“Eu não entrego o país”, afirma Dilma

Por Renata Camargo – congressoemfoco.com.br

A pré-candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, voltou a criticar neste sábado (10) as privatizações feitas durante o governo tucano do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e a afirmar que não permitirá “que o patrimônio nacional seja dilapidado”. Em discurso durante um evento de sindicalistas no ABC Paulista, a ex-ministra da Casa Civil criticou a oposição: “Eles precisam dizer quem são”.

“Tenham certeza de que nunca, jamais me verão tomando decisões ou assumindo posições que signifiquem a entrega das riquezas nacionais a quem quer que seja. Não vou destruir o Estado”, disse Dilma. “Eu nunca traí os interesses e os direitos do povo. E nunca trairei. Vocês não me verão por aí pedindo que esqueçam o que afirmei ou escrevi”, disse a pré-candidata em referência ao ex-presidente FHC.

Ao lado de Lula, Dilma participou hoje de um evento organizado por sindicalistas metalúrgicos. A participação de Dilma no encontro foi uma estratégia petista para contrapor o evento de lançamento da pré-candidatura de seu principal adversário, o tucano José Serra (PSDB-SP), realizado nesta manhã em Brasília. O evento petista começou no mesmo momento em que teve início o encontro tucano.

Serra e Dilma fazem duelo de megaeventos

Em São Paulo, após o discurso de Dilma, Lula criticou a festa tucana e citou trechos de discursos da oposição para reforçar posicionamentos do partido. O presidente lembrou do discurso do ex-governador de Minas Aécio Neves, que disse que o governo tucano fará mais privatizações se for preciso.

“O momento auspicioso foi quando o ex-governador de Minas disse que é preciso reforçar as privatizações. Foi o momento de maior aplauso na festa dele. Mas se não fosse o Banco do Brasil, a Caixa Econômica, o BNDES, nós teríamos sucumbido na crise. Quem fala isso pensa que tem que entregar os dedos porque os anéis entregaram há muito tempo”, rebateu Lula.

Deixe um comentário