanzeiger.ch, de Zurique, o “sedutor de ricaças” viveu parte da infância no Brasil e também tem passaporte brasileiro.
A Promotoria de Munique acusou o suíço de ter aplicado golpes graves em quatro casos e de ter feito tentativas graves de chantagem em dois casos, e pediu nove anos de prisão. Segundo a acusação, em apenas um ano e meio ele teria arrancado 9,4 milhões de euros de Klatten e de duas outras mulheres. Ele teria aplicado os golpes contando a história de um acidente com uma criança gravemente ferida. Os milhões obtidos das vítimas “seduzidas” teriam sido transferidos para o líder de uma seita na Itália. Numa curta declaração pessoal em Munique, os suíço se desculpou publicamente perante as vítimas. Como ele não revelou o paradeiro do dinheiro e dos vídeos, deverá cumprir a pena integralmente.
Leia mais detalhes na reportagem de swissinfo sobre o caso: Vídeos, sexo e dinheiro: suíço chantageia bilionária alemã.

Deixe um comentário